quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Desafio da Revista Rabisca

  Olá, Pessoal!

 Deixo-vos aqui a minha participação no desafio da terceira edição da Revista Rabisca.

 Se forem fazer as vossas, deixem a tag #rrabiscadesafio 




 Texto sem imagem:
 
 Nunca conseguiria trabalhar como babysitter.
 – Tira a mão daí, Sofia! – Gritei.
 Amarrei o cabelo e peguei no João ao colo. Sofia ficou quieta e encolhida. Podia jurar que ela estava prestes a chorar. É certo que me pagam, mas não sei lidar com crianças. Ou, então, estes dois são pequenas pestes.
 O João tem dois anos, a Sofia tem cinco. São ambos filhos de uma vizinha. Ela decidiu sair por breves momentos e chamou-me para tomar conta das crianças.
 E eu nunca pensei que tomar conta de crianças fosse tão complicado. Três horas a tomar conta destas pestes. Na verdade, parecem oito, tendo em conta o sacrifício que eu faço. Sempre saio morta.
 Nunca conseguiria trabalhar como babysitter.

 Número de palavras: 118

terça-feira, 3 de agosto de 2021

Gi é um Génio, de Vaneza Lopes (Resenha)

 Olá, Pessoal!

No dia 2 de Agosto foi divulgada uma resenha ao livro "Gi é um Génio" + Entrevista à autora Vaneza Lopes na Revista Perpétua.

Créditos: Revista Perpétua

A resenha foi feita por mim e a entrevista feita pelo pessoal da Revista.

Resenha e Entrevista: Revista Perpétua - Site.

Microcontos Perpétuos (4)

 Olá, Pessoal!

 Participei nos Microcontos Perpétuos criado pela Revista Perpétua, onde sou colaboradora.

 A ideia seria escrever um microconto com o tema animais.



 Texto:

 Olha o Aurélio! Aquele vadio olha para o Jorge como se ele fosse um salmão grelhado acabado de fazer. Aposto que ele só faz isso para ir à rua. Não sei por que esses humanos que têm cães insistem em falar que os gatos são do mal. Os cães são uma cambada de enganadores! Nunca ouviram falar que o cão é o melhor amigo do homem? Sim... do homem. Só do homem.
(...)
 Já são 14 horas! A Clarisse nunca mais traz a minha comida. Ai que vida cruel! Lá vou eu ter que olhar para ela como um cachorro abandonado...


 Espero participar de outros.

domingo, 1 de agosto de 2021

Regresso + Novidades

 Olá, Pessoal!

 É com o maior prazer que vos comunico que estou de volta, com visual novo no blogue, com tudo renovado.

 Precisei desta pausa para tentar manter a minha saúde mental estável. A polémica em que eu me envolvi não teve nada a ver com literatura, ou com os meus outros projetos, mas como acabou indo para estes assuntos, decidi parar um pouco, quer dizer, parar de publicar nas redes sociais.

 Agradeço a todos pelas mensagens! Não estive parada. Primeiro que tudo, nunca pararia. Aliás, nem de fazer o que faço e nem de deixar a minha opinião, mesmo sendo polémica. Não vou deixar de ter as minhas opiniões, isto é um país com liberdade de expressão.

 Quem esteve este tempo na Fábrica de Histórias percebeu que os últimos episódios tiveram temas polémicos e a minha voz surgiu. Deixo-vos aqui:

 A Universalização da Literatura, do podcast Plantão da Treta:


 A Banalização da Literatura, do podcast Chá de Dezembro:


 Ou seja, não fui calada e nem me vou calar por alguns "críticos de plantão". Aliás, como curiosidade, posso até revelar que gravei estes dois episódios depois de ter decidido parar um pouco. O único motivo pelo qual o fiz foi para manter a minha saúde mental intacta. A pandemia pode ter mudado a cabeça de muita gente. Alguns passaram a ser intolerantes, por exemplo. A estas pessoas posso dizer que tiveram o gosto da vitória por breves dias, mas no fim a liberdade de pensamento e de opinião ganhou.

 A saúde mental é importante. No próximo mês, em Setembro, estaremos no "seu" mês. Espero que estas mesmas pessoas não tenham que a colocar em primeiro lugar, mesmo que não seja de forma abrupta.

 Trocar opiniões e criar debates é importante. Dá uma outra visão de um mesmo tema, traz-nos vários pontos de vista. Eu trabalho com isso. Eu trabalho com ligação de ideias, trabalho com troca de pensamentos.

 Uma mulher que trabalha nas artes está constantemente a ser questionada, a ser posta em causa, a ser pouco "apostada". Quando algo começa a dar certo, os "críticos de plantão" resolvem puxá-la para baixo. Já passei por isso. Este último acontecimento não é o primeiro e também não será o último. Sei o que vou ter que passar. Nunca darei o gosto da desistência, sei quem está do meu lado e quem está a olhar para mim pelo canto do olho a tentar perceber quando darei um passo em falso. Haverá sempre gente que, sem ter argumentos, vai partir para o insulto. Quando não há troca de ideias e se é intolerante, faz-se estas figuras. Sei que vou continuar a conviver com este tipo de pessoas. E irei aprender com elas, de alguma forma.

 Para todas as pessoas preocupadas comigo, leitores e ouvintes portugueses, brasileiros, angolanos preocupados com este meu afastamento, percebam que eu nunca, mas nunca, iria parar ou ser calada. Isto foi apenas uma pausa para restabelecer a minha saúde mental. Agradeço cada palavra de conforto e incentivo!

 Quanto a projetos, a Fábrica de Histórias está a trazer coisas novas, terá blogue, terá mudanças significativas. E sim, não irei parar de trazer temas delicados e polémicos. Sempre dando disponibilidade a debates saudáveis.
 A imparcialidade das minhas resenhas/críticas na Revista Perpétua vai continuar e não, não é para parecer "simpática", a equipa da Perpétua sabe como critico e sabe a minha sinceridade. Eles conhecem-me.
 Quanto à Revista Rabisca recebemos qualquer texto, de qualquer género. Não há temas recusados. As críticas são feitas de forma parcial, prevalecendo sempre o respeito ao autor e ao leitor das obras.
 E sobre o meu blogue... Bem... tenho coisas novas. Não parei. Vou movimentá-lo. Tenho textos para divulgar, críticas parciais a obras de colegas autores, listas de livros para ler, enfim...  O mês de Setembro está com bastante conteúdo para ser solto. Vou voltar!

 E quanto a projetos secretos, eles estão em andamento. Mas não posso revelar nada, por enquanto.

 Obrigada a todos que esperaram o meu regresso! Aguardem novidades!