quinta-feira, 26 de abril de 2018

O Irreal Prazer

Olá, Pessoal!
Deixo-vos aqui o meu segundo texto para o Desafio dos Sete Pecados Capitais: a Luxúria.

AVISO: Esta é a segunda parte de uma série de sete pequenos textos.

O Irreal Prazer

Laura sorriu ao sentir dedos masculinos a colocarem-lhe um colar com a inicial "R" no seu pescoço. O rapaz ofereceu-lhe um presente. Um lindo colar com a sua inicial. Um R. De Rafael.
O Rafael tinha convidado a Laura dias depois pelas redes sociais para um jantar. A jovem estava realmente surpreendida e ansiosa. Nada falou à amiga Vitória depois da pequena discussão que as duas tiveram nas redes sociais.
Deixou-se ser levada de automóvel até casa dele e ambos se deslocaram até ao quarto dele.
Calmamente, ele admirou a sua companheira. Estava linda com um longo vestido preto.
Ele puxou-a para perto dele e ela, de forma automática, deslocou as suas mãos pelos ombros dele. Não estava nervosa. Estava ansiosa. Por muito tempo esperava por isso.
Os lábios deles tocaram-se. Ela sentiu uma onda de energia passar pelo seu corpo, enquanto sentia as mãos másculas dele passarem pelas suas costas e abrirem-lhe o vestido de forma lenta. Ela sentiu-se nua em alguns segundos. Estavam menos de quinze graus na rua, mas, dentro do quarto, Laura sentiu-se a ferver. Deveria ter ficado gelada, comparando aos dias frios no seu quarto em que se ficasse com um pé de fora já sentia um frio apoderar-se dela, contudo naquele quarto ela sentia-se quente.
Eles afastaram-se por alguns centímetros e o vestido dela caiu até aos pés. Ele sorriu para ela e sussurrou-lhe um "linda".
Ela não podia acreditar que ele tinha a beijado. Era um sonho. Não era real.
Ele encaminhou-a até à cama e deitou-a. Ele ficou por cima dela, apoiando-se num dos braços para não a magoar com o seu peso.
Beijaram-se novamente. Ela levou os seus braços até à bainha da camisa dele e levantou-a.
Um toque de despertador começou a soar. Uma mão foi até ao objecto, desligando-o.
O que tinha acabado de acontecer? Era de noite.
Não, não era. Tinha sido. Agora era manhã e hora da Laura levantar-se da cama. A sua cama. Tinha sido um sonho. Tinha sido tudo irreal.
Ela tinha apenas sonhado com a sua paixão durante o seu sono.
Laura respirou fundo, desiludida. Parecia tudo tão real.

Os próximos pecados capitais serão postados amanhã.

Espero que tenham gostado destes dois primeiros!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.