Sobre a escritora

Não me tratar por tu talvez fosse o melhor. Não sou a melhor pessoa para me descrever, ou não me sinto à vontade para o fazer.

Diana Pinto. Os seus antigos leitores conhecem-na por DSP, uma alcunha que ela teve no Blogger  entre 2009 e 2015, ano em que lançou o primeiro livro.
Nasceu em Lisboa, Portugal, no dia 15 de Dezembro. O ano não é importante saber, mas, se quiser sabê-lo, os dois livros dela têm o seu ano de nascimento na badana (ou aba).
O signo também não é importante para algumas pessoas, embora ela goste de astrologia. Não ao ponto de ver sempre o seu horóscopo todos os fins de semana, mas gosta de ler sobre o mapa astral.

O gosto pela leitura iniciou-se na infância. No início lia apenas livros infantis, mas depressa a sua preferência passaram a ser os livros de policial e thriller. O romance, para ela, é cliché e já está "gasto", mas admira os autores de romance que são originais e criativos.

O gosto pela escrita também veio cedo, após começar a escrever pequenos textos para aperfeiçoar a sua caligrafia. Não que a caligrafia tenha melhorado por ter começado a escrever, mas é bom acreditar que houve alguma mudança.

Escreveu poemas entre 2007 e 2009, mas hoje apenas escreve estórias. Provavelmente hoje já não conseguiria escrever poemas e, se o escrevesse, com certeza, sairia mal.

A primeira estória escrita foi "História de uma Adolescente", começada no ano de 2005 e terminada apenas em 2007. Um romance tão cliché que ela tem vontade de enfiar a cabeça num buraco e morrer. Mas não espezinhem esta autora, ela era apenas uma criança. Ela promete alterá-la, caso a lance em livro. Naquela altura, High School Musical estava no auge e ela era grande fã da Vanessa Hudgens.

A primeira estória mais virada para policial começou a ser escrita em 2008 e terminou no mesmo ano. Era "Uma Vida de Sombra". A mãe dela viu aquelas folhas espelhadas pela secretária dela e incentivou-a a criar um blogue. Foi aqui que tudo começou. O policial foi tão criança, mas ela sentiu-se vitoriosa por ter escrito o primeiro policial. E por ter criado o blogue também. Com esta estória, os leitores começaram a surgir.

A estória que fez crescer o seu blogue foi a terceira estória, também virada para o policial, "A Escola do Terror". E foi a primeira a ser lançada em livro, com alterações. Se lançasse como estava, a vergonha seria grande. Terminou a primeira versão em 2011 e, parecendo que não, era ainda uma pré-adolescente.

A autora gosta de pesquisar, gosta de aprender, gosta de ter novos conhecimentos que a ajudem a desenvolver a sua escrita.
Gosta de conviver com colegas autores, partilhar conhecimentos e desenvolver ideias.

Gosta de representar, fez curso de teatro e ama tudo o que implica escrever. Gostaria de escrever guiões e até tenta. Guionismo e representação são duas áreas em que ela gostaria de trabalhar.

Ama as artes, até mesmo pintura. Quando desenha parece uma criança de oito anos. Ainda desenha pessoas pau e um sol como se estivesse na primária. Admira os pintores.

Há uma pequena lista de curiosidades abaixo. Tenham cuidado ao lê-la, os seus gostos são... peculiares.

Página do Facebook (se ainda tiverem coragem de contactá-la): Diana Pinto


Curiosidades

- Inspira-se em filmes de terror ou algo com um certo suspense quando precisa de escrever um capítulo decisivo numa estória de drama;

- Quando escreve capítulos tristes, dramáticos, geralmente veio a inspiração numa música triste;

- Não gosta de escrever nada sobre experiência própria, principalmente se for algo triste, no entanto existem alguns capítulos que têm algo da experiência da autora;

- Prefere escrever estórias dramáticas do que de aventura ou comédias. Estranho já que inicialmente só escrevia aventura ou romance cliché, no entanto naquela altura ela era uma criança;

- Hoje em dia, tem um problema quando precisa de um capitulo romântico numa parte de uma estória. Os seus capítulos românticos são tudo menos românticos. Eles passam mais a mistério que romantismo;

- A autora tem sempre personagens que são descritos muito diferentes dela própria, no entanto, ao contrário do que os leitores pensam, a autora nunca costuma "matar" esses personagens;

- A autora não gosta das suas personagens Carolina e Alexandra da estória "A Escola do Terror" e da personagem Rita da estória "Noiva do Irmão";

- Escreveu a estória "À Busca De Um Sonho I" enquanto andava no Algarve, Portugal;

- Escrever as três partes de "A Escola De Terror" foi a coisa mais emocionante que a autora já fez na vida. Esta estória e "Encontro com o 666" são as que a autora mais gostou de escrever;

- Não gosta do calor nem do frio em excesso;

- Gosta dos números 3, 6 e 9 e não gosta de números pares;

- Não gosta de pessoas que maltratam animais, dos políticos e nem de pessoas sem sentido de humor;

- Tem como ídolo o Eminem;

- Sonha em apostar na representação e ter os seus livros no mercado;

- Os seus atores favoritos são: Anne Hathaway, Elisabeth Banks, Camilla Belle e Samuel L. Jackson, Eddie Murphy e Johnny Depp e a sua personagem histórica favorita é o Charles Chaplin.


"Sou a única pessoa no mundo que eu realmente queria conhecer bem".

Oscar Wilde