quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Capítulo 12 (Último)

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários.

Este é o último capítulo de História de uma Adolescente - Parte II, ou melhor dizendo, o fim da estória História de uma Adolescente.

Vocês vão perceber com este último capítulo a razão de eu ter escrito uma segunda parte desta estória após tantos anos. Entendi que necessitavam que a personagem Patrícia se manifestasse mais e que compreendessem mais o objectivo de algumas personagens.
Caso eu queira lançar esta estória em livro, terá obviamente alterações. As duas partes deixarão de existir.

Com este último capítulo vão entender realmente o drama, além do adolescente (que todos não entenderam em nenhum capítulo).

Sem mais demoras, aqui têm o capítulo 12, o último.
Espero que gostem.

Capítulo 12

Algum tempo depois foram os prémios de música adolescente. Nada ainda se sabia da Marta. A Carla e a Raquel fizeram as suas actuações e esperaram pelo resultado final. Anunciaram o terceiro lugar e, de seguida, os dois primeiros lugares.
- Em segundo lugar... - a professora fez suspense – Carla...
A Carla subiu ao palco e agradeceu pelo prémio.
- E o primeiro lugar vai para... Raquel...
A jovem ficou chocada, mas foi ter com a professora para receber o prémio.

Algum tempo depois seria o festival, após o almoço. Todos foram para casa e esperaram por notícias da Marta que ainda não tinha aparecido. Nessa altura, a escola recebe uma chamada do director.
- A minha filha não vai poder ir ao último dia de aulas. Ela teve um acidente de automóvel ao vir para a escola e acabou por... - houve uma paragem do lado de lá da linha – falecer.

Em alguns minutos toda a escola já sabia da triste notícia. A escola decidiu continuar com o festival do 12º ano. A Raquel, ao saber da notícia, decidiu juntar todos na porta da escola.
- Que traje! – Podia-se ouvir de alguns alunos ao entrar no ginásio onde o festival decorria.
A Raquel parecia com um ar carregado ao aproximar-se da Carla, que vinha acompanhada pelo Ricardo, pela melhor amiga Luísa, pela irmã gémea dela e pelo João. O Luís vinha ao lado da Raquel.
- Foi triste. – Começou a Carla a falar.
- Decidi até em nem vir. – Disse a Raquel, com uma voz calma e triste.
- Mas quem criou estes fatos todos foi a Marta, não podíamos deixá-los em casa. Ela não queria isso! – Informou o Luís.
- Ela podia ser um pouco malvada, antes. Não merecia um castigo assim, mesmo assim. – Disse a Raquel.
- Vamos curtir o festival que era o desejo da Marta. Deslumbrar com estes fatos! – Falou a Carla, a sorrir.
A Raquel fez-se abraçar pela Carla e entraram as duas para dentro do ginásio. Os amigos festejaram o fim dos estudos e brindaram as belíssimas roupas que a Marta fez para eles.
Por alguns momentos, o Ricardo ficou parado a olhar para a Carla.
- Vê-se perfeitamente que vais ser uma cantora no futuro! – Elogiou ele.
A Carla trazia um vestido branco com notas musicais espalhadas pelo mesmo.
- Obrigada. Se não fosse a Marta estaria horrível! – Respondeu ela, a sorrir.
O Luís trazia um smoking, igual a um advogado. O João, um fato normal com um casaco castanho e o seu nome numa placa no bolso do mesmo. A Luísa, igual a uma actriz famosa e a Raquel, vestida com um casaco e uma saia castanhas, parecendo uma mulher de negócios. Ela iria seguir algo relativo a negócios, relações internacionais, enfim...
Quanto ao Ricardo, parecia um rapaz "normal".
Os amigos foram se dispersando pelo ginásio, ficando apenas a Carla ao lado do Ricardo.
- Do que é que estás vestido? – Perguntou ela. A curiosidade estava a matá-la.
- De mim mesmo. Comecei a ficar paranóico com isso do futuro. Sei que quero ser modelo, mas não sei mais nada do meu futuro. Depois de falar com o meu pai, percebi que estava a tomar muito cedo decisões. Tenho que fazer aquilo que quero fazer, não o que devo fazer. – Disse ele, citando uma das frases do pai.
- Tens razão! – Concordou ela.
- Apenas quero ser eu. Agora o que vou fazer no futuro, quanto a isso tenho tempo!

No dia seguinte, todos foram ao funeral da Marta. Todos guardaram os fatos que ela tinha feito para eles e até as roupas dos personagens de Shakespeare. Ela podia ser uma rapariga chata e fútil no ano passado, mas isso tudo mudou nesse ano. Talvez tivesse pagado caro pelas suas atitudes no passado. De qualquer das maneiras, a vida era seguir em frente.

E, no fim de contas, a história de uma adolescente era a vida da Marta, e não a da Carla. Como tudo começou, mudou e terminou.

Este é o fim, um fim dramático!

***

Termina aqui o capítulo 12, o último de História de uma Adolescente - Parte II.
Espero que tenham gostado.

Acho que já entenderam a razão de eu ter feito esta segunda parte!
Obrigada a todas as pessoas que leram esta segunda parte e também a primeira.
Esta parte foi com certeza mais madura que a primeira.
Consegui fazer o que queria com as personagens com a concretização desta segunda parte. Diferente de Encontro com o 666, que todos pedem uma segunda parte, esta necessitava de uma melhor "conclusão" da minha parte.
Como puderam reparar, o drama sempre esteve presente.

Obrigada a todos que seguiram esta estória e que ficaram surpresos com a notícia de que haveria uma segunda parte desta estória.

E termina realmente aqui a estória História de uma Adolescente... pelo menos no papel/blogue.

Voltarei em breve para vos dizer qual será a próxima estória. Vou dar-vos tempo para digerirem o final desta. Continuem a votar quem ainda não teve tempo!

Beijos.

22 comentários:

  1. como é que eu não lembrei da morte dela?!
    Ficou muito bom! Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Sério que terminou assim? Eu nunca entendi que a vida era a da Marta desde o início.

    ResponderEliminar
  3. nunca haviamos sequer chegado a essa solução...
    gostámos muito!

    ResponderEliminar
  4. Só sei que acabei de morrer com esse final tão previsivel mas que eu não consegui entender...

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Obrigado por me fazeres de burro. Gostei do final! Nunca pensei que fosse a Marta a personagem principal que dava nome ao título.

    ResponderEliminar
  6. fixe!
    tinha ideia que era com a marta mas só percebi no capítulo anterior.

    ResponderEliminar
  7. ? A sério? Este é o final? Estava tão "na cara"!
    Parabéns! Gostei.

    ResponderEliminar
  8. Ela morreu mesmo :O
    Como é possível eu só ter entendi o objectivo da história neste último capítulo?!
    Parabéns! Gostei muito da história.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  9. Só descobri que a Marta morria no penúltimo capítulo!
    Não entendi esse final antes, mas gostei muito.
    Parabéns por mais uma história feita.

    ResponderEliminar
  10. Fiquei com pena da Marta ter morrido. Ela merecia ser feliz, mesmo com o passado dela.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Fiquei com pena da personagem. Sei que na primeira parte ela era horrível mas mesmo assim, gostei do final. Percebeu-se perfeitamente a sinopse e o título da história.

    ResponderEliminar
  12. como é que não me lembrei da marta?! Ela era a vilã na primeira parte, quem iria lembrar dela?!

    ResponderEliminar
  13. Agora vejo que fui muito burra! hahaha! Gostei do final, mas era tão fácil descobrir! Como é que eu nem vi o título da história?! Parabéns Diana! Que génio!

    ResponderEliminar
  14. Foi um final incrível. Uma capacidade de inverter os papéis das personagens mesmo que isso talvez não fosse a tua ideia na primeira parte da história.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  15. E acabaste de fazer uma história memorável! Percebeu-se o objectivo da sinopse e do título da história. Conseguiste concluir o percurso das personagens como só tu sabes fazer. Gostei da história!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  16. Que final lindo! Agora entendi o título! Nunca foi a história de vida da Carla, foi a história de vida da Marta!
    Adorei o final!
    Parabéns Diana! Mais uma grande história concluída!

    Beijos,
    Juh :)

    P.S - Ainda aguardo uma segunda parte de Encontro com o 666!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.