AVISO...

Olá Pessoal!

Já avisei na Página do Facebook e decidi avisar no blogue também.

Na página Livros têm os links onde poderão comprar o livro "A Escola do Terror".


Aviso mais uma vez que tem alterações ao que está no blogue!


Obrigada.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Capítulo 20

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários.
Bom feriado a todos os portugueses!

Aqui está o capítulo 20. Infelizmente, (ou felizmente) o próximo capítulo será o último.

Atenção portugueses: Esta história está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.

Capítulo 20

Um ano depois...

Era o dia do meu casamento com o homem da minha vida. Era o dia mais feliz da minha vida.
- Estás pronta? - perguntou o meu pai.
- Estou sim, pai. Chegou a hora. - respondi eu a sorrir.
A Laryssa e a Sílvia choravam. O meu irmão sorria.
- Nem acredito que vou perder a minha filhota para outro homem.
- Nem eu acredito que vou perder a minha irmã para o Ricardo. - disse o Afonso de braços cruzados fingindo estar zangado.
Eu ri.
- Estejam calados. Eu vou ser sempre a vossa filhota e maninha.
- Cathie, tu está linda! - disseram a Laryssa e a Sílvia ao mesmo tempo.
Eu sorri.
- Nós amamos-te Cathie. - disse o meu irmão.
Nunca pensei que isto pudesse acontecer na minha vida. Um rebelde que é meu irmão e sou amiga de uma rebelde. E estando a minha amiga de longa data, Laryssa, no meio disto tudo.
- Vamos entrar. - disse o Afonso.
O Afonso, a Laryssa e a Sílvia foram para os seus lugares. Eu dei o braço ao meu pai e caminhei para a minha felicidade. Vi a Marina e a Stefanny, as meninas do colégio que me odiavam, lado a lado. Elas sorriram para mim. Quando cheguei perto do Ricardo, sorri para ele. O padre começou a falar...enquanto ele falava olhei para trás. A Marina e a Stefanny estavam a sorrir. Elas mudaram durante este tempo. Voltei a olhar para o padre e dei o sim.
- Estamos casados. - disse eu a sorrir.
Ele afirmou com a cabeça, a sorrir.
- Pois.
Foi sem dúvida o melhor dia da minha vida. Sim, da minha vida.

Aqui está.
Espero que tenham gostado.
O último capítulo será postado no feriado do dia 1 de Maio. Vou começar bem o mês de Maio com um grande post!
Até lá.

Bjs :)

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Dia Mundial do Livro

Olá Pessoal!
Sendo este um blog com histórias, não podia deixar de referir que hoje, dia 23 de Abril, é o dia mundial do livro.

"Dá tanto trabalho escrever um livro mau como um bom; ele brota com igual sinceridade da alma do autor"

Aldous Huxley

Hoje, também é o dia do falecimento do grande poeta e dramaturgo William Shakespeare, o conhecido autor do clássico "Romeu e Julieta".

"Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio."
William Shakespeare.
1564 - 23 de Abril de 1616.

Qual é o vosso livro favorito?

Eu não tenho apenas um.

Atenção: Vou responder aos comentários deste post por baixo do vosso comentário.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Capítulo 19

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários.
Li muitos comentários dizendo que era uma versão de "Um Amor para Recordar". Digo-vos que não é, pois, tal como falei e um Anónimo e a Juliana Dindarova até se lembraram desse meu post, eu inspirei-me em Camilo Castelo Branco, não em Nicholas Sparks.
Agradeço ao Vasco F. pela ideia que teve para final da história, assim como ao Anónimo.
Erii: Podes adivinhar à vontade. Até gosto que alguém me diga o que acha que vai acontecer.

Atenção portugueses: Esta história está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.

Capítulo 19

Narrado pela autora

O Ricardo não estava a acreditar no que estava a acontecer.
- Cancro?
A Catharina começou a chorar.
- Sim cancro. Eu vou morrer e tu vais ter que me esquecer.
O Ricardo estava paralisado, não conseguia dizer nenhuma palavra.

Narrado por Catharina

Ele ficou parado. É mesmo um insensível. Para mim acabou.
- Então é assim? Não vais dizer mais nada? Então sim, tu estás certo. Esquece que eu existo e vai ser feliz ao lado de outra pessoa.
Levantei-me do banco onde estava e fui-me embora dali.

No dia seguinte, estava eu em casa a chorar depois de tudo o que se tinha passado no dia anterior. Estava com o Afonso, o meu irmão, a Sílvia e a Laryssa.
- Ele foi um insensível.
- Calma maninha, ele deve ter estado só chocado com a noticia que lhe deste.
- Sim Cathie. - concordou a Sílvia - o Ricardo é bom rapaz.
Olhei para a Laryssa. Ela é minha amiga desde sempre e nunca iria estar de acordo com eles.
- Desculpa Cathie mas neste momento estou de acordo com ele. - respondeu-me.
Nesse momento, ouvimos alguém a recitar um poema de um poeta conhecido. Fomos todos à janela. Era o Ricardo. Admito que sorri idiota para ele.
- Catharina perdoa-me. Eu fui um idiota. Eu estou contigo e vamos juntos superar isto.
Eu sorri.
- Ricardo, eu perdoo-te.
- Queres casar comigo?
Os meus amigos sorriram uns para os outros, eu fiquei impressionada.
- Casar?
- Sim, casar. Com direito a igreja e festa.
Eu ri.
- Sim Ricardo, mas vamos esperar um pouco.
- Cathie, casa logo. - segredou-me ao ouvido a Sílvia.
Eu ri.
- Eu espero o tempo que for preciso. - disse o Ricardo.

Aqui está. Espero que tenham gostado.
Quanto ao próximo capítulo, será postado na sexta feira, dia 25 de Abril. E no lado direito do blog, está lá também quando será postado o capítulo 21.
Devido a dia 1 de Maio ser feriado no país onde moro (para quem não viver em Portugal), o capítulo será postado na quinta.

Bjs :)

sábado, 19 de abril de 2014

Capítulo 17 e Capítulo 18

Olá Pessoal! Obrigada pelos comentários.
Hoje posto dois capítulos devido à Especial Páscoa.
Quanto a um próximo capítulo, será postado na Segunda o capítulo 19 e de seguida a postagem de capítulos irá voltar a ser às Sextas. O capítulo 19 na segunda feira é considerado um Especial, devido a não ser o dia habitual para postagem de capítulos.

Desejo-vos a todos uma boa Páscoa!

Erii: A sério? Também é dia 17 de Maio? Que coincidência! Então no dia 17 de Maio o capítulo vai ser especial por duas razões: a do blog e o teu aniversário. Obrigada pelo comentário.

Anónimo: Agradeço pela opinião. É importante saber a opinião de quem lê.

Bem, fiquem com os capítulos 17 e 18.

Atenção portugueses: Esta história está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.

Capítulo 17

O pai da Catharina colocou a mão no ombro do Ricardo.
- A Catharina e o Afonso são irmãos.
- Como é que eles são irmãos? - perguntou o Ricardo desnorteado.
- Eu tive um caso com a mãe do Afonso. Eu separei-me da mãe da Catharina. Depois com a morte da mãe dela fui eu que fiquei com a guarda.
- E ainda continua com a mãe do Afonso?
- Não, ela casou-se novamente e o Afonso mora com o padrasto e a mãe.
- E a Catharina sabe que é irmã do Afonso?
O pai e o Afonso olharam-se.
- Não Ricardo. - respondeu o amigo.
O Ricardo olhou para a Sílvia.
- E vocês sabiam disto?
A Sílvia afirmou. A Laryssa negou.
- Fiquei tão espantada como tu. - disse a Laryssa.
- Eu já sabia, Ricardo. - respondeu a Sílvia.
- Mas vão ter que lhe contar.
- Sim, e iremos quando ela sair daqui. - disse o pai da Catharina.
O Ricardo já descobriu um segredo, faltava o principal. 
O que era grave?

Capítulo 18

Narrado por Catharina

Alguns dias passaram, descobri que era irmã do Afonso, algo que adorei saber. Eu adoro-o!
Neste momento eu estava com o Ricardo num parque. Estávamos a conversar. Era sobre coisas divertidas. Do nada, ele ficou calado.
- Calaste-te de repente, o que aconteceu? - perguntei preocupada.
- Catharina, eu sempre pensei que íamos ficar juntos para sempre. Que iríamos dar uma lição a todas aquelas pessoas falsas do colégio.
Eu fiquei triste. Isso não seria possível.
- O que aconteceu? - perguntou ele ao perceber a minha tristeza.
- Nós não vamos ficar juntos para sempre, Ricardo.
- Porquê?
- Porque a morte vai nos separar.
- Como assim? - perguntou ele sem perceber.
- Ricardo, eu tenho cancro.

Aqui está.
A história está prestes a terminar. Vou colocar no lado direito o dia de postagem dos últimos capítulos. 
A Erii conseguiu acertar no problema da Catharina. Como irá acabar é que ninguém ainda sabe, mas dêem as vossas ideias. O que acontecerá com a Marina, com a Stefanny, com a Sílvia e com outros personagens.

Bjs e até Segunda.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Capítulo 16

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários.
Hoje é dia 15 de Abril (como leram acima do título do post) o que significa que falta pouco mais de um mês para o blog fazer 5 anos, que é no dia 17 de Maio.
Eu estou já a fazer a contagem decrescente porque 5 anos de blog é muita coisa comparado com a maioria dos blogs ativos desde 2009, que são poucos.
A outra boa notícia é o facto de a minha história, O Destino, ter sido terminada! Estou muito feliz e é mais uma história minha concluída e a primeira de 2014. A história continua com a mesma essência de mistério que as anteriores têm. Tem um pouco de "A Escola do Terror" e "Encontro com o 666", no entanto, esta não se passa necessariamente numa escola, não tem por base uma escola e tem homossexualidade que é algo novo na minha escrita. Talvez vá perder seguidores, talvez não mas enfim...se os perder é uma questão de preconceito.
Vamos então ao capítulo 16 que é o início do drama. Vi pelos comentários que estão ansiosos para isso e aqui está.
Boa leitura!

Anónimo: Qualquer história tem que ter algum romance, por mínimo que seja. Obrigada pelo comentário.

Atenção portugueses: Esta história está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.

Capítulo 16

Uma semana passou, estava num restaurante com o Ricardo e eu realmente não me estava a sentir muito bem mas tentei não lhe preocupar. Ele começou a falar de assuntos alegres mas passado um tempo não resisti mais. Tinha de lhe dizer.
- Ricardo, eu não me estou a sentir muito bem.
- O que sentes? - perguntou-me, preocupado.
Eu sinceramente não estava muito bem tanto que acabei por desmaiar nos braços dele. Estava mesmo muito mal.

Narrado pela autora

Pouco tempo depois, o Ricardo e o pai da Catharina estavam na sala de espera de um hospital perto do tal restaurante.
- Parece que chegou o momento. - disse o pai da Catharina.
- Que momento? - perguntou o Ricardo.
O doutor apareceu na sala de espera. Tanto o pai da Catharina como o Ricardo foram ter com o doutor.
- Finalmente apareceu. Como está a minha filha? - perguntou, preocupado.
- Ela está bem. Ficará esta noite apenas para observação mas amanhã cedo ela pode regressar a casa.
O Ricardo respirou de alívio.
- Felizmente não foi nada grave.
- Bem, na verdade não foi grave, é grave. - disse o médico.
- Como assim?
O pai da Catharina interrompeu.
- Ricardo não é o momento, doutor o Ricardo é o namorado da Catharina. Ele ainda não sabe.
O Ricardo achou tudo muito estranho.
Nesse momento, chega o Afonso a correr na companhia da Sílvia e da Laryssa.
- Como está a minha irmã?
- Como assim irmã? - perguntou o Ricardo.

Foi um capítulo pequeno mas compenso-vos no sábado com o capítulo 17.
Tal como vos disse, o drama começou. 
O Afonso é irmão da Catharina? Vocês alguma vez pensaram que isto poderia ser possível? A forma como a Catharina se dava bem com o Afonso podia ser por eles serem irmãos?

Bem, no sábado têm novo capítulo. Vou atualizar a página das histórias com a nova, ainda sem sinopse revelada e espero por vocês no sábado.

Divulgação especial de uma leitora do blog:

Vejam o blog e se quiserem e puderem, comentem. A escritora agradece.

Bjs :)

sábado, 12 de abril de 2014

Capítulo 15

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários.

Anónimo: Eu não tenho que escrever sempre algo semelhante a "Uma Vida de Sombra", "A Escola do Terror" e "Encontro com o 666".

Atenção portugueses: Esta história está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.

Capítulo 15

Passaram mais uns dias, eu e o Ricardo estávamos bem, agora nem a Marina nos incomodava, no entanto, eu não andava a sentir-me bem. Estava cada vez mais cansada. Não sei se eram os testes, se estava nervosa.
Era o último dia de aulas do segundo período. Cheguei ao colégio e vi cartazes escritos. Eram sobre mim e o Ricardo. A Stefanny assim que me viu, foi ter comigo. Tinha papeis na mão.
- Hey nerd, olha para isto.
Começou a rir e afastou-se de mim...
Sim, fui gozada e foi do pior. O Ricardo foi ter comigo fora do colégio.
- Calma! Eles não vão gozar contigo o resto da vida. Eles vão se cansar.
- Eu estou a ficar cansada. - disse eu.
- Tu és forte Catharina, eu acredito em ti.
- Eu preciso de ir para casa.
- Isto só pode ser obra da Marina.
- Eu estou bem mas humilhada. - disse eu a chorar.
Ele pegou no meu queixo e olhou para mim.
- Eu não vou deixar que ninguém goze contigo. Ninguém. - assegurou-me.
Eu baixei a cabeça.
- Ricardo, não dá mais. Eu fiz te prometer que nunca te apaixonavas por mim e é isso que vai acontecer.
- Mas às vezes torna-se impossível cumprir promessas impossíveis. Catharina, eu preciso do teu amor.
- Ricardo, eu também preciso do teu amor mas...
- Não existe a palavra mas no meu dicionário. - disse ele a sorrir.
Eu tive de ficar calada, não tinha mais nada o que dizer.

Aqui está o capítulo.
Este capítulo é pequeno porque o próximo é a chegada ao drama. Demorou mas finalmente chegou. O "romance" vai terminar.
O próximo capítulo será postado na terça. Espero por vocês.

Bjs :)

terça-feira, 8 de abril de 2014

Capítulo 14

Olá Pessoal!
Tal como informei no Facebook, aqui estou eu mais cedo. Obrigado pelos comentários.

Afonso: Não me iria esquecer. És sempre o primeiro a ler os capítulos e agradeço por estares sempre por cá.

Cristiane: Obrigada pela opinião.

Anónimo: Se não gostas, não leias. Simples! Foi bom saber que eu era uma das tuas escritoras favoritas no Blogger mas se não gostas não leias. Desculpa, mas é exactamente isso que eu penso. Se te recusas a ler, não leias.

Vasco F.: Mudei algumas coisas também nas sinopses das outras histórias. Obrigada.

Juliana Dindarova: Vais ter que perceber por ti! Obrigada.

Sílvia: Mais respeito por favor. As pessoas têm o direito a não gostar. Agradeço pelo comentário.

Erii: Vais ler todas as histórias? Vai demorar não anos mas sim séculos! É muita coisa! Boa sorte e espero que gostes das histórias. Obrigada pelo comentário.

Bem, depois destas respostas, trago aqui o capítulo 14. Espero que gostem. E tal como disse no post anterior: Não acreditem que isto é um romance, porque certamente não será.

Atenção portugueses: Esta história está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.

Capítulo 14

Alguns dias se passaram depois da conversa que tive com o Ricardo. Estávamos quase nas férias da Páscoa. Eu e o Ricardo continuávamos a ter as explicações, ou melhor, ele continuou. As notas dele estavam a subir e parece que com isso a sua imagem de rebelde estava a acabar. O que me preocupava um pouco, sendo sincera. A qualquer momento ele podia gozar comigo à frente de todos se aquilo fosse um jogo. Estava a entrar no colégio para mais um dia de aulas quando vejo nas paredes fotos minhas. Estava algo escrito nessas fotos. Aproximei-me para ler. Estava escrito coisas horríveis sobre mim. Em segundos vejo os meus colegas a entrar e a ler o que estava escrito nas fotos. Todos olharam para mim. Eu baixei a cabeça e comecei a chorar. Todos estavam a gozar comigo. Eu ouvia o riso alto da Marina e da Stefanny. Foram elas que fizeram isto, tenho a certeza. Naquele momento vejo o Ricardo a entrar com o Afonso, a Sílvia e a Laryssa. O Ricardo falou.
- O que se passa aqui?
- Parece que a nerd não é tão popular...ou talvez seja mas pelos maus motivos. - ouço a Marina a falar.
O Ricardo foi ter comigo e agarrou-me o braço com delicadeza. Meu Deus, se realmente existes tira-me daqui! Nem quero pensar no que vem a seguir.
- Tu estás bem? - perguntou-me.
Claro que estou bem, estou a ser gozada pelo colégio inteiro mas estou bem. Que coisa maravilhosa! Óbvio que estou a ser irónica.
- Sim. - apenas lhe respondi.
Ele olhou para todos mas antes que pudesse dizer alguma coisa, a diretora chamou-nos à atenção.
- O que vocês estão a fazer? Quem fez isto?
O Ricardo olhou para a diretora.
- Desculpe diretora mas vou ter que fazer alguma coisa antes.
A diretora esperou.
- Todos sabem que eu sou um rebelde e que não me relaciono com nerds como a Catharina...
Pronto, lá vou eu ser gozada...mas agora por ele.
- ...mas pela primeira vez na vida, eu agradeço à diretora por me ter posto de castigo. Foi muito bom até porque melhorei as minhas notas e conheci melhor... -ele olhou para mim - ...a nerd antipática que falavam tanto mal. A Catharina não é antipática, nem se deve julgar as pessoas pela aparência. A Catharina é uma pessoa fantástica e conhecê-la mudou a minha vida para melhor. Eu apaixonei-me por ela, por ela ser como é: uma pessoa adorável. Com defeitos como toda a gente mas sempre um amor de pessoa. E não vai ser uma pessoa ou pessoas que me vão fazer odiar a Catharina. Não vai ser a Marina, que é uma pessoa falsa, só ligada à imagem que me vai fazer mudar de ideias. E isto que ela fez não vai valer de nada. Eu vou ficar com a Catharina até ao fim. E acabei aqui diretora.
Ele foi-se embora e todos ficaram parados. Tanto eu como a Marina não quereríamos acreditar. O Ricardo tinha dito mesmo aquilo?! Difícil de acreditar.

Fica por aqui.
Espero que tenham gostado.
Sábado cá estou eu outra vez para postar mais um capítulo. Caso poste mais cedo irei avisar na página do Facebook.

Bjs :)

sábado, 5 de abril de 2014

Capítulo 12 e Capítulo 13

Olá Pessoal! Espero que tenham tido uma boa semana. Obrigada pelos comentários.
Eu actualizei a página "Histórias". Caso ainda não tenham visto, vejam pois mudei algumas coisas.
Estou quase a terminar a minha nova história "O Destino", com personagens homossexuais. Até informei na página do Facebook.
A partir de hoje, irei postar às terças e aos sábados e por isso, espero por vocês na terça feira à tarde (para quem lê esta história).
Hoje irei postar dois capítulos pois no dia 3 de Abril um leitor do blog fez anos (o Afonso) e por isso o capítulo 12 é um especial aniversário. Desculpa pela demora, Afonso! Parabéns atrasados e obrigada por leres o blog.

Atenção portugueses: Esta história está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.

Capítulo 12

Alguns dias depois decidi falar com o Ricardo após a explicação.
- O que se passa com a Marina?
Ele olhou espantado para mim.
- Sim, não faças essa cara.
- Eu não sei do que estás a falar Catharina.
Não sei se ele me chamou pelo nome para não me chatear se lhe saiu naturalmente. De qualquer das maneiras eu não irei ser simpática.
- Sabes muito bem. Porque é que a Marina me está a tentar humilhar?
O Ricardo baixou a cabeça.
- Afinal sabes. - disse eu zangada.
- Catharina, tu não percebes. Eu desrespeitei as regras dos rebeldes.
Eu continuei zangada.
- E qual é a grande regra?
Ele olhou para mim.
- Que ninguém podia se apaixonar por nerds.
Nós ficámos calados.
- Pois. Eu disse isso à Marina e ela não gostou e agora não pára de te humilhar.
Eu não conseguia raciocinar bem. Estava desnorteada.
- Tu não estás...
- Sim. Apaixonei-me por ti Catharina. - terminou ele por mim.
Ficámos de novo calados.
- Mas eu disse que...
Eu não conseguia terminar nenhuma frase.
- Eu sei. Desculpa. Não sei o que me deu. Acho que com este pacto conheci-te verdadeiramente.
Eu só sabia abanar a cabeça. Ele estava de cabeça baixa.
- Eu vou-me embora. - disse ele se levantando da cadeira.
- Eu vou pensar e depois digo-te alguma coisa. - disse-lhe eu ainda sem saber o que pensar.
- Está bem Catharina.
Ele saiu da sala e eu fiquei a pensar. Isto não podia estar a acontecer.

Observação da autora:

Qual será o problema dela?

Capítulo 13

Pois, eu assumi. Alguns dias mais tarde eu estava a namorar com o Ricardo. É uma loucura sim mas pelo menos estarei a arriscar. A Laryssa não queria que eu fizesse isto, ela pensa que ele está a brincar com os meus sentimentos. A Sílvia até concordou comigo. Ela afinal deve saber de alguma coisa. O colégio todo já sabe que eu estou com o Ricardo. A Marina não gostou da notícia e está a tentar a todo o custo me humilhar mas é em vão. 

Observação da autora:

Bem, aquele que parecia ser o rebelde virou calminho e a rotulada por nerd é agora a rebelde? Que estranho.

A Marina, depois de mais uma aula de Português, foi falar comigo.
- Hey nerd, achas que alguma vez o Ricardo vai estar a ser sincero contigo? Ele brinca com todas as nerds que lhe aparecem à frente.
Eu não quis acreditar nela mas era quase impossível.
- Não acredito em ti. Tu queres o Ricardo por isso é que fazes isto tudo.
- Estás a enganar-te a ti própria. Pensa lá bem, o Ricardo acabaria com a sua imagem de rebelde por querer alguma coisa contigo?
- Sim. - disse eu tentando parecer convicta.
Ela riu.
- Esquece nerd, o Ricardo está só a brincar contigo.
O Ricardo foi ter connosco.
- Marina, o que é que estás a fazer?
A Marina sorriu, eu fiquei séria.
- Nada querido.
Ouvi a Stefanny a rir. Ela estava a ouvir a conversa toda.
- Vai-te embora. - pediu ele zangado.
A Marina olhou para a amiga, riu e de seguida afastou-se. O Ricardo olhou para mim.
- Catharina, estás bem? A Marina disse-te alguma coisa?
Olhei para o chão. Estava a sentir-me triste. Ele olhou para mim preocupado.
- O que se passa?
Eu sentei-me no chão frio do corredor. Ele fez o mesmo.
- Nada. - apenas disse.
Ele fez com que eu levantasse a cabeça.
- Não ligues para o que a Marina te disse.
- E se for verdade?
O Ricardo respondeu-me com certeza.
- Não é. Nada do que ela diz é verdade. Ela só sabe mentir.
- Uma relação entre um rebelde e uma nerd não dá resultado. - continuei.
O Ricardo respirou fundo.
- Pode dar. Se termos plena confiança um no outro e não ligar para as más-línguas.
Eu olhei para ele. Ele não podia ter dito aquilo com tanta convicção. Estaria mesmo a ser verdadeiro?

Observação da autora:

Eu penso que sim, além disso o Afonso e a Sílvia parecem ser boas pessoas e deixaram de ser amigos da Marina.

E aqui terminam os dois capítulos.
Estas observações da autora são estranhas para vocês? Precisava de saber a vossa opinião já que o narrador nesta história não está presente.
Enfim, espero que gostem e queria dizer mais uma coisa antes de acabar este post: nada do que lerem agora será verdade ou irá terminar bem. Não se esqueçam que esta história é um drama, não um conto de fadas de uma nerd com um popular.

Bjs :)