sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Capitulo 21 e 22

(Observação da autora no dia 18/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "A Escola do Terror III". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" ).


Capítulo 21

Sexta-feira chegou, a turma foi toda para a escola. Tiveram as aulas normais e tudo estava a correr na normalidade. Às 16:30, hora do final das aulas, a Mafalda foi para casa acompanhada pelo Gonçalo. Ela iria despedir-se dele, indirectamente. A vida dela estava a acabar e ela iria despedir-se do rapaz que ela gostava, o Gonçalo.
Assim que o Gonçalo chegou a casa dele, a Mafalda abraçou-se a ele. 
 Adeus! 
O Gonçalo estranhou a sua atitude. 
 O que se passa, Mafalda? 
 Nada, Gonçalo, vim só dizer adeus. 
 Adeus? Um até amanhã é isso que queres dizer, não é? 
 Claro. – Disse ela, a sorrir ligeiramente. 
Houve uns segundos de silêncio. 
 És uma pessoa muito especial para mim, Gonçalo. 
O Gonçalo sorriu. 
 Eu sei, mas porquê tudo isso agora? 
A Mafalda encolheu os ombros. 
 Apeteceu-me. Bem, tenho de ir. 
A Mafalda saiu de casa do Gonçalo e foi para casa dela. Chegou a casa e viu a irmã gémea, Patrícia, no quarto. Foi ter com ela e abraçou-a. 
 O que te deu? – Perguntou a Patrícia, estranhando a sua atitude. 
 Nada, só me apeteceu. 
 Estás bem? – Perguntou, preocupada. 
 Sim. Adeus, maninha. 
 Até amanhã. 
A Mafalda sorriu. 
 Estás com o Luís? 
 Não, ele teve problemas com a Inês e decidi acabar com ele. 
 A Inês não o merece. Ela tem o Diogo. O Diogo gosta dela. 
 O que te aconteceu, Mafalda? 
 Nada. Bem, adeus maninha. 
 Adeus, Mafalda. 
A Mafalda voltou-se de costas para a irmã e fez um sorriso triste, a irmã não lhe tinha chamado pelo parentesco, mas sim pelo nome e isso entristecia-a. 
O final da Mafalda estava a aproximar-se?

Capítulo 22

No dia seguinte, Sábado, a Juliana estava a passear na rua perto da casa da Carolina quando houve um barulho na garagem. Quando foi ver, reparou que o Ricardo estava com a professora de E.F, Isaura, e esta estava morta. A Juliana arrepiou-se e entrou disparada pela garagem dentro. 
 Ricardo, o que é que fizeste? 
 Juliana! Eu matei a professora. 
 Como? 
 Com faca. – Disse ele, fazendo malabarismos com o objecto. 
 Eu sou tão parva, devia ter ficado de olho em ti. 
 Querida, sabes que não consegues. 
 És um estúpido! Vou matar-te! – Disse ela, batendo-o. 
 Calma! 
O Ricardo beijou-a. A Juliana deu-lhe um estalo. 
 Considera-te morto. 
E dizendo isto saiu da garagem...

***

A caminho de casa e a passar por uma garagem abandonada, ela ouve alguém chorar. Com uma curiosidade enorme, decide ir ver e é então que encontra a Mafalda amarrada e ferida. Vendo aquela cena apavorada ficou sem reacção. A Juliana paralisou. O choro da Mafalda despertou os sentidos da colega de grupo fazendo com que ela fosse a correr ter com a rapariga e ajoelhar-se à frente dela. 
 O que se passa, Mafalda? – Perguntou a Juliana, apavorada. 
 O... meu... fim está... a chegar. – Respondeu a Mafalda, fazendo breves paragens esforçando-se por respirar. 
A Juliana pegou no telemóvel que estava no seu casaco e reparou que este não tinha rede. 
 Mafalda eu venho já, vou ligar ao Gonçalo, aguenta. 
A Mafalda não queria que a Juliana o chamasse, mas não tinha forças para falar.


Fim dos Capítulos 21 e 22.

20 comentários:

  1. Adorei.
    Posta logo.

    Beijos,
    Natasha Alyosha.

    ResponderEliminar
  2. tá giro.
    a mafalda a despedir-se?nao lhe vai acontecer nada pois não?

    ResponderEliminar
  3. Adorei.
    Tadinha da Mafalda.

    Posta logo.
    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  4. gostei.
    coitada da mafalda.

    ResponderEliminar
  5. Meu Deus, os dois capítulos estão PERFEITOS !
    Posta Logo!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.