AVISO...

Olá Pessoal!

Já avisei na Página do Facebook e decidi avisar no blogue também.

Na página Livros têm os links onde poderão comprar o livro "A Escola do Terror".


Aviso mais uma vez que tem alterações ao que está no blogue!


Obrigada.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Capítulo 6 (Parte 2)

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários. Vou responder, uma vez mais, a alguns que necessitam resposta.

Anónimo (Penúltima pessoa a comentar): Obrigada pelo comentário e pela disponibilidade. É importante para mim receber comentários de todas as pessoas que lêem.

Anónimo (Última pessoa a comentar): Para saber isso vai ter que comprar o livro porque o ano estará apenas lá! Também penso ser a única portuguesa a escrever estes géneros. Não sei o que poderá acontecer no futuro, tudo dirá depois do livro. Obrigada pelo comentário. Foi muito bom ler as suas palavras.

Ninguém está a entender ao certo onde se encontra o drama, mas o "drama adolescente" que falam não é o que está presente na estória.
Só espero que não acabem surpreendidos com o que aqui está. Estou apenas a avisar que haverá drama!
Espero que gostem desta última parte do capítulo.

Capítulo 6 (Parte 2)

No dia seguinte, o Luís, o Ricardo e o João estavam no bar da escola a tomar o pequeno-almoço.
- Posso sentar-me ao pé de vocês? – Perguntou a Carla, interrompendo a conversa deles.
Estava de pé junto da mesa deles, com o tabuleiro do pequeno-almoço nas mãos.
- Claro. – Disse o Ricardo, prontamente.
Todos lhe saudaram. Nesse momento, vêem a Luísa a chegar também.
- Olá! – Disse ela num tom de voz alegre – Preparados para o festival?
O Ricardo teve de se conter para não suspirar. Será que ninguém conseguia falar de mais nada a não ser daquele festival ridículo?
O Luís respondeu à Luísa.
- Podes ter a certeza que sim. Já tenho o smoking!
- Pois… - a voz da Luísa esmoreceu – Eu já contei à Carla o meu problema e preciso de ajuda, rapazes! – Disse ela, sentando-se ao lado deles.
- Ajuda para quê? – Perguntou o Ricardo – Parece que tens o teu futuro delineado.
- Sei que quero seguir representação, mas queria ir para hotelaria e turismo porque viver apenas da representação é um tiro no escuro. – Respondeu ela, num tom dramático – Preciso de conselhos. Tenho várias ideias para roupa e são todas tão boas que não sei qual delas hei-de escolher!
- Bom... em que é que pensaste? – Perguntou o João.
- Primeiro, lembrei-me de ir vestida de actriz famosa. – Explicou a Luísa – Tenho até um troféu que pode muito bem parecer um Óscar. Depois pensei em ir vestida de hospedeira de bordo. E fico-me por aqui.
- Desculpa dizer-te, mas... e que tal se fores vestida de mimo? – Perguntou o namorado, tentando ser engraçado.
- João, existem sempre pessoas com opções de carreira limitadas! O que não é o meu caso. – Atirou ela.
- Isso são muitas opções de escolha, Luísa! – Disse ele, tornando-se sério.
- Por isso é que eu pedi uma opinião, João! – Exclamou a Luísa, respirando fundo – Que fato devo levar?
- O de actriz famosa. – Respondeu o Luís – É o que parece o mais acertado.
O Ricardo e o João acenaram com a cabeça.
- Os teus trajes vão sair horrendos! – Exclamou uma voz atrás da Luísa. Era a Marta a aproximar-se deles com o seu tabuleiro. A Luísa mostrou-se ofendida.
- Tu tens que os ver!
- Não preciso de ver. As ideias são muito boas, mas os trajes não. Originalidade precisa-se!
A Luísa cruzou os braços.
- Qual é a tua ideia?
- Agora não tenho tempo para te ajudar. A tua irmã já me dá problemas que cheguem!
- O que é que aconteceu? – Inquiriu o Luís.
- Eu pedi ajuda a ela para ser a minha modelo. Tudo o que preparasse seria para ela. Mas a Patrícia tem ideias muito escandalosas.
A Luísa riu.
- Quem te deu a ideia da minha irmã ser a tua modelo?
- A Raquel. Originalmente tinha pedido ajuda a ela.
- Mas ela está a treinar para o Shakespeare. – Contou o João.
- Claro que está! – Exclamou, chateada, a namorada.
- Mas enfim... vou tentar que ela continue a ser a minha modelo. Eu já te ajudo no traje, Luísa. – Disse a Marta, respirando fundo de seguida.
A Luísa virou-se para a Carla.
- E tu, Carla? Que fato é que vais levar?
A Carla hesitou.
- Ainda não tive tempo para pensar nisso – Disse, por fim – Sei que quero qualquer coisa que tenha a ver com música, mas ainda estou a tentar decidir o que será.
- Acho bem! Seguir a carreira na música! Como vai os treinos para o concurso de música adolescente?
- Bem. Acho que a Raquel deveria aderir.
- Também acho que sim. – Concordou prontamente a Marta – Temos que obrigá-la a fazer isso!
- Bem, amigos, gostava de continuar aqui, mas tenho de sair. Vemo-nos na aula. – Disse a Luísa afastando-se deles com o seu tabuleiro.
- O mais certo é vestir qualquer coisa com ar de ter saído de Hollywood! – Exclamou o João, abanando a cabeça. A Luísa já estava bem longe e não ouviu o que ele tinha dito.
- Ela é tua namorada, devias saber. – Falou o Luís, brincalhão.
- A Luísa é um bocadinho obsessiva com isso do teatro. – Concordou o Ricardo – Mas até acho bem ela saber exactamente aquilo que quer.
- Ela não sabe o que quer, Ricardo! Ela esteve a dizer que queria seguir Hotelaria e Turismo. – Disse a Marta, e voltando-se para a Carla – Estás bem? Pareces muito calada.
- Estava só a pensar no meu traje. – Respondeu ela.
- Pois, a roupa fabulosa de cantora que vais arranjar. Tens alguma coisa?!
- Sim, tenho um vestido azul muito bonito. Estou a pensar levá-lo. – A Carla sabia que o vestido era ridículo, mas era a única solução que tinha para ir para o festival.
O João, o Luís e a Marta afastaram-se e ficaram apenas o Ricardo e a Carla.
- É verdade, não te cheguei a contar o que me disse a psicóloga da escola. – Disse ele para uma Carla pensativa.
Ela fez por sorrir e acenar, apenas. Não ouviu uma única palavra do que o namorado disse. Estava demasiado distraída a tentar imaginar como havia de ir vestida de cantora... e parecer bonita.

Termina aqui o capítulo 6.
Espero que tenham gostado.

O Capítulo 7 vem na Segunda-Feira, 28 de Setembro.

Beijos.

24 comentários:

  1. Esses adolescentes estão a sentir-se horríveis.

    ResponderEliminar
  2. Isso parece tão natural.

    ResponderEliminar
  3. continuo sem saber o drama então.

    ResponderEliminar
  4. estão a ficar capítulos muito próximos da realidade.

    ResponderEliminar
  5. Não faço a minima ideia de drama que queres chegar.
    Acho que vou acabar surpreendido (seja de forma positiva ou não).

    ResponderEliminar
  6. A Luísa parece a falsa pessoa que sabe o que quer. No fim deve ser a que não sabe nada do que quer fazer.
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  7. E eu a julgar que seria esse tipo de drama!
    Posta logo. Beijos.

    ResponderEliminar
  8. Adorei a Marta nesse capítulo!
    Posta logo.

    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  9. Não consigo perceber onde está o drama além do "adolescente". Só me resta esperar!

    ResponderEliminar
  10. Continuo sem entender o drama...
    Espero não me vir mesmo a surpreender.
    Posta logo.

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  11. Não entendo o possivel drama existente.
    Quantos capítulos tem a história?
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  12. Continua! Gostei muito! Só não consigo encontrar o drama. Só espero não me surpreender a sério.

    ResponderEliminar
  13. Sou da opinião de muitos aqui. Onde está o drama? É preciso chamá-lo?
    Desculpa só comentar agora, mas mais vale tarde que nunca, não é? Tenho estado ocupada com coisas da fac. Agora falando no capítulo, Já usaste este tema de conversa várias vezes em apenas seis capítulos de história e isso está a torná-la repetitiva. Apesar da conversa em si mudar, dei por mim a pensar que este tema se tornou uma pescadinha de rabo na boca e "já não li isto algures?" (o que não é muito bom sinal, verdade seja dita). Não sei se sou a única ou não. Mas toma este ponto em consideração na escrita de futuras histórias :S

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.