segunda-feira, 15 de abril de 2013

Capitulo 37

(Observação da autora no dia 18/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "A Escola do Terror III". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" ).


 Capítulo 37

Um dia passou e ele iria falar com a turma e contar toda a verdade. Esperou que o intervalo chegasse para falar com eles.
 Eu preciso de vos contar tudo.
 Tudo o quê, Gonçalo? – Perguntou a Juliana.
O Gonçalo contou a toda a turma que ele não matou ninguém, nem a professora que tinha sido morta.
 Isso quer dizer que a culpada das mortes era a Márcia. – Disse a Juliana.
 Então, ouvindo todas estas verdades do Ricardo e do Gonçalo, ninguém matou nada. – Disse o Bernardo.
A Diana e o Bernardo olharam um para o outro e o Bernardo contou dos raptos que fez. Ele não tinha matado ninguém.
 Então, Diana, o que achas de o grupo de assassinos acabar? – Perguntou o Gonçalo.
 E a Mafalda?
O Gonçalo achou estranha a pergunta dela. Então a Mafalda não falou com ela?
 Eu tenho a certeza que ela está a favor disto, mas o nosso grupo de amigos continua e talvez aumente. – Respondeu ele, olhando para os que não pertenciam ao grupo.
 Claro! – Exclamou a Patrícia, por todos.
 Peço desculpa. – Pediu o Bernardo à Alexandra e ao Francisco.
 Tudo bem. – Disse o Francisco.
O Gonçalo olhou para a Diana.
 Diana, podemos falar a sós?
 Claro! 
Eles foram conversar e a Patrícia foi atrás deles, sem que ninguém notasse.


Fim do Capítulo 37.

9 comentários:

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.