quinta-feira, 26 de abril de 2018

A Gota de Água

Olá, Pessoal!
Deixo-vos aqui o meu primeiro texto para o Desafio dos Sete Pecados Capitais: A Ira.

AVISO: Esta é a primeira parte de uma série de sete pequenos textos com início, meio e fim.

A Gota de Água

As duas amigas Vitória e Laura conversavam numa rede social. Não tinham capacidade para conversarem pessoalmente devido aos seus trabalhos que lhes retiravam muito tempo.
A Vitória era uma jovem desinibida, aventureira, criativa e animada. Já Laura era mais pessimista, arrogante, antipática, causando alguns problemas e discórdias entre amigos.
As duas amigas sabiam que eram muito diferentes. Vitória adorava o facto de ser muito diferente de Laura. Adorava o mau génio da amiga. Eram opostos, mas tinham uma boa relação de amizade.
A Vitória nunca foi uma jovem de muitas paixões, já a Laura teve algumas relações falhadas. Recentemente, Laura apaixonou-se por um antigo colega de escola delas que anda na mesma faculdade que a jovem antipática. Vitória conhecia o rapaz pessoalmente e sempre fazia questão de brincar com a amiga, que nunca achava piada nenhuma ao que Vitória fazia e dizia.
Vitória tinha a paixão de Laura como amigo nas suas redes sociais e sempre dizia à amiga que iria revelar-lhe a paixão que a jovem tinha por ele. Porém, naquele dia, foi a "gota de água" para Laura. Ela estava chateada com as brincadeiras da amiga e a conversa que aconteceu naquela rede social não terminou bem.
– Falei com o Rafael sobre a tua paixão por ele.
– Tu não fizeste isso. – Respondeu-lhe a jovem – Tu sabes que eu não gosto nada dessas coisas, Vitória.
– Eu sei que não, mas alguém tinha que te ajudar.
– Eu não quero ser ajudada! Espero sinceramente que seja uma brincadeira porque se ele amanhã me vier dizer coisas, eu juro que vou vingar-me.
No lado de lá da ecrã do computador, Vitória fez um ar de surpresa.
– Foi uma brincadeira, Laura. – Escreveu – Mas estás a ter uma paixão por ele há algum tempo.
– Deixa a minha paixão em paz se não queres que eu me irrite a sério. Se ele desaparecesse da cidade, era melhor.
A Vitória muda de expressão facial e começa a rir.
– Se ele não deixar a cidade é porque gosta de ti.
– Deixa-te de histórias! Se voltas a tocar nesse assunto, ou a dizer a ele o que quer que seja, eu sou capaz de bater-lhe só para desmentir o que lhe disseste.
A Vitória regressa ao seu ar de espanto. Decidiu terminar a conversa com a amiga, inventando uma desculpa e desligando-lhe o chat, porém continuando na rede social.

O segundo pecado capital será postado daqui a pouco!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.