domingo, 5 de novembro de 2017

As perguntas e respostas do dia do lançamento

Olá, Pessoal!

Deixo aqui também as vossas perguntas e as respostas (mais curtas do que respondi na noite anterior) quanto ao livro "Encontro com o Passado".



1- Porque alteraste o título da versão livro de Encontro com o 666?
R: Porque o tema principal na versão blogue era descobrir o culpado dos crimes, na versão livro é o encontrar o passado. As personagens Patrícia e Diana vão regressar à escola.

2- O que mais te inspirou para escrever o livro?
R: Os meus colegas de turma.

3- O que achas que é mais importante neste livro: trama ou personagens?
R: Sem as personagens, a trama/enredo deixa de fazer sentido. Sem boas personagens não há um bom enredo/trama.

4- Qual foi a parte que mais demoraste para escrever e qual foi a parte que mais te emocionaste a escrever?
R: A que mais demorei foi tentar resolver as razões do assassino, a ligação dele com o livro anterior. A que mais me emocionei foi o reencontro entre as personagens do livro anterior: Patrícia, Diana, Sofia, José, Bernardo e Gonçalo.

5- Como foram criados os nomes das personagens “Fantasia dos Prazeres”, “Desejos Proibidos”, Carolina e Diogo Sagres?
R: Desejos Proibidos não lembro ao certo, mas como a personagem estava num ramo proibido saiu, então, desejos (relativo a sexualidade) e proibidos. Carolina e Diogo Sagres são personagens com problemas com a bebida. Sagres é o nome de uma cerveja em Portugal. Ficou Sagres o apelido deles. Já Fantasia dos Prazeres não fui eu que a criei, foi uma colega de turma minha, e, tal como ela me respondeu e eu disse na noite do lançamento, é o "nome gerado pelos encantos da fantasia, nos subúrbios da imaginação perversa".

6- Se te propusessem reescrever a história noutro género literário, que género escolherias?
R: Comédia, porque é o género que também está no livro. Escrevia uma história parecida com os filmes Scary Movie. Terror misturado com comédia.

7- Tens algum método de escrita? Algum género de horário para escrever? Como é a tua rotina de escrita?
R: Não tenho horário, mas sempre que escrevo tenho que ouvir música. E ouço de tudo um pouco.

8- Sabe-se que o português de portugal é, apesar de ser o mesmo idioma, diferente do falado no Brasil. Eu que sou brasileiro vou sentir dificuldade ao ler o seu livro?
R: Penso que não. Uso muito a palavra "rapariga", que em alguns estados no Brasil é uma mulher "fácil", mas penso que é de bom entendimento.

9- Tiveste dificuldade a escrever qualquer uma das versões?
R: Sim. Quanto ao assassino, principalmente.

10- As personagens são realmente parecidas com os teus colegas de turma?
R: Quanto à forma de agir e pensar são iguais, mas têm aquela ficção do policial e mistério.

11- Diz algumas curiosidades ou capítulos que escreveste que não colocaste na versão final?
R: Pensei em matar a Patrícia em vez da Mafalda no final do livro "A Escola do Terror" (algo que vocês, leitores, já imaginavam), tinha ideia de matar três personagens no livro "Encontro com o Passado", no prólogo decidi colocar a personagem Márcia ou a Mafalda, mas na primeira opção iria irritar os leitores e na segunda opção o prólogo iria tornar-se muito "pesado" em termos de drama. Decidi então criar uma nova personagem.

Espero ter respondido bem a todas as perguntas!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.