AVISO...

Olá Pessoal!

Já avisei na Página do Facebook e decidi avisar no blogue também.

Na página Livros têm os links onde poderão comprar o livro "A Escola do Terror".


Aviso mais uma vez que tem alterações ao que está no blogue!


Obrigada.

sábado, 15 de agosto de 2015

Capítulo 3

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários. Vou responder a alguns que necessitam resposta.

Felipe: Estás no teu direito. Obrigada.
Alícia Alessandra: Sim, mas só irás entender o drama daqui a alguns capítulos. Obrigada.
Elisa Rodrigues: Ainda estou nos primeiros capítulos, logo ainda não há assim nenhuma personagem que o leitor diga que gosta ou que se identifica. Provavelmente a primeira parte da estória (história) já tinha uma ou outra personagem com quem os leitores mais se identificavam, mas penso que daqui a alguns capítulos irás, talvez, identificar-te com alguma personagem.

Aviso que a ordem com que respondo aos comentários é pela ordem com que vocês comentam. A primeira pessoa que comentou será a primeira pessoa a ser respondida.

Não sei se vocês vão tentar matar-me (ou não!). Não adiantei a data deste capítulo, como vocês poderão ter visto na Página do Facebook.

Tenho recebido algumas questões sobre o livro "A Escola do Terror". Como sabem, eu não posso dizer nada pois tenho um contrato feito que me impede de vos mandar qualquer informação, mas se alguma coisa avançar serão os primeiros a saber.

Aqui têm o capítulo 3. Espero que gostem.

Capítulo 3

Naquela tarde, depois do fim das aulas, alguns alunos juntaram-se na sala própria para a aula de preparação para os exames. Não pareciam felizes, pelo contrário, aborrecidos, alguns irritados e ainda, pouco entusiasmados. Talvez alguns até tristes por não estarem em casa ou a fazer algo mais divertido.
De pé diante da turma, a Raquel observou os alunos presentes na sua primeira aula de preparação para os exames e ficou assustada. Tinha pedido ajuda a alguns alunos, bons alunos como ela, e todos eles mostravam-se preocupados. Pairava na sala um ambiente de ansiedade, preocupação e frustração.
- Muito bem! – Começou ela, tentando parecer animada – Ainda bem que está tanta gente! Agradeço a todos por terem vindo!
Até mesmo nos ouvidos dela, aquelas palavras soavam falsas. Todos olharam para ela. A Raquel começou a sentir um calor subir pelo seu corpo. Aquilo era pior do que subir a um palco e cantar diante de um público com mais de cem pessoas. E ela já tinha feito isso mais que uma vez. Quando cantava e tocava piano ao lado dos seus colegas da antiga banda. Até que reparou no João sentado na última fila da sala. Ele fez-lhe um sorriso como um sinal de incentivo.

“O que é que ele está aqui a fazer? Ele detesta estudar! Pelo menos há uma cara querida por aqui que me apoie. Vou precisar do bom sentido de humor dele!” – Pensou a Raquel.

- Ora bem, que tal se começássemos a ver quantas pessoas aqui estão? Vai ser importante para eu ter um papel com isso. Vocês tencionam ficar aqui em todas as aulas, ou não?! – A Raquel fez uma pergunta retórica – E se cada um contasse porque é que decidiu se inscrever nestas aulas de preparação para os exames?
Ela passou um caderno para a aluna que estava sentada numa das primeiras mesas. A aluna escreveu o seu nome e passou para a pessoa da mesa de trás. Essa mesma aluna da primeira mesa respondeu à pergunta de Raquel.
- Inscrevi-me nas aulas de preparação porque os meus pais mandaram. Eles não tinham muito dinheiro para me pagar um explicador a sério. Tive de vir para aqui contra a vontade!
- Muito bem... Obrigada pela confissão. – A Raquel estava a esmorecer. A sala parecia um velório – Mais alguém?
Nesse momento, a irmã gémea da Luísa, a Patrícia, entra dentro da sala.
- Desculpa, Raquel. Eu posso entrar?
A Raquel assentiu com a cabeça. Finalmente mais alguém conhecido. A Patrícia sentou-se ao lado do João.
- E quanto à tua pergunta, que eu cheguei a ouvir ao vir a correr para cá, estou aqui porque preciso de alguma vantagem! Já tenho montes de livros sobre os exames, já fiz exames na Internet. Preciso urgentemente de conseguir a nota mais alta!
- A nota mais alta? – Inquiriu a Raquel.
- Sim, o meu objectivo é a nota máxima. Preciso de um 20. E é por isso que aqui estou!
O João olhou chocado para a irmã da namorada.
- É só um exame, Patrícia.
- É só um exame? – Ela parecia chocada com a resposta dele – Os exames de admissão são muito importantes para o nosso futuro. Eu pretendo seguir arqueologia, seu estúpido! Estes exames são a primeira coisa importante na nossa vida futura. Só um exame! – Repetiu ela abanando a cabeça.
- Bem, talvez isso seja um bocadinho exagerado. – Disse a Raquel – Mas vou tentar ajudar todos!
O João revirou os olhos e era para continuar, mas, nesse momento, alguém aparece na porta. Todos olharam. Era a Marta e ao lado dela estava a Luísa.
- Estou no sítio certo? – A Marta parecia desnorteada. Viu a Raquel e sorriu – Estou sim. Olá amiga!
A Luísa fez um ar incrédulo.
- Esta sala transborda um ambiente triste! Sim, estamos no sítio certo.
- Já cá faltavam mais estas duas! – Disse a Patrícia – Para vossa informação, estamos aqui para trabalhar! Se andam à procura de um ambiente melhor, vão passear!
- Adorava maninha, mas não posso. – Respondeu a Luísa, sentando-se na mesa ao lado da dela e do namorado. A Marta sentou-se ao lado da Luísa.
- Fomos obrigadas a ter explicações – Explicou a Marta – Eu tenho como padrasto o director da escola, por isso até se percebe.
- Não quero que ninguém venha para aqui contrariado! – Impôs-se finalmente a Raquel. Alguns alunos até se assustaram com a reacção dela.
- Nesse caso, ninguém vai conseguir aquilo que quer! Ter boas notas e ajudar os outros. – Disse a Luísa.
- O que é que tu estás aqui a fazer?! – Atacou a irmã – Tu pertences aos palcos. Vai para lá e deixa-me estudar!
- Não sei se sabes, mas eu tentei dizer à nossa mãe que seria uma actriz graças ao meu talento, não graças à minha universidade. - A Patrícia bufou perante a resposta da irmã.
Algum tempo depois, tinham-se dividido em grupos e estavam a fazer exercícios. Assim que tinha terminado de dividir, a Marta vai ter com ela.
- Vou precisar muito da tua ajuda! – Disse ela – Preciso de me rodear das melhores pessoas para conseguir alguma resposta positiva. Tu és a melhor naquilo que fazes... tal como eu. Portanto, já que tenho de aqui estar, acho que mereço ter a melhor explicadora do meu lado.
- Pois, tal como no teatro – Falou a Luísa – Uma actriz brilhante precisa sempre do melhor elenco e da melhor equipa técnica para poder estar sempre o melhor possível.
- Pois. Eu irei ajudar-te a ti e à Luísa, Marta. E à Patrícia e ao João. Mas primeiro, vamos tentar ver como todos nós trabalhamos em conjunto. – Respondeu a Raquel.
- Isso é uma perda de tempo! – Interrompeu a Patrícia.
A Raquel ia para responder, mas alguém aparece na porta. Era o director da escola, o padrasto da Marta, o professor Diogo.
- Boa tarde, alunos! Estou muito contente por vos ver aqui, a prepararem-se para os vossos exames de admissão. Vão ser momentos difíceis.
A Marta olhou séria para o padrasto. Ele estava a encorajar?!
- Tenho confiança em vocês! – Exclamou ele, saindo da sala.
Com estas palavras do director, todos ficaram mais preocupados. O director da escola não era realmente um bom encorajador. Percebia-se realmente.
- Não se preocupem. – Apressou-se a Raquel a dizer – Vamos nos preparar para não se preocuparem no dia do exame.

Termina aqui o capítulo 3.
Espero que tenham gostado.

O capítulo 4 virá na Sexta-Feira, 21 de Agosto.
Peço-vos que fiquem atentos à Página do Facebook porque alguma informação adicional sobre o livro ou qualquer outro aviso será colocado lá.

Beijos.

23 comentários:

  1. A Patrícia é uma idiota...

    ResponderEliminar
  2. ela tinha que ter o meu nome?

    ResponderEliminar
  3. Agora é a Patrícia a vilã da história? Boa mudança!
    Posta logo.

    ResponderEliminar
  4. agora não sei. no capítulo anterior parecia um idiota agora não sei.

    ResponderEliminar
  5. Gostei. Parabéns. Vi o comentário da Elisa Rodrigues e concordo com ela em parte. Neste inicio da segunda parte deixaste os personagens afastados do leitor.

    ResponderEliminar
  6. Sabia que alguém teria que estragar a "harmonia" da história.
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  7. coitada da raquel ahah! agora tem que aturar a irmã da amiga.

    ResponderEliminar
  8. Senti uma troca de papéis na vilã? A Marta pela Patrícia?
    Espero por mais.

    ResponderEliminar
  9. Que víbora essa Patrícia.
    A Raquel deve voltar a cantar.
    Posta logo.

    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  10. Agora gosto da Marta e não da Patrícia :D
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Tem que existir sempre uma personagem que eu não goste. Desta história é a Patrícia.

    ResponderEliminar
  12. Já me estou a preparar para alguma morte!
    Posta logo.

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  13. Agora a Patrícia é a vilã? Nossa... Nunca pensei que ela pudesse a vilã dessa vez, até gostei dela no final da primeira parte da estória.
    Mas só me resta esperar por mais...

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.