AVISO...

Olá Pessoal!

Já avisei na Página do Facebook e decidi avisar no blogue também.

Na página Livros têm os links onde poderão comprar o livro "A Escola do Terror".


Aviso mais uma vez que tem alterações ao que está no blogue!


Obrigada.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Surpresa de "Por Trás da Cena"

Olá Pessoal!
A surpresa de hoje da minha parceria com a Letícia são uns trechos/excertos da história.
Leiam e se puderem comentem.
Nós agradecemos!

Atenção: A história estará dividida em Português de Portugal e Português do Brasil devido aos personagens.

Narrado por Laura Bettencourt

A vida sempre foi muito traiçoeira para mim, mesmo sendo filha de um grande empresário português a minha vida nunca foi um mar de rosas, pelo menos a minha vida profissional. Acabei o meu ensino e fiz um curso de atriz aqui em Lisboa mas não tive muitas chances de puder entrar numa novela ou num filme português. Originalmente, pensei em seguir moda mas o meu primeiro dia na escola profissional foi a pior experiência da minha vida. O desastre foi tão grande que decidi nunca mais voltar.
A minha relação com o meu pai nunca foi das melhores. O doutor Francisco Bettencourt é um homem frio e calculista. Não me lembro dele de forma diferente. As demonstrações de amor são raras e o trabalho dele ocupa vinte e quatro horas do seu dia.
Todas as sextas feiras da semana, eu ia à empresa do meu pai fazer-lhe uma visita. Como tinha me tornado independente assim que fiz os 18 anos e fui morar com uma das minhas melhores amigas, Matilde, numa das ruas mais humildes de Lisboa, não tinha muito tempo para o ver. Nem a ele e nem à minha mãe. Não estava feliz em vê-lo no trabalho porque era raro ele dar-me atenção. Se nem em casa dava, no local de trabalho ainda menos. Mas como sempre dava-me alguma prenda, eu fazia questão de conduzir até à enorme empresa instalada numa das ruas mais ricas da capital.

Narrado por Bento Paredes

Abro os olhos, um de cada vez, enquanto ouço um som estranho vindo da sala. Alguém bate à porta escandalosamente, sem se importar com meu sono. Me levanto meio tonto, meio firme. Abro a porta. Provavelmente estou com uma cara péssima, porque Lídia me olha com desgosto antes de rir um pouco para mim. Não entendo a graça.
- O quê? – Pergunto.
- O que nada. Qual o seu problema, Bento? – Ela responde, mas para de sorrir.
- Não tenho nenhum problema. Por que teria?
- Porque eu te consigo um emprego, confio em você para estar lá na hora, e você ainda está dormindo!
É minha vez de rir. Vou até ela e a abraço.
- Você é a melhor irmã do mundo por se importar tanto comigo, mas eu estou dentro do horário.
Sorrio enquanto ela olha para o relógio na parede dos milímetros quadrados que eu ouso chamar de cozinha.
- Você sabe que tem que estar lá às sete, não sabe?
Acompanho o olhar dela até o relógio. São seis e meia.
- Droga.

Aqui estão.
Dia 25 de Dezembro será divulgado o blog.
Não percam!

4 comentários:

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.