AVISO...

Olá Pessoal!

Já avisei na Página do Facebook e decidi avisar no blogue também.

Na página Livros têm os links onde poderão comprar o livro "A Escola do Terror".


Aviso mais uma vez que tem alterações ao que está no blogue!


Obrigada.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Capítulo Adicional de "O Que Espero Encontrar" (Desafio de Junho)

Olá, Pessoal!
Tal como falei em posts anteriores, esperei pelo Desafio de Junho da Página Ficwriter Facts.

O Desafio de Junho consistia em escrever uma oneshot (história/estória com apenas um capítulo) de género romance.

Como, quem lê o que escrevo, sabe que eu não sou a melhor pessoa a escrever coisas de género romance, lembrei-me de escrever um capítulo adicional de uma das minhas histórias em que "incorporei" algum romance "ligeiro" (e que, como sabem, não terminou bem no final).
Após perguntar aos responsáveis pelo desafio e ser-me dada a possibilidade de o fazer, decidi escrever isso para ser-me mais fácil.

O projeto que escolhi foi "O Que Espero Encontrar", que foi escrito em 2012 e postado no blogue em 2014.

Alguns leitores não gostaram do desfecho das personagens Felipe e Natasha (que terminaram juntas) e não gostaram que as personagens Marisa e Gustavo ficassem separadas.

Decidi "pegar" num desses casais e fazer um desfecho que ficasse melhor.

Sem mais demoras, deixo-vos, então, o resultado final.

Informações:
- Para o Desafio de Junho da página Ficwriter Facts
- Título: O Que Encontrei
- Sinopse: Três anos passaram e muita coisa mudou na vida de Gustavo. Marisa regressou ao país, mas não voltou para os braços do ex. Atraiçoou a melhor amiga Natasha e namorou com Alexandre. Os dois namorados viajaram para outro país juntos. Já Natasha e Felipe continuaram um casal, revelando a todos que sempre gostaram um do outro. Recentemente, Marisa regressou a Portugal para visitar a mãe. E, consequentemente, voltou a reencontrar Gustavo.

Cabeçalho de "O Que Espero Encontrar"
Marisa chegou a casa da mãe com duas malas de viagem. Não vinha acompanhada por Alexandre. A agora mulher tinha feito a viagem sozinha. Fechou a porta de casa e chamou pela mãe.
Não recebeu qualquer resposta e olhou para a casa com mais atenção. Estava tudo no mesmo sitio. A mãe não tinha alterado nada na casa desde a última vez que a viu. Arrumou as suas coisas no quarto que sempre foi dela (e em que nada foi mudado) e saiu de casa.
Caminhou por algumas ruas. Ela estava decidida a visitar uma pessoa. Uma pessoa que desiludiu há três anos. Chegou à casa e tocou à campainha. Alguém abriu-lhe a porta segundos depois.
- Natasha? - Perguntou Marisa, vendo a ex melhor amiga do outro lado da porta.
Natasha parecia surpresa com a visita da antiga amiga.
- Maris?
A alcunha de Marisa nunca tinha mudado.
As duas abraçaram-se, emocionadas.
- Entra. - Pediu Natasha, dando passagem.
Marisa entra em casa e vê Felipe sentado no sofá a olhar para ela. O rapaz também parecia surpreendido. Levantou-se do sofá e cumprimentou Marisa.
- O que estás aqui a fazer? - Perguntou Felipe.
- Vim visitar a minha mãe e vocês. Acho que vocês mereciam uma explicação depois de ter regressado, começado a namorar com o Alexandre e ir embora novamente.
- Poderias ter-me avisado que tinhas começado a namorar com o Alexandre, naquela altura. Não iria ficar chateada, Maris. Aliás, eu não estou. Mas podia ter descoberto isso por ti e não pela Joana. - Disse Natasha.
- Ainda falas com a Joana? - Perguntou Marisa a Natasha.
- Não. Perdi contato depois da escola. Também não queria manter contato com ela. - Natasha fez uma pausa - Mas contigo sempre quis.
Marisa baixou a cabeça.
- Desculpa.
Houve um momento de silêncio. Um silêncio constrangedor. A Natasha percebeu e retomou a falar.
- O Edson não está aqui. Na verdade, não está cá em Portugal.
- O que aconteceu? – Perguntou a Marisa, levantando novamente a cabeça, preocupada.
- Ele foi trabalhar para fora. Sabias que ele queria seguir uma área com pouca saída em Portugal, certo? Deves lembrar-te disso. E então... bem... teve uma oportunidade e não a desperdiçou. Ele só voltará no Natal.
A Marisa afirmou com a cabeça, entendendo.
- Vieste com o Alexandre? – Perguntou a Natasha.
A Marisa abanou a cabeça.
- Não. Nós terminámos. Foi complicado.
- Ainda gostas dele? – A expressão facial da Natasha não revelava incómodo.
A Marisa encolheu os ombros.
- Não sei. Acho que ficaram coisas por resolver, mas foi o fim. Penso eu.
- Ele sabe que estás aqui?
- Sim, ele sabia que eu vinha para cá.
- Visitar a tua mãe?
- Sim, mas não só ela. Vocês também.
Houve uma pausa. A Marisa continuou.
- Natasha, ele não te traiu, se é que querias uma explicação daquela altura.
- Ele pediu-te para me dizeres isso? – A jovem não se revelava chateada nem incomodada.
- Não. Eu é que ouvi da boca dele a sua versão. E a realidade. Mas ele sabia que tu não te tinhas afastado dele por causa dessa possível traição. Afastaste-te porque gostavas do Felipe.
- Sim, é verdade. – Respondeu a Natasha, respirando fundo.
- Acho que o Gustavo merece uma explicação. - Interrompeu o Felipe, que tinha estado calado durante toda a conversa das duas.A Marisa olhou para o antigo amigo.
- Eu sei. - Falou ela, baixo.
- Ele está cá em casa. Foi fazer pipocas na cozinha. - Avisou a Natasha - Está na hora de resolveres as coisas com ele. Foste-te embora sem nenhuma explicação.
A Marisa afirmou com a cabeça e caminhou lentamente para a cozinha. A casa da antiga amiga ainda parecia semelhante ao que era da última vez que a viu. Alguns objetos diferentes na casa, mas as paredes estavam intactas.
Chegou à cozinha e viu o Gustavo de costas para ela a preparar as pipocas. Ela respirou fundo antes de chamá-lo.
- Gustavo.
O rapaz virou-se para ela, com rapidez. Talvez julgando ser a Natasha. Pareceu levar um susto quando viu a ex namorada.
- O que estás aqui a fazer? - Perguntou ele, frio.
- Vim visitar a minha mãe, a Natasha e vocês.
- Podes dar meia volta e sair. Não fizeste falta depois do primeiro ano sem ti.
- Eu sei que fui-me embora sem te dizer nada.
- Vieste, então, fazer o quê aqui?
- Pedir desculpa. - Respondeu ela. A resposta fez ele calar-se, por breves segundos.
- Eu sei que errei, Marisa. Eu sei que não fui o melhor namorado para ti naquela altura. Antes de te ires embora. Mas não merecia que tivesses ido embora com o Alexandre. Basicamente fizeste o que eu te fiz no passado.
- Eu sei. Na última vez que me viste deste-me rosas e eu deitei-as ao chão para morrerem. Já eu, tenho na memória a tua traição com outra rapariga no teu quarto.
O Gustavo afirmou com a cabeça.
- Então, eu estou aqui a engolir o meu orgulho e a pedir desculpa. A pedir desculpa por aquele dia. Ultimamente, não tenho conseguido dormir. O peso na consciência é grande. Tenho ficado acordada lembrando-me de como fui embora.
- O Alexandre sabe que estás a fazer isto?
- Terminámos.
- Traição?
Ela abanou a cabeça.
- Ele teve uma oportunidade noutro país. Queria ir comigo, mas eu escolhi voltar para Portugal.
- Escolheste terminar a relação com ele e voltar para Portugal?
- Sim.
- Tinhas o Alexandre. Por que escolheste estragar um futuro com ele?
- "As oportunidades podem ser muitas na vida, mas apenas nós temos que decidir qual delas escolher primeiro". "A vida pregou-me partidas e escolhas". (N/A: Frases da sinopse de "O Que Espero Encontrar"). Escolhi o melhor para mim.
Ele afirmou com a cabeça.
- Vais ficar?
- Sim.
- Bem vinda de volta. - Disse ele, sorrindo levemente.
- Se a tua porta estiver trancada, eu entendo. - Falou a Marisa, séria.
- Está entreaberta. Também tenho de fazer as minhas escolhas. - Respondeu ele, sorrindo.
A Marisa sorriu também.
Os dois pareciam ter encontrado um futuro sorridente.


Aqui está o capítulo adicional de "O Que Espero Encontrar", com o nome de "O Que Encontrei".
Deixei, mais uma vez, um final aberto.
Fica a vosso critério se Gustavo e Marisa devem ficar juntos ou não.

sábado, 17 de junho de 2017

"O Que Espero Encontrar" - Capítulo Adicional

Olá, Pessoal!
Já tinha informado na Página de Facebook, mas também aviso aqui no blogue.

Irei postar um capítulo adicional do projeto que escrevi em 2012 e postei no blogue em 2014, "O Que Espero Encontrar".
Para quem leu e não gostou do desfecho das personagens, irei escrever um novo final.

Cabeçalho de "O Que Espero Encontrar"
Aconselho a reler o projeto caso não se lembrem das personagens.

Talvez na Segunda-Feira, 19 de Junho eu já poste esse "novo final".

Aguardem!

terça-feira, 6 de junho de 2017

Desafio de Maio

Olá, Pessoal!
Tal como falei, deixo-vos aqui as cartas que escrevi para o Desafio de Maio, pela ordem correta.

Regras do Desafio:
- Escrever sobre a estação do ano em si, uma cena ambientada nela, uma songfic com uma música que te lembre a estação.
Limite mínimo de 300 palavras.

O que decidi escrever:
- Um envio de cartas de uma descendente de portugueses a uma amiga no Brasil. A jovem foi estudar para uma faculdade em Portugal.
OBS: Como é enviado de Portugal, as datas estão de acordo com as estações do ano do hemisfério Norte.

Cartas:

1ª carta: 
- Estação do ano: Outono.
Data: 20 de Setembro de 2013
Título: A Emigrante.
OBS: No Desafio foi a segunda estação do ano a ser pedida.

2ª carta:
- Estação do ano: Inverno.
Data: 2 de Janeiro de 2014
Título: Um Inverno Festivo.
OBS: No Desafio foi a terceira estação do ano a ser pedida.

3ª carta:
- Estação do ano: Verão.
Data: 10 de Agosto de 2015
Título: Um verão (nem sempre) bonito.
OBS: No Desafio foi a primeira estação do ano a ser pedida.

4ª carta:
- Estação do ano: Primavera.
Data: 13 de Maio de 2017
Título: O Final de um Ano.
OBS: No Desafio foi a última estação do ano a ser pedida.

E aqui está o Desafio de Maio todo explicadinho!
Espero que tenham gostado.

Ficarei a aguardar o Desafio de Junho da página que já conhecem, Ficwriter Facts.

Desafio de Abril (Parte 2)

Olá, Pessoal!
Deixo aqui as minhas respostas para o Desafio de Abril da página Ficwriter Facts.

Parte 1 Aqui.

Créditos a Ficwriter Facts

Desafio de Abril era sobre drabbles, aquelas histórias curtas com mínimo de 100 palavras e máximo de 200.

AVISO: Participei até ao último dia.

Dia 5: Família

"A Sandra sentiu frio quando saiu de casa e dirigiu-se para o carro. Estavam perto de 10 graus àquela hora da manhã. A jovem ouviu a irmã assim que entrou no calor acolhedor do carro.- Por tua causa vamos chegar atrasadas.
- Se chegássemos a culpa seria tua que não te preparaste cedo.
A Marta não conseguia irritar a irmã com a sua falta de pontualidade.
- Vai ser estranho ver-te na escola.
- Eu era aluna.
- Tu já foste aluna. O teu português está péssimo.
- Para quem é católica, adora falar dos erros dos outros. – Respondeu Sandra, à altura.
- É gosto muito, não é adoro. – Advertiu Marta.
- As palavras são sinónimas.
- És horrível!
- Somos irmãs. Está no sangue de ambas. Está bom para ti este português?! – A Sandra já brincava com a situação enquanto a Marta continuava chateada com o erro da irmã.
- Gostava de ter resposta rápida como tu.
- Devias ter tomado atenção às aulas de Filosofia. Os professores dessa disciplina ensinam uma coisa chamada retórica. É uma disciplina que vais precisar para a tua vida futura. Uma das poucas.
A Marta só revirou os olhos."

- Esta drabble até foi fácil, embora ter ficado pensativa durante alguns minutos em busca de ideias.

Dia 6: Amizade

"- O que tu fizeste foi ridículo!
- Mas querias que eu fizesse o quê? Que mantivesse um segredo ridículo quando estamos à procura de um assassino?
O João não respondeu e o Hélder continuou.
- Tu sabes como eu sou: distraído, um pouco idiota. Somos colegas. Eu admito que sou assim e tu sabes bem. Eu não me veria a trabalhar com mais ninguém sem ser contigo. Confio em ti para tomar as grandes decisões porque já nos conhecemos há muito tempo. Tenho uma sorte enorme por te ter conhecido.
O João sentiu os olhos húmidos graças às palavras do seu colega e amigo.
- Eu sei, eu sei. Eu também sinto o mesmo. Tu foste e és um grande colega e amigo. Às vezes ages sem pensar, é verdade, mas és tu e isso nunca irá mudar... – Ele fez uma breve pausa – E agora vamos parar com isto e voltar a ter cabeça para o caso.
- O nosso fofo assassino!
O João riu-se. O Hélder nunca mudou e nunca irá mudar. Às vezes o agente questiona-se como é que o colega conseguiu ser polícia. Pelo menos arriscar ele arrisca, uma qualidade para um agente."

- Eu declarei este dia como uma tentativa falhada de escrever uma drabble com este tema. Isto é amizade, mas, nos tempos que correm, poderia sugerir uma relação homossexual. Fica a vosso critério!

Dia 7: Uma cena que represente algo que você já viveu como escritor(a)

"A minha família decidiu socializar na sala e eu decidi ir para o meu quarto escrever. Sentei-me perto da secretária, peguei numa caneta e comecei a escrever. A inspiração estava a seguir o rumo certo e eu escrevia sem parar. Minutos depois, ouço passos perto do quarto. O meu pai entrou a perguntar pelos fones. Levantei-me da cadeira, peguei nos fones que estavam numa caixa perto da cama e entreguei-lhe.
Voltei-me a sentar na cadeira e retomei a escrita.
Segundos depois foi a minha mãe a entrar no meu quarto.
- Tens a revista desta semana contigo?
- Sim. Queres? – Perguntei, já a perder a paciência.
Ela afirmou e eu levantei-me novamente da cadeira, peguei na revista e dei à minha mãe. Ela saiu do quarto e eu voltei a escrever.
Minutos depois, o meu cão apareceu. Fiz de conta que não o vi a entrar no quarto e continuei a escrever. Ele ficou a olhar para mim, pressionando. Respirei fundo antes de olhar para ele.
- O que queres?
Ele só ficou a olhar para mim.
Levantei-me da cadeira e levei-o à rua. Já satisfeito, voltei ao quarto e sentei-me. Nesse momento, a inspiração desapareceu..."

- Esta foi simples demais. Só descrevi o dia a dia!

E foi assim o Desafio de Abril.

sábado, 27 de maio de 2017

O final de um ano

Informações:
- Para o Desafio de Maio;
- Título: O final de um ano


13 de Maio de 2017

Lisboa, Portugal

Hoje é dia da Nossa Senhora de Fátima, a conhecida santa em Portugal (e que o Brasil conhece). Hoje completa-se cem anos das aparições de Fátima e Portugal recebe a visita do Papa Francisco. As minhas aulas também estão prestes a terminar e, em breve, voltarei para o Brasil. Não digo que não tenha saudades de regressar, mas gostei muito de viver em Portugal estes poucos anos para estudar (mesmo que estivesse mais interessada nas estações do ano, do friozinho que Portugal tem, do pouco calor insuportável que o país tem comparativamente ao Brasil).
Como sabes em cartas anteriores que te escrevi, Portugal está, neste momento, na primavera. Há uma semana tive que fazer um trabalho na faculdade sobre esta estação do ano (não me perguntes porquê). Sabes do que eu me lembrei?!
"Eu vejo as árvores verdes, rosas vermelhas também. Eu vejo-as florescer para mim e para ti. Eu vejo os céus tão azuis e as nuvens tão brancas. O brilho abençoado do dia e a escuridão sagrada da noite. As cores do arco-íris, tão bonitas no céu estão também nos rostos das pessoas. Vejo amigos apertando as mãos, dizendo: "Como vais?" quando realmente eles estão a dizer: "Eu amo-te". Eu ouço bebês a chorar, eu vejo-os crescer. Eles vão aprender muito mais que eu jamais vou saber.
E eu penso comigo, que mundo maravilhoso.
Sim, eu penso comigo, que mundo maravilhoso."
Alguma ideia do que eu escrevi?
É melhor responder agora antes que morras enquanto esperas pela minha resposta numa nova carta (que eu acho que não irei escrever porque em breve estarei no Brasil). Escrevi a tradução da letra da música de Louis Armstrong, "What A Wonderfull World". Sempre que eu penso na primavera, penso nesta música, logo foi a primeira ideia que eu tive e usei exatamente esta música no meu trabalho. Podia ter falado mal da primavera, como alguns colegas meus o fizeram, mas gosto da estação. Claro que é péssimo para quem tem as alergias primaveris por causa do pólen, mas eu não tenho razões de queixa da primavera.
Enfim... eu vou regressar ao Brasil em breve e, provavelmente, não terei tempo para te escrever mais. Comigo levarei algumas fotografias dos anos que passei em Portugal enquanto estive aqui a estudar. Talvez dentro de alguns anos possamos viajar as duas para este país maravilhoso.

Vemo-nos em breve, amiga.
A tua amiga brasileira descendente de portugueses,
Vanessa.

- Termina aqui o Desafio de Maio!
Em breve criarei um post com as quatro cartas que eu escrevi para este Desafio, tudo por ordem.

sábado, 20 de maio de 2017

Um Inverno Festivo

Informações:
- Para o Desafio de Maio;
- Título: Um Inverno Festivo


2 de Janeiro de 2014

Lisboa, Portugal


Hoje escrevo-te porque fiz uma pausa nos estudos devido à época festiva. Aí deve estar um calor insuportável. Aqui está um frio insuportável. Mas acho que vou habituar-me depressa a conviver com o frio nesta altura do ano. Acho que estar no inverno na altura do Natal é mágico, diferente do Brasil em que as pessoas passam a passagem do ano nas praias. Acho que em Portugal é tudo mais brilhante e diferente. Os noticiários passam notícias de que as crianças na Serra da Estrela estão a criar bonecos de neve. São brincadeiras que nunca pensei ver. No Brasil é completamente impossível ver isto acontecer.
Acho que é melhor ter inverno no Natal que o verão. Sabe melhor estar no calor dos cobertores e com pantufas numa noite de frio à espera pelo pai natal do que estar um calor infernal e estarmos na piscina de casa a ver se o "papai noel" vai chegar com os presentes.
Também tem mais uma coisa boa termos o inverno no Natal. Em Portugal, o ano letivo não termina em Dezembro, ou seja, se o ano escolar correr mal temos mais uns meses para melhorar, diferente do Brasil em que o estudante fica logo com o Natal completamente estragado.
Em Lisboa não costuma haver muita neve, mas, neste ano, parece que São Pedro pensou em mim e fez o cidade nevar (nem que fosse por um bocadinho). Gostavas de ter visto a minha cara! Parecia uma criança a ver neve pela primeira vez (não que fosse mentira)!
Claro que o inverno tem as suas desvantagens (não iria apenas falar-te das coisas boas, senão irias querer viver no hemisfério norte para sempre). Uns dias antes do Natal apanhei uma gripe em que tive que ficar de cama. Perdi algumas aulas, mas o melhor é que já estou como nova. Não te escrevi nessa altura a avisar porque até os olhos me doíam. Em Lisboa, as temperaturas rondavam menos de dez graus. Ainda hoje não subiram e não devem subir até à próxima semana. Está realmente muito frio.
Recebi no Natal um livro que faz todo o sentido ler nesta estação do ano. Tem o nome de "O Boneco de Neve" e é do autor norueguês Jo Nesbø. O livro é de policial e é passado na fria e pálida Noruega (deu para entender a semelhança, mesmo que a Noruega seja um país mais frio que Portugal). Ainda não comecei a lê-lo, mas pretendo fazê-lo em breve enquanto o inverno continua (se a faculdade me deixar).
E com isto me despeço porque tenho que estudar.
Até breve!

- Mais uma continuação das duas cartas anteriores que fiz para o Desafio deste mês. Vejam as datas para entenderem melhor!

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Oito anos de blogue (17/05/2009)

Olá, Pessoal!
Hoje venho aqui por um motivo muito especial. Hoje o blogue está a completar 8 anos.

Quem diria que eu chegaria até aqui, que hoje eu estaria a comemorar 8 anos de blogue, 8 anos que me dedico a isto.
Foram tantas conquistas, tantos projetos... um livro...
Estou muito feliz por tudo isso!
O blog depois de um tempo só cresceu e eu devo isso tudo a vocês, que estão sempre comigo que nunca me abandonam mesmo quando fico tempos e tempos desaparecida. Agradeço por nunca me abandonarem. 
O blogue só me trouxe coisas boas e amigos maravilhosos que estão sempre comigo.
Obrigada por tudo e espero que esses 8 anos se multipliquem por muitos e muitos outros anos.



Beijos.

sábado, 13 de maio de 2017

Desafio de Abril (Parte 1)

Olá, Pessoal!
Deixo aqui as minhas respostas para o Desafio de Abril da página Ficwriter Facts.

Créditos a Ficwriter Facts

O Desafio de Abril era sobre drabbles, aquelas histórias curtas com mínimo de 100 palavras e máximo de 200.

AVISO: Participei até ao último dia.

Dia 1: Cena de Romance

"Tinha marcado um jantar com o Afonso. Confesso que, enquanto olhava para ele discretamente, imaginava ser abraçada pelos seus masculinos braços, ser acariciada nos cabelos e ser agarrada pela cintura. Meu Deus! Eu estava atraída por ele. Eu sonhava com o Afonso, mas... eram apenas sonhos.- Gabriela? – A voz dele a chamar-me afastou-me dos meus pensamentos. Ele estava a olhar com um ar confuso.
- Desculpa.
No fim do jantar voltámos até ao carro dele onde ele levou-me a casa. Foi aí que eu fiz a pergunta que não calava na minha cabeça.
- Tens namorada?
- Não, Gabriela. Estás interessada? – Senti-me a ficar quente.
- Não. – Comecei a rir como uma idiota – Claro que não. – Ele também se riu.
- Claro que não?! Sou feio!
Mas o que raio estava a acontecer?! Dizer que estava atraída por ele na primeira saída iria parecer que era uma desesperada.
- Gostei do nosso jantar. – Falou ele, quando estacionou o carro. –Também fiquei interessado, mas deixamos isso para um segundo jantar.
Despedi-me dele com um beijo na bochecha sem dizer mais nada, mas tinha "viajado" completamente para o outro mundo."

- Este primeiro dia foi difícil e não sabia por onde começar. Acabei por me basear num projeto que estou a escrever de momento (não posso revelar pormenores).

Dia 2: Cena de Drama

"A Cátia estava a falar com a sua amiga Rafaela. Estavam a falar do Nuno que tinha terminado com ela para ficar com a Tânia. A Cátia já sabia que isso iria acontecer, mas não sabia que iria ser tão cedo. Mostrou uma arma à amiga assim como um teste de gravidez. A amiga ficou a olhar para ela à procura de uma explicação.- A arma veio do meu primo. Ele é um bandido. Eu não tenho medo de usar esta arma se for necessário.
A Rafaela ficou chocada.
- Isto está a ficar perigoso, Cátia. Foi o Nuno que quis ficar com a Tânia.
- Não. Ela também tem culpa no cartório.
A Rafaela olhou para o que estava na outra mão da amiga.
- E o teste de gravidez. É para quê?
A Cátia olhou para o teste e desabou a chorar.
- Eu estou grávida, Rafaela, estou grávida do Nuno."

- Este dia já foi bastante fácil de escrever. Tal como no dia 1, baseei-me num projeto que estou a escrever.

Dia 3: Cena de Comédia

"- Não acredito!
O grito de jovem tinha alcançado uma boa parte da escola. Toda a gente olhava para a loira. O que se teria passado?
- O que se passa?– Perguntou Fernanda, uma das amigas da loira.
- O meu irmão está ali! – A resposta dela causou um erguer de sobrancelhas aos restantes alunos. A loira aproximou-se do irmão.
- O que estás aqui a fazer?
O rapaz alto e com um cabelo meio aloirado olhou para ela de cima a baixo.
- Um grito. Bela forma de saudar um irmão! – A loira ignorou a ironia dele.
- O que é que estás aqui a fazer? Não tinhas reprovado?
- Por isso mesmo estou aqui. Foi a forma que os nossos pais acharam de me castigar. E olha que acertaram bem. Vou estar na mesma turma que tu.
O ar da jovem ficou ainda mais assustador. A loira estava apavorada. Os adolescentes não estavam preparados para uma segunda explosão de Benedita. Cada um foi para o seu lado."

- Este dia também foi bastante complicado e não sei se consegui fazer uma boa drabble. Enfim... Acho que este foi o pior dia.

Dia 4: Cena de Terror

"A Natália recebeu a chamada da Larissa a informar-lhe que o assassino deveria ser alguém da família da Matilde. A Natália saiu da sua casa, onde estava a trabalhar, a investigar os alunos um por um, para ir a casa da Larissa falar-lhe do que ela achava sobre o caso. Trocar impressões e ideias. A amiga ouviu todas as ideias da agente, atentamente.- Sabes que pode ser realmente alguém da família da Matilde a fazer isto e não um simples filme. Claro que a família dela pode ser um bando de psicopatas, mas não acredito que seja apenas isso. Um filme.
As suposições da Larissa ficaram na mente da agente.
- Sim, eu sei. Também não descartei a hipótese inicial. Todos os alunos que eu já investiguei não têm parentesco com a Matilde. Só pode ser um psicopata da família dela que se tornou obcecado pelo filme e tenta matar todos os alunos.
- Ou não é alguém da família da Matilde.
- Onde queres chegar?
- Talvez seja a própria Matilde.
- Como assim? Ela está morta.
- Exatamente isso. A própria Matilde."

- O melhor dia com que me deparei neste Desafio. Foi bastante fácil escrever esta drabble.

A Parte 2 será postada em breve!

A Emigrante

Informações:
- Para o Desafio de Maio;
- Título: A Emigrante.


20 de Setembro de 2013

Lisboa, Portugal

Já faz mais de um mês que estou em Portugal. Gosto do país, as pessoas são simpáticas, a educação é melhor que no Brasil... É mais exigente, é certo, mas é melhor!
Faz já alguns dias que comecei a estudar. A faculdade à primeira vista parece boa. Os colegas são simpáticos e têm me acolhido (eles já sabem que eu sou emigrante, na verdade sabem que sou descendente de portugueses).
Comecei a estudar em tempos mais frios já que aqui no país no mês de Setembro é outono, diferente do Brasil. A diferença é que no Brasil o aluno começa os estudos em Fevereiro, o que faz lembrar "novo ano, vida nova". Mas começar a estudar na altura do Carnaval também não é a melhor coisa! Mas para quem gosta desta época festiva, o Brasil é o pioneiro (Portugal não celebra o Carnaval e se celebrar faz as festividades igual ao Brasil, samba e carros alegóricos).
Começar os estudos no outono é bom para mim, porque o estudante começa as aulas saindo do verão, ou seja, acabam os festivais, não há feriados nem dá para pensar no Natal ou na passagem do ano. Diferente do que acontece no Brasil. Aliás, a próxima época festival em Portugal é só mesmo em Dezembro com o Natal.
Além disso, nunca gostei do verão. Nunca deveria ter nascido no Brasil. Mas isso já todos os que me conhecem sabem!
O outono é a minha estação do ano preferida e as razões são várias. O outono faz-me lembrar a cor castanha (uma cor que eu gosto), e, logo de seguida, castanhas, que é algo que se vende muito em Portugal nesta altura do ano. Além disso, gosto de pisar as folhas secas que caem nas ruas. O som do estalar, das folhas a rasgarem-se é música para os meus ouvidos.
Sem falar das roupas quentes. Os casacos, as pantufas, coisas quentinhas para aquecer. As roupas para o outono/inverno são as minhas favoritas.
Enfim... já deu para entender o quanto eu gosto do outono.
Voltarei a escrever em breve (se/enquanto a faculdade me deixar)...

Até breve!


- Antes de terminar o post, avisei que era provável que o texto que fiz para o verão tivesse "continuação". Ora bem, aqui está a continuação. Todas estas cartas têm principio, meio e fim.

P.S - Caso não tenham entendido a "continuação" entre a "carta do desafio do verão" e a "carta do desafio do outono" leiam as datas!

domingo, 7 de maio de 2017

Um verão (nem sempre) bonito

Informações:
- Para o Desafio de Maio;
- Título: Um verão (nem sempre) bonito.


10 de Agosto de 2015
Lisboa, Portugal


Como sabes, nunca gostei do verão. A única coisa boa são as músicas mexidas que são criadas nesta estação do ano. Também não gosto dos festivais, do calor, do suor e, principalmente, dos insetos.
Ter namorado nesta época do ano nunca é o desejado. Consegues captar mais o suor dele que o cheiro do seu perfume. A coisa boa é que és capaz de ter um amor para toda a vida. Acabas por conhecer o pior lado dele, se não gostares de sentir o cheiro do suor. A verdade é que nós próprias também não parecemos uma Gisele Bündchen quando chega o verão. O que também pode ser bom (ou não). 
Tive num festival que ocorre em Agosto e acampar lá foi o pior dos meus problemas. Insetos durante a noite. Nenhum deles a deixar-me dormir. Sabes que o ano passado foi horrível para mim. Tive que andar de repelente na mão todas as noites enquanto os insetos me mordiam em qualquer parte descoberta do meu corpo. E esse sacrifício nem sequer valeu a pena. Fiquei completa de picadas durante o verão inteiro e ainda cheguei ao outono com marcas.
A coisa boa do festival (e foi realmente a única) foi ver os meus ídolos a atuar. Ouvir música mexida e conhecida, como a música do Chris Brown, Five More Hours. O vídeo dessa música (coincidência) falava de um festival nos Estados Unidos.
E esqueci-me de referir um pormenor: não gosto de praia. Acho que deveria melhor dizer que não sou pessoa de viver no verão.
E, para dizer a verdade, não entendo as pessoas que gostam do verão. Gostam de se sentir com calor? Gostam de ouvir insetos a rondar? Gostam de suar?
Agora que lembro de suar, talvez no verão seja mais fácil perder peso. A pessoa só a andar já soa. Afinal, até tem mais alguma coisa que me cativa no verão, além das músicas.

Enfim... com tudo isto me despeço nesta carta, esperando pela chegada do meu bonito outono.

Até breve!


Antes de terminar este post posso dizer que é provável que isto tenha principio, meio e fim, ou seja, que isto faça uma lista de cartas para alguém. Mas ainda é uma possibilidade... depende da estação que vier em seguida.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Mistérios Em Aberto (Enigmas)

Olá, Pessoal!
Começou no dia 13 de Abril uma coleção para os que gostam de decifrar enigmas policiais.
Todas as quintas-feiras, a revista Sábado oferece um pequeno livro que contém 25 mistérios para resolver.
Casos policiais inéditos, escritos por autores portugueses, com pistas que nos vão ajudar a resolver cada mistério.
São cinco livros no total todas as quintas feiras até ao dia 11 de Maio.

Imagem retirada do Google

- Por que razão eu postei isto?
Porque eu estou a resolver estes mistérios e achei interessante tendo em conta o género que eu escrevo.

Não sei se alguém está a fazer a coleção e a decifrar os enigmas, mas eu decidi, no final da coleção, revelar-vos quantos mistérios resolvi em cada livro.
Tendo em conta as quintas-feiras que já passaram, já tenho na minha posse três livros dos cinco. E, não sei se é apenas de mim, mas acho que os mistérios têm sido mais difíceis a cada livro.

Enfim... Em breve irei revelar-vos quantos enigmas consegui decifrar...

Para começar, aviso-vos que no primeiro livro consegui resolver:
- 15/25 enigmas.

Só errei 10, não foi mau, mas o segundo livro já foi mais difícil e o terceiro, que estou a resolver agora (já vai no enigma número 15), parece ser mais difícil ainda.

Bem... E é isto. 
Em breve trago-vos os resultados dos meus enigmas.

Beijos.

Agradecimentos (Escola Dom Domingos Jardo)

Olá, Pessoal!
Estes agradecimentos vêm um pouco tarde, mas ainda são válidos.

Eu estive no dia 30 de Março com a escritora Elisa Rodrigues (Blogue dela Aqui) na escola Dom Domingos Jardo (Agrupamento de escolas Agualva Mira-Sintra).
Apresentámos os nossos livros "A Escola do Terror" e "A Chave Verde", no caso da Elisa, a algumas turmas e anos, respondemos a perguntas e foi realizada ainda uma pequena sessão de leitura antes dos autógrafos.

Soube que foram tiradas algumas fotografias do evento, mas não foram por mim nem pela Elisa.
Deixo aqui o Blogue da Biblioteca da Escola que contém algumas fotografias: Biblioteca DDJ - Espaço da Criatividade.

Queria agradecer pelo convite e desejar uma boa leitura a todos os estudantes que possuem o livro!

Obrigada!

domingo, 23 de abril de 2017

Dia Mundial do Livro

Olá, Pessoal!
Hoje, dia 23 de Abril, é o dia Mundial do Livro e eu decidi fazer uma pequena publicidade ao meu neste dia!


Quem ainda não tiver o livro, aqui tem os links onde pode adquirir:

Easybooks - A Escola do Terror (apenas em território brasileiro).
Chiado Editora
Wook (apenas em território português).

Os livros também se encontram no Skoob e no Goodreads:

Skoob
Goodreads

Boas leituras!

domingo, 16 de abril de 2017

Boa Páscoa!

Olá, Pessoal!
Desejo a todos vocês, seguidores, leitores e autores, uma boa Páscoa!

Imagem retirada do Google
Beijos.

Feliz Aniversário Nanda Carol

Olá!
Hoje (16/04) é o aniversário de uma pessoa especial para mim.

Ela foi a primeira brasileira a comprar o meu livro "A Escola do Terror" e, mesmo não tendo ganho uma dedicatória no livro, eu decidi fazer este post no aniversário dela.
Por onde começar?! Talvez pelo início. Foi em 2012 que eu conheci o blogue dela. 28 de Julho de 2012, para ser exata. O blogue dela ainda estava no começo. Eu adorei a sua escrita. Mesmo sendo uma história com algum romance, algo que eu não costumava e nem gostava de ler, Fiz apenas um pequeno comentário dizendo que segui o blogue e gostei da história. A verdade é que não larguei o blogue dela desde o primeiro dia em que o vi.
E ela fez o mesmo com o meu blogue assim que o viu. Ela sempre seguiu aquilo que eu escrevia da mesma maneira que eu lia o que ela postava.
A admiração ficou durante estes anos todos e somos leitoras uma da outra.

Por tudo isto que aconteceu e pelo apoio que ela me deu, não podia deixar passar em branco o dia de aniversário dela.

Feliz Aniversário, Nanda! Muita felicidade, saúde e, claro, inspiração!
Obrigada pelo apoio!

Link do blogue dela: We All Have Secrets.

Imagem retirada do Google

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Desafio de Abril

Olá, Pessoal!
Só vim avisar que estou a participar no Desafio deste mês.
Em breve irei desvendar o que é.
A Páscoa está a chegar, o que é bom, ou não, se a inspiração também entrou de férias. Mas, enfim, não tenho razões de queixa. Por enquanto.

Então é isso, só vim avisar que estou a trabalhar, tal como vocês gostam!

Em breve posto aqui o que fiz.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Coisas que gostaria de ver mais nas histórias em 2017

Olá, Pessoal!
Disse que colocaria aqui a lista que tinha sido pedida para o Desafio de Janeiro.

Aqui está:

12 coisas que gostaria de ver mais nas histórias em 2017:

1ª- Um romance que não seja aquele clichê do "casamento e filhos numa semana";

2ª-  Mais histórias que retratem a xenofobia, racismo, homofobia... (problemas que existem nos dias de hoje);

3ª- Uma maior exploração do mundo sobrenatural (não apenas lobisomens e vampiros);

4ª- Mistérios que consigam surpreender (seja o seu final, seja o que leva ao final);

5ª- Ser retratado o tema da Sida (é raro ter essa tema nas histórias);

6ª- Histórias criativas, com pouco chichê;

7ª- Histórias que, no final, transmitam uma mensagem;

8ª- Mais histórias que retratem a amizade, menos relacionamentos amorosos, mais amizade entre as personagens;

9ª- Histórias com mais terror;

10ª- Personagens que tenham animais de estimação (contra mim mesma falo);

11ª- Géneros de Ficção Cientifica;

12ª- Personagens mais profundas, que criam um drama maior.

E é isto!
Foi isto que eu escrevi para o Desafio de Janeiro, que não concluí.

Mentira (01/04)

Olá, Pessoal!

Eu tinha dito no dia 1 de Abril, o dia das mentiras, na página "Estórias" que tinha terminado um novo projeto, mas que não ia ainda divulgar o título.

Pois bem, foi um bocado tarde, mas desminto hoje.

Esse novo projeto é, na verdade, uma mentira que eu preguei no dia das mentiras.

Peço desculpa! (ou não).

domingo, 19 de março de 2017

Contrato Indesejado (Fim de mais um projeto)

Olá, Pessoal!
Já terminei um novo projeto. O projeto que eu já tinha falado desde o ano passado.
Terminei-o finalmente.

"Contrato Indesejado" está oficialmente terminado!


Novas informações serão dadas mais tarde!

quarta-feira, 15 de março de 2017

Não participação no Desafio de Março

Olá, Pessoal!
Eu não irei participar do Desafio de Março criado pela página de Facebook Ficwriter Facts.

Informações do Desafio de Março:

- Criar um poema.

Por que não vou participar?
- Porque se trata de um poema e eu e os poemas não estamos numa boa sintonia. Além disso, não me sinto inspirada, neste momento, para o tentar fazer.

Bem... esta é a razão.

Esperarei pelo Desafio de Abril!

Nova resenha/opinião do livro A Escola do Terror

Olá, Pessoal!

O blogue Gothic Clare fez uma opinião do livro "A Escola do Terror".
Já é a oitava resenha que fazem do livro.


Obrigada pela opinião!

Para lerem é só clicarem: AQUI.

Beijos.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Tag: Cinco Autoras

Olá, Pessoal!
Recebi a tag cinco autoras, neste dia internacional da mulher. A tag é simplesmente mencionar cinco autoras que nós mais gostámos.

1ª- Agatha Christie
Dispensa apresentações. Mas posso apenas acrescentar que ela criou personagens como Miss Marple e Poirot.

2ª- Dorothy L. Sayers
Foi uma outra autora da mesma época que Agatha que escrevia thrillers e romances policiais.

3ª- Jane Austen
Mais uma que dispensa apresentações. Escreveu "Orgulho e Preconceito".

4ª- Julie Garwood
É uma autora americana de livros policiais. De uma época mais recente que Agatha Christie. Na verdade, a autora tem hoje 70 anos, ou por volta de 70 anos.

5ª- Camilla Läckberg
É uma autora que tem por volta de 40 anos que escreve romance policial. Tem uma particularidade: É sueca. E, para ser sincera, autores de países nórdicos têm mais facilidade a escrever policial. Talvez porque eu prefiro autores nórdicos.

A minha lista tem só autoras de romance policial e thrillers, excluindo a Jane Austen. Desculpem, mas são as minhas favoritas.

3 Blogues:
Antes de Ilegais
A Escolha Certa
Don't Say Goodbye

Beijos.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Excertos/Trechos de "A Escola do Terror" que não estiveram em nenhuma das versões

Olá, Pessoal!
Não costumo divulgar estas coisas que nunca foram para o resultado final, mas como esta história/estória foi lançada em livro, eu decidi revelar-vos o que não foi para nenhuma das versões.

OBS: Os excertos/trechos podem conter erros. Qualquer erro ocorrido peço desculpa.

Vou sempre falar na versão do Blogue para não dar spoiler.

"A Escola do Terror" foi o último título que pensei para a história/estória

O título "A Escola do Terror" demorou a ser pensado. Tive vários títulos na minha cabeça antes de "A Escola do Terror" ser pensada. São eles:

- "O Segredo";
- "O Segredo dos Assassinos";
- "A Morte Chama Por Ti";
- "A Busca Por Um Mortal";
- "O Código do Ódio";
- "O Invasor" (Que poderia ter sido alterado para feminino devido ao assassino);
- "A Última Escola Dos Pesadelos";
- "A Santa Escola do Terror".

Antes de pensar no título "A Escola do Terror", o título que deveria ter ficado era "O Segredo Dos Assassinos", algo que, como viram, não ficou.

Após a morte da Angelina, o Bernardo iria revoltar-se contra Diana:

"O Bernardo estava farto que a colega o espiasse. O jovem agarrou-a pelo pescoço e arrastou-a para a parede de casa dela. Ele estava a sufocá-la...
Um grito grave masculino travou-o. O Bernardo virou-se. Era o Gonçalo. O amigo estava com um revólver a apontar para ele."
Numa das versões, o Gonçalo atiraria e mataria o Bernardo.

A personagem Diana se suicidaria após a morte da Angelina, da mesma maneira que a antiga amiga:

"A Diana olhou para a caixa de comprimidos, atentamente. A Angelina tinha morrido e ela não sabia o que fazer. A vida para ela já não fazia sentido. Pegou na caixa e olhou para ela mais de perto. Parecia pensar..."

A Carolina morreria num acidente de automóvel:

"A Carolina continuava a falar com o seu ex namorado Bernardo após a morte da Angelina.
O funeral da jovem ia se realizar. A Carolina estava a sair de casa com o Miguel, o namorado. Ambos estavam já atrasados. A Carolina foi a correr para o carro. O Miguel já a tinha chamado mais de três vezes. O local do funeral ainda era longe!
O automóvel vinha a alguma certa velocidade.
(...)
Nessa altura, estavam prestes a aproximar-se de um semáforo. E o carro não travou."
Numa das versões, o Bernardo confessaria ao Gonçalo que estava a ter uma relação com a Carolina, de novo. Ele não tinha mudado!

A Patrícia tinha morrido no lugar da Mafalda, elas tinham trocado de identidade:

"Algum tempo depois, a Patrícia e o Gonçalo foram até ao cemitério ver a Mafalda.
(...)
A Patrícia tinha morrido no lugar da irmã, num dia em que decidiram trocar de identidade.
Estava explicado a mudança de atitude da "Mafalda", era a Patrícia que tinha sido chantageada naquela altura."

Ideias dos leitores que nunca foram pensadas por mim:

- A Diana e o Bernardo nunca teriam (tiveram) um romance;
- A Alexandra nunca morreria;
- O Ricardo e a Juliana nunca teriam se matado um ao outro;
- A Diana ser a assassina.

O final seria diferente:

- A Inês namoraria com o Luís e não com o Diogo;
- O Bernardo e/ou a Diana morreriam (achei a Diana sair do grupo a melhor "quebra" da personagem);
- A Carolina morreria;
- A Mafalda estaria, afinal, viva;
- O Miguel tornaria-se dependente de drogas;
- A Mariana namoraria com o Diogo.

O assassino seria outro:

- Entre Gonçalo, Ricardo ou Sofia. O Gonçalo era o personagem mais suspeito. Ele seria preso por ter matado um dos professores.
O Ricardo nunca salvaria a Juliana nos últimos capítulos e a Sofia iria revelar-se no final.

Alteração de nome de personagem:

- Inicialmente, a Sofia iria chamar-se Maria da Luz.
- No começo da estória/história, a Alexandra seria um rapaz e iria chamar-se João.

Ideias que nunca foram escritas:

- A Mariana teria um romance com o Diogo ao mesmo tempo que ele namorava com a Inês;
- A Cristiana seria outra conquista do Bernardo, a quarta;
- A Elisa e a Bruna eram irmãs, filhas do mesmo pai;
- A Juliana morreria no final;
- A Sofia e o José nunca voltariam a namorar depois dela saber que ele pertencia ao grupo.

Estas foram as mudanças que pensei dar à história.

O que acharam?
Já tinham pensado em algumas?
Beijos.

sábado, 4 de março de 2017

Excertos/Trechos que nunca estiveram em nenhuma das versões de "A Escola do Terror"

Olá, Pessoal!
Nesta Segunda-Feira, dia 6 de Março, vou revelar-vos excertos/trechos (PT-BR) que nunca foram para nenhuma das versões de "A Escola do Terror".


Não costumo fazer isto, mas, como "A Escola do Terror" já foi lançada em livro, decidi revelar-vos.

Pode ser que alguns dos excertos vocês já tenham pensado.
Aguardem!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

O Selo da Sobrevivência

Olá, Pessoal!
Recebi o selo da "sobrevivência". Este selo é para passar a todos os autores que continuam no Blogger.


1- Por que resolveu escrever fanfics e há quanto tempo já escreve?
R: Acho que só escrevi uma fanfic uma vez e foi em 2010 com a primeira versão de "Há Procura da Sobrevivência". Escrevo desde 2006.

2- Você se considera uma sobrevivente do blogger? Fala um pouco sua trajetória.
R: Penso que sim. Tenho o blog desde 2009, postei mais que cinco histórias/estórias. Alguns leitores vão e vêm, mas no final penso que tive mais sucessos que derrotas (quanto ao blogue).

3- Relembre três fanfics/escritoras que marcaram sua vida no blogger.
R: A Cathie, que infelizmente deixou de postar, com a história"L'amour, La Vie et Nous".
A Isa que também tinha uma história, o blog infelizmente já não está no ativo, chamada "Eu sempre quis ter você".
E a Amanda que também já não tem blog ativo e que na sua história falava sobre um casal desencontrado. Foi um dos poucos romances "lamechas" que li e gostei.

4- Se pudesse trazer três coisas que eram comuns na época, quais seriam?
R: As amizades virtuais que se construíam com o msn, os layouts (eram muito simples e até tinham a sua graça), as longas listas de selos que se repassavam.

Os três blogs indicados:
- Antes de Ilegais
- Sons da Alma
- Effect Wolf

Beijos e até a um próximo post!

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Encontro com o Passado (Fim de novo projeto)

Olá, Pessoal!
É com felicidade que comunico que terminei o primeiro projeto de 2017.

Terminei hoje. Talvez há uma hora.


Chama-se "Encontro com o Passado" e novas informações serão dadas mais tarde.

Espero que tenham gostado da novidade!

Beijos.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O Carnatal

Informações:
- Para o Desafio de Fevereiro.
- Titulo: O Carnatal.
- Sinopse: A Marina e o Mário são dois irmãos gémeos que têm muito em comum, excepto o gosto pelas festividades. Enquanto a Marina detesta o Natal e adora o Carnaval, o Mário adora o Natal e detesta o Carnaval. Os dois sempre festejavam estes dias longe um do outro. Mas, uma vez, no dia de Carnaval, a Marina decide acabar com a animosidade e junta o Carnaval com o Natal num único dia. Será que o Mário estará disposto a celebrar o dia de Carnaval com a irmã?


A Marina e o Mário eram irmãos gémeos e moravam juntos. Nenhum deles casou e decidiram comprar uma casa juntos, adotar um cão e viver uma vida independente, apenas dividindo as tarefas de casa entre si.
Quando chegavam as épocas festivas, os dois nunca estavam de acordo.
A Marina adorava o Carnaval e detestava o Natal.
Já o Mário detestava o Carnaval e adorava o Natal.
Até aqui tudo bem. Se não fosse o facto de ambos gostarem de festejar fora de casa e com companhia. Os dois eram pouco sociáveis e não tinham muitos amigos, ou seja, só viviam para eles mesmos, só tinham a companhia um do outro. O cão deles sempre festejava ao lado deles. Era muito brincalhão e alinhava em todas as festas. Todos os anos eles ficavam durante a época festiva sozinhos com o cão.
Mas a Marina, chegando o Carnaval, decidiu juntar o Carnaval ao Natal, fazendo assim um Car-Natal.
Num início de tarde, já com os festejos no lado de fora da casa, a Marina senta-se no sofá da sala perto do irmão e pergunta-lhe:
- Não vamos festejar o Carnaval?
- Não estou interessado. Vai tu e leva o cão.
- Ok.
A jovem despede-se do irmão e vai para o quarto arranjar-se, levando o cão consigo. Minutos depois, a jovem aparece na sala vestida de mãe Natal com o cão no colo vestido de rena.
O Mário olha para a irmã, chocado.
- De que estás vestida?
- De mãe Natal. Não queres vestir o teu fato de pai Natal? Fico mal a ir sozinha só acompanhada por uma rena.
O irmão riu-se e foi vestir-se. Foi o primeiro de muitos carnavais que eles passaram juntos. Ou melhor dizendo... carnatais.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Tag: Melhores Casais

Olá, Pessoal!
Recebi esta tag do top 5 de Melhores Casais, para este dia de São Valentim.

A lista não está por nenhuma ordem em especial.

1 - Mafalda e Gonçalo (A Escola do Terror)
- Na versão do blogue a Mafalda acaba por morrer, o que impossibilita sabermos mais sobre o romance entre os dois. Só no final os leitores souberam que as duas personagens tinham se apaixonado uma pela outra.

2 - Angelina e Bernardo (A Escola do Terror)
- Assim como a Mafalda, a personagem Angelina também acabou por morrer na versão do blogue. Só após a morte dela é que os leitores souberam que o Bernardo realmente gostava da personagem.

3 - Vânia e Nélson (O Colégio Interno)
- Este casal levou-me um pouco ao clichê. Ele começa a namorar com a Melissa, ela encanta-se pelo novo colega de turma e só depois é que se reencontram.

4 - Catharina e Ricardo (Uma Vida Eterna)
- Se o casal de cima levou-me ao clichê, este aqui levou-me ao extremo dos clichês. A personagem feminina acaba por morrer de cancro. É o desfecho da história (estória).

5 - Rita e André (Noiva do Irmão)
- Este casal tinha um amor condenado desde o início. Pertenciam a famílias diferentes e ela ainda estava noiva do seu irmão (tal como diz o título).

Passar a 3 blogues:
A Escolha Certa
Antes de Ilegais
Don't Say Goodbye

E é isto!
Para quem achava que eu não escrevia romance enganou-se redondamente. Contudo, confesso que não deixo o amor durar muito tempo. A maioria morreu!
Vocês têm um pouco de razão!

Beijos e até a um próximo post!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Nova resenha/opinião do livro A Escola do Terror

Olá, Pessoal!

O blogue Minha Contracapa fez uma opinião do livro "A Escola do Terror".
Já é a oitava resenha que fazem do livro.


Obrigada pela opinião!

Para lerem é só clicarem: AQUI.

Beijos.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Pergunta sobre "A Escola do Terror"

Olá, Pessoal!
Já tinha feito esta pergunta na Página de Facebook, mas deixo aqui também.


- Se houvesse uma "continuação" de "A Escola do Terror" que personagem gostariam que fosse para essa "segunda parte"?!

Agradeço desde já as respostas!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Não participação no Desafio de Janeiro

Olá, Pessoal!
O primeiro desafio do ano, criado pela página de Facebook Ficwriter Facts, eu não irei participar.

Informações do Desafio de Janeiro:

- Listar 12 coisas de nós gostaríamos de ver mais nas histórias em 2017. Depois, escolhemos um item e usamos como prompt (ideia). Por fim, escrevemos uma história até ao final do mês.

Porque não vou participar?
- Porque não me sinto inspirada o suficiente para participar neste desafio. Não parece uma "desculpa" legitima, mas esta é a realidade. Existem algumas coisas que gostaria de ver mais nas histórias em 2017, mas não consigo simplesmente colocar um desses itens numa história. Parece esquisito ter que alterar isso para personagens que não façam parte da escrita.
Mas, para minha defesa, eu tentei participar. Eu tentei escrever. Cheguei até a fazer essa lista! (talvez eu a revele no final do mês).

Bem... esta é a razão.

Esperarei pelo Desafio de Fevereiro!

Nova "ronda" de participações nos Desafios do mês

Olá, Pessoal!
A página de Facebook, Ficwriter Facts, continuou com os Desafios do mês.

E, para dizer a verdade, estou disposta a continuar o trabalho que tive no ano passado.

Venho dar-vos novas informações em breve!

Divulgação d' "A Escola do Terror" no Facebook

Olá, Pessoal!
Há uns dias, a página do Facebook onde eu participava dos desafios do mês, Ficwriter Facts, divulgou o livro "A Escola do Terror".

Imagem postada com o link

Link = Ficwriter Facts.

OBS: A frase que se encontra na imagem é uma das que se encontra na versão em livro.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Excertos de Contrato Indesejado

Olá, Pessoal!
Deixo-vos agora alguns excertos do que andei a escrever em "Contrato Indesejado".

"A jovem continuou em pé à porta da escola com o livro da primeira aula encostado à sua barriga. Não suportava o bullying que a Benedita e as amigas desta lhe faziam. O pior de tudo é que não sabia por que razão elas teriam algo contra ela, que era apenas a amiga do Salvador, nem sequer era um alvo a abater pelo simples facto de nunca ter ido parar à cama dele."

***

"Após um fim de semana inteiro a perder-se em pensamentos com esta proposta "assustadora", a segunda feira chegou e com ela o regresso ao último ano de secundário. Ela queria contar-lhe, mas o nervosismo tomava conta de Íris enquanto ela aguardava pelo amigo à porta da escola. Sempre fazia isso quando ele estava atrasado ou faltava poucos minutos para a aula começar. Sabia que se não ficasse à espera dele, que daria mais sinais de desconfiança."

***

"– Ainda não me respondeste, Íris. – Ele parecia preocupado, enquanto tirava a sua mochila do ombro e a colocava no chão encostada à parede meio branca e meio preta, devido à falta de lavagem, do corredor. Com isso, o Salvador aproximou-se mais da amiga colocando-se à frente da sua mochila e se encostando à porta da sala."

***

"Ao chegar à escola, despediu-se do pai e entrou. Não esperou por Salvador. Foi até ao seu cacifo. Foi nesse momento que o viu perto do cacifo dele a falar com Renato Matos, um rapaz filho de angolanos que tinha já nascido em Portugal. Ele e o Renato eram muito amigos."

***

"– Bom dia! – Ela saudou-a, sentando-se ao lado dela no chão gelado do corredor. Era raro Júlia falar com Íris. Bem... era raro qualquer aluno falar com Íris, com a exceção de Salvador.
–  Não precisas de olhar assim para mim, não vou matar-te!"

***

" – Cláudio? O que estás aqui a fazer?
O rapaz alto e com um cabelo meio alourado olhou para ela de cima a baixo.
– Um grito. Bela forma de saudar um irmão! – A loira ignorou a ironia dele."

***

"Deveria sentir-se chateado, mas mostrava-se sereno.
– Ainda não assinei o contrato."


Espero que tenham gostado!
Não sei quando irei acabar este novo projeto, mas espero que seja ainda em 2017.

Beijos.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Balanço de 2016

Olá, Pessoal!
Escrevi isto ontem na página de Facebook, mas para quem não vê a página, decidi postar aqui também.

"2016 foi um ano de trabalho árduo para mim quanto a criar e a reescrever projetos.
Participei em alguns Desafios durante este ano, mas estive também empenhada em escrever algo com mais conteúdo e mais próprio para ser lançado em livro.
Foi um ano de mudanças na minha forma de escrever, não deixar enredos para trás apenas para puder alterar quando fosse lançar em livro.
Eu sei que esses resultados só serão vistos já em 2017, mas sei que 2016, mesmo não tendo resultados à vista, foi um ano de trabalho. Trabalho e indecisões. O que fazer? Como fazer? Será que termino já este projeto e posto no blogue? Será que continuo? Fiz as minhas escolhas e só em 2017 verei se fiz bem.
Sinceramente, fazendo o balanço, 2016 foi um ano melhor que 2015 quanto ao blogue.
Espero que 2017 revele o resultado de um 2016 trabalhoso. Não penso que vá escrever muita coisa neste novo ano, mas terminarei as parcerias que me competem e fazer alguns desafios, caso hajam.

Obrigada por estarem comigo nestes sete anos árduos no blogue. Alguns anos foram piores que outros, mas não me posso queixar quanto a este ano.
Obrigada por ter bons leitores e pessoas que ainda estão comigo depois de tanto tempo.
Feliz Ano Novo! Que 2017 seja de boas inspirações. Desejo-vos felicidade e muita saúde!

Beijos!"



Feliz 2017!