sábado, 5 de janeiro de 2013

Capitulo 12 - Esteróides e aniversário

(Observação da autora no dia 18/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "Encontro com o 666". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" com o título "Encontro com o Passado" ).


Henrique

Cheguei à escola e fui falar das noticias que tinha ao João. Ele contou-me o que estava a fazer na altura que liguei para ele. Fiquei a olhar para ele, idiota. Com a prostituta da Ana Carretas?
 Não me digas que andaste a pedir a ela...  Eu próprio não terminei a frase.
 Claro que não. Eu perguntei-lhe sobre o assassino.
 O nosso fofo assassino! Como anda ele?
O meu colega encolheu os ombros.
 Não faço ideia. Ela não me deu nenhuma pista. Apenas disse que talvez ele tenha sido o seu cliente, mas não sabe de nada.
 Disseste-lhe que eras polícia?
 Óbvio que não.
 Ainda bem.
Nessa altura, aparece a Catarina e a Simone.
 Vamos embora, ou não? – Perguntou a Catarina, impaciente.
Nós encaminhámo-nos para a sala. Era aula de Português.

Simone

Entrei na sala e sentei-me ao lado da Catarina.
– Então? Quando é que é o próximo jogo? – Perguntou-me ela.
 Daqui a três dias. – Respondi.
 Boa sorte então.

***

Catarina

Três dias passaram e decidi ir ver a Simone a jogar. Iria apoiá-la como amiga que sou. Fiz-lhe uma surpresa e fui ter com ela, enquanto se mentalizava para o jogo. Não gostei do que vi em seguida...

***

Meses depois, já em Dezembro.

Diana

Era o meu aniversário. A minha colega Ana fez questão que eu não estivesse de serviço nesse dia. Um dia de folga para mim. De manhã acordei com gritos da minha irmã Ana Martins.
 Parabéns a você, nesta data querida...  Cantava ela.
Ela cantava muito mal. Tive as minhas doses de paciência quando a ouvia a cantar com o melhor amigo dela, o Miguel.
 O que vais fazer hoje?  Perguntou-me, enquanto abria as cortinas do meu quarto.
 Não sei.
Ela olhou para mim séria.
 Não estás a falar a sério, pois não?
Infelizmente estava a falar a sério. Eu não sabia o que era ter um dia de folga. A minha vida "girava" no assassino.
 Vamos, levanta dessa cama e vamos nos divertir. – Disse ela, já me arrancando o lençol e o cobertor de cima de mim.
Um pouco sonolenta ainda, fiz o que me ordenou. Arranjei-me, mas antes de sair de casa não pude me conter e tive que olhar para o meu caderno azul. Já alguns meses passaram e 666 nada. Olhei com atenção tudo o que tinha escrito até à altura. As observações colocavam-me preocupada.

Caderno azul da Diana:

" Algumas observações:
Ana Carretas (Fantasia dos Prazeres) - Prostituta (Pedro Guerra é o único que sabe);
Ana Catarina - a descobrir;
Pedro Guerra - a descobrir;  (SUSPEITO)
Carolina Sagres e Diogo Sagres - (problemas com bebida) uma "ajuda" para encontrar o assassino.
Pedro Magalhães e Andreia - a descobrir; (SUSPEITOS)
Bruna - a descobrir; não é suspeita de momento.
Henrique e João - a descobrir; (SUSPEITOS)
Catarina e Simone - a descobrir; (SUSPEITAS)
César - traficante - um suspeito.
Madalena e Miguel Lázaro - a descobrir. não são suspeitos de momento.
Ana Gláucia, Cátia, Hugo, Ailton, Miguel, Joana e Marta;"

Já passaram alguns meses e só sabemos isto. É muito mau para um polícia.

Bloco de notas do Henrique:

"Ana Carretas e Ana Catarina - prostitutas;
Carolina e Diogo -  uma ajuda para o caso."

Henrique

Estava com o meu colega João. Hoje à noite seria a festa de aniversário de uma colega de turma nossa. Todos iríamos. Era o momento para nos prepararmos para trabalhar. O nosso fofo assassino em série estava lá.

***

20:00

Madalena

Vinha acompanhada pelo Miguel Lázaro e as irmãs dele. Chegámos a casa da Diana, como combinado. Costumávamos chegar cedo às festas, principalmente o Miguel, mas hoje foi diferente. Fomos os últimos a chegar. Estavam todos já a divertir-se. A Carolina andava atrás do irmão. Bebidas alcoólicas na mesa eram uma perdição para ele. Para ela também, mas ele era mais inconstante. Não sabia pensar.

Ana Rodrigues

Estava com a Diana, mas depressa me afastei para trabalhar. Aproximei-me dos dois amigos Henrique e João e meti conversa.
 Estão a gostar da festa?
Vi que o Henrique estava com um bloco de notas na mão e assustou-se com a minha aproximação. Estará a esconder algo? Olhei para a expressão do amigo dele e, embora tentasse disfarçar, também o senti nervoso. Passava-se aqui algo. Estava pronta para um passo em falso do assassino.


Fim do Capítulo 12.

18 comentários:

  1. tá fixe!
    a Ana pensa que o João ou o Henrique é o assassino?haha.

    ResponderEliminar
  2. Está fixe!
    Que raio de policias são esses?São descobertos assim do nada?Acho que eles já foram!

    ResponderEliminar
  3. muito fixe!
    parece-me que eles já foram apanhados.

    ResponderEliminar
  4. eles foram descobertos??
    A simone foi de certeza!
    adorei o capitulo.
    posta logo.

    ResponderEliminar
  5. Quero saber por que raio é que sou suspeito! Há partes bastante realistas, continua ;)

    ResponderEliminar
  6. A Carolina atrás do irmão adorei!
    Hehe!Adorei o capitulo.
    Posta logo.

    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  7. o capitulo esta perfeito. tem selinho pra vc no meu blog. beijosssss

    ResponderEliminar
  8. Poderia divulgar? *--*
    wouldntchangeathingjemi.blogspot.com.br
    Ficaria bem feliz :)
    Bjs.

    ResponderEliminar
  9. Oie amore, tem selinho pra você no meu blog http://jemi-howyouremindme.blogspot.com.br/2013/01/selinho.html bj.

    ResponderEliminar
  10. Hey,selinho pra você http://fixaheart-jemi.blogspot.com.br/2013/01/capitulo-52-de-fix-heart-ciumes-de-mim.html Os dois. :3
    xoxo

    ResponderEliminar
  11. olá,tem um selinho pra você em meu blog
    http://jemifacingobstacles.blogspot.com.br/2013/01/selinho-o.html

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.