sábado, 13 de abril de 2013

Capitulo 30 - Chantagem

(Observação da autora no dia 18/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "Encontro com o 666". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" com o título "Encontro com o Passado" ).

 João

Alguns dias passaram. Era o último dia de férias. Finalmente iríamos retomar com o caso. Recebi uma chamada da Ana e decido atender.
 Estou, João?
 Sim, sou eu.
 Desculpa estar a incomodar-te, mas de momento eu não poderei falar contigo sobre a a tal proposta.
 Acredito que seja uma proposta acerca do nosso caso.
 Sim, é, mas não irei falar-te dessa proposta, neste momento.
 Tudo bem.
 Mudando de assunto, conseguiste alguma informação acerca da Simone e da Catarina?
Respirei fundo.
 Sim. Elas não podem ser suspeitas do caso. Parece que tomar esteróides já é considerado um grande e grave segredo.
 Concordo. Bem, vou ter que desligar. Amanhã falamos.
 Claro. Até amanhã.
Despedimo-nos e terminei a chamada.

Ana Martins

Eu sabia que o Miguel tinha um segredo. O meu melhor amigo droga-se. Eu fiquei sem palavras. Encarei-o assim que pude. Vi o Miguel com o César perto da escola. Apanhei-o em flagrante. Pedi-lhe explicações. Ele teve de confessar.
 Tu és minha melhor amiga, eu sei que tu me vais entender.
 Eu vou-te entender? Tu estás louco! Nunca te vi a tomar essas porcarias. O que se passa contigo?
 Foi para descontrair.
 Foi para descontrair? – Estava fora de mim. Como é possível o meu melhor amigo trair-me desta maneira?
 Tu és uma pessoa bastante alegre e eu queria ter essa alegria toda.
Coloquei a mão na cabeça. Não acreditava no que estava a ouvir. O meu melhor amigo estava a transformar-se num estranho.
 Ana, não contes a ninguém por favor.
Eu respirei fundo. O que ele merecia era que eu contasse tudo à minha irmã e que o denunciasse, mas, pensando bem, queria ajudá-lo a sair daquele vicio.
 As tuas irmãs sabem disto?
 Óbvio que elas não sabem. Elas nem sabem distinguir uma pá de uma vassoura.
Estava chocada. A falar mal das irmãs dele à minha frente. Ele mudou!
 Já não te reconheço.
 Ana, por favor, perdoa-me.
 Até te posso perdoar Miguel, mas estou magoada.A pessoa que eu mais confio a fazer coisas destas. Eu já sabia que o César era uma má influência.
 O César não se droga, apenas trafica droga.
 Vai dar ao mesmo. É crime! – Fiquei calada por breves segundos  Vou contar à polícia.
 Não podes! – Disse o Miguel, nervoso  Somos melhores amigos, tens que me ajudar.
 Não Miguel, eu não te vou ajudar.
 Então se não me vais ajudar, eu irei contar aquilo que sei sobre ti à tua irmã.
Eu olhei para ele pasmada. Era chantagem!
 Tu não serias capaz! – Disse-lhe.
 Se tu contares à alguém sobre a minha ligação com a droga eu conto à tua irmã o que sei sobre ti. Agora pensa, mas pensa bem.
Ele afastou-se de mim. Eu fiquei chocada. Ele não seria capaz de contar o meu segredo à minha irmã. Não seria. Ou talvez... não, não, ele não seria capaz. Ou seria?


Fim do Capítulo 30.

19 comentários:

  1. os melhores amigos desentenderam-se!

    ResponderEliminar
  2. tá lindo.
    Posta logo.

    Beijos,
    Natasha Alyosha.

    ResponderEliminar
  3. tá giro.
    nao faço ideia que segredo seja esse mas de certeza que tem algo a ver com a profissão da irmã.

    ResponderEliminar
  4. Adorei o capitulo.
    Posta logo.

    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  5. Impressionante esse capitulo.Os melhores amigos deixam de se falar.O segredo da Ana parece muito pouco inofensivo.Espero para ver o que vai acontecer.
    Continua!

    ResponderEliminar
  6. Então a inocência do Miguel era só uma fachada... ele estava perfeitamente consciente do que estava a fazer! E claro que a Ana tinha de se mostrar chocada com as drogas... da chantagem é que eu não estava à espera, mas continua :)

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito.
    Quem diria que isso ia acontecer?
    Posta Logo!
    bjss.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.