segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Capitulo 18

(Observação da autora no dia 18/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "A Escola do Terror III". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" ).


O Bernardo quebrou o silêncio.
 O chefe do grupo?
 Sim o chefe do grupo. O Gonçalo anda só a querer ter o seu lugar garantido e o Ricardo só mata pessoas para conseguir ser o primeiro chefe, se bem que algumas pessoas que morreram não foram mortas por ele.
 Como assim?
 Achas que foi ele que matou a professora de F.Q, Gabriela? Mas é claro que não. O Gonçalo admitiu que não foi ele e a Juliana andava a vigiar a professora, como é que podia ser ele?
Ela fez uma pausa.
 Eu tenho a sensação que ninguém do grupo foi.
 Como assim? – Repetiu o Bernardo.
 Ninguém do grupo se acusou e confiamos uns nos outros, se algum de nós matasse alguém, diria. Eu penso que foi alguém fora do grupo e da nossa turma que matou a professora.
 Queres dizer que não somos só nós os assassinos?
A Diana fez um sim com a cabeça.
 Não consigo acreditar. – Exclamou o Bernardo.
O Bernardo ficou chocado com as palavras da Diana. Houve um grande silêncio, depois o Bernardo não aguentou e perguntou:
 Lembras-te quando disse que matei a professora de E.V, Maria João?
A Diana fez um sim com a cabeça.
 Eu, na verdade, não a matei.


Fim do Capítulo 18.

7 comentários:

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.