sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Capítulo 14 (Parte 2)

Olá Pessoal! Espero que tenham tido uma boa semana.
Obrigada pelos comentários.
Aqui está a última parte do capítulo 14.

Capítulo 14 (Parte 2)

Corou.
- Talvez seja melhor manteres a Melissa ocupada -recomendou a Estela para o Fábio, esperando que ele não reparasse nas suas bochechas vermelhas -enquanto tratamos do Duarte. Não queremos que ela se atravesse à nossa frente só para o tentar salvar.
- Foi por isso que o Nélson veio -observou o Fábio, olhando para o irmão que estava a olhar para o seu prato com um olhar triste. Tal como todos os outros amigos, ele só estava à espera que a Melissa e o seu acompanhante idiota chegassem.
- Mesmo assim -insistiu a Estela -Não quero que estejas perto de mim quando...tu sabes.
- Eu ouvi-te nos primeiros 10 milhões de vezes que me disseste isso. -murmura o Fábio -eu decorei o que disseste. Foste extremamente clara.
Não conseguiu evitar estremecer. Ele não se estava a divertir. Via-se bem. Bem, e depois? Ele pediu para que ela não fugisse e ela não podia dizer que não agora.
- Eu não consigo ficar aqui Raul, eu vou ter com a Zélia. -disse a Camila dando um beijo ao namorado.
- Dizem que a Zélia anda com o miúdo solitário da turma. -disse a Fabiana.
- E andam de verdade mas eu vou tentar ficar a sós com a minha melhor amiga e colega de quarto. -disse ela saindo.
- Fiquem descansados, ela não vai contar nada. -tranquilizou o Raul.
A Estela colocou a mão na testa.
- Esqueci-me de uma coisa no meu quarto.
- Eu vou contigo. -disse o Fábio.
- Posso ir com vocês? Preciso de saber se a Vânia está no colégio trancada em algum sítio. -disse o Nélson.
Eles saíram do refeitório. O Fábio e a Estela entraram no quarto dela e o Nélson seguiu pelo corredor. Ela estava demasiado aturdida para ter dito ao Fábio que não podia ir com ela. Mas à medida que o choque inicial ia passando, descobriu que não queria impedi-lo. Sentia-se atordoada quando se apercebia de que gostava da sensação de estar ao lado do Fábio. Sentia-se bem. Sentia-se segura. Sentia-se quente. Não se sentia a nova aluna. Apenas ela. A Estela. Era uma sensação à qual se podia habituar.
- Estela -disse o Fábio devagar.
Ela olhou-o sonhadora. Não acreditava que nunca reparou em como ele era atraente, ou talvez tenha reparado, mas nunca ficou realmente registado porque um tipo como ele iria alguma vez ver uma rapariga como ela? Nunca, nem mesmo um milhão de anos, ela imaginaria que chegaria perto do Fábio. E ele só podia sentir pena dela. Mas ainda assim.
- Hum. -murmurou, sorrindo para ele.
- Eu -o Fábio, por alguma razão, parecia desconfortável -estava a pensar se, tu sabes, quando isto tiver acabado tudo e tiveres tirado a fama ao Duarte, e a Vânia e o Nélson estiverem novamente juntos, se gostarias de, hum...
O que estava a acontecer? Estará ele prestes a convidá-la para sair? Como um encontro a sério? Não, não estava a acontecer. Era um sonho, ou algo do género. Num minuto ia acordar e ia tudo desaparecer. Porque como é que uma coisa destas é sequer possível? Não conseguia respirar com a certeza absoluta de que ia destruir qualquer que seja o feitiço sob o qual ambos estavam se o fizer...
- Sim, Fábio?
- Bom -ele era incapaz de manter o contacto visual por mais tempo -se gostarias de, tu sabes, talvez andarmos...
Enquanto eles estavam a falar, o Nélson tinha encontrado a Vânia. Ela estava fechada dentro da cave do colégio. Quando o Fábio disse aquilo à Estela, uma pessoa com voz familiar tinha aparecido no quarto dela.
- Com licença. Mas posso falar com a Estela?
A Estela fecha os olhos irritada. Não acreditava no que estava a acontecer. Num momento tão importante da vida dela, alguém teve de interromper. Mas para ela tinha acabado.
- Olha -reagiu, virando-se para encarar o Duarte -como te atreves a aparecer assim sorrateiramente...
A voz dela apaga-se. Ele estava a tentar seduzi-la. A tentar? Ele estava a conseguir. É verdade que não era o Fábio. Mas olhava para ela de uma maneira que deixava bem claro que estava a querer algo. Ela, quando dá por si, o Duarte já estava a levá-la para fora do corredor de mão dada com ela. Chegou ao refeitório com ela ainda de mão dada.
- Estou tão contente por finalmente termos oportunidade de nos conhecermos. -disse-lhe o Duarte a fazer uma voz que parecia acariciar-lhe. Tinha deixado todos para trás: O Fábio, o Raul, o Nélson, a Melissa estava a olhar com olhos de ciumenta, a Fabiana, que olhava boquiaberta, a Camila e a Zélia e até o amigo do Duarte, o Tomás.
- Vês? -continua o Duarte enquanto se sentava com ela numa mesa do refeitório -não sou assim tão aterrador, pois não? Na verdade, sou exactamente como tu, simpático.
Ela já estava embalada. Ele era um idiota. Ela não podia estar ali mas era um perigo doce. De repente sente a sua camisola molhar.
- Ai -gritou e virou-se. Foi o Fábio que lhe tinha mandado um copo com água à blusa.
- Desculpa -intervém o Fábio -falhei.
Um grito recuperou os sentidos da Estela.
- Esse Duarte é um idiota. Brincou com todas as raparigas deste colégio. -era a Vânia.
A directora olhou para ela assustada mas não disse nada apenas ouvia a conversa dos alunos.
- Ele meteu-se em inúmeras confusões, por pouco não foi preso. -disse a Fabiana, séria.
- Foi assim que teve fama. Uma cara bonita, desportista e já está. -disse o Raul.
A directora interrompeu dizendo simplesmente:
- Duarte, no meu gabinete agora. -numa voz calma.
O Duarte mandou um olhar cortante para o Fábio e para a Vânia e saiu. A Estela respirou fundo.

Espero que tenham gostado.
O próximo capítulo será na próxima sexta.

Bjs :)

22 comentários:

  1. ficou fixe.
    o Duarte vai ser expulso?

    ResponderEliminar
  2. tá lindo.
    posta logo.

    Beijos,
    Natasha Alyosha.

    ResponderEliminar
  3. O Duarte vai ser expulso?Por favor,que seja!

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito!
    Espero que o Duarte se vá embora do colégio a não ser que seja ele o culpado das mensagens.

    ResponderEliminar
  5. Queria que o Duarte morresse mas como não vai morrer,quero que saia do colégio.
    Posta logo.

    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  6. Quero mais capítulos!Quero mais capítulos!

    ResponderEliminar
  7. Ele vai agora embora ou vai ser só suspenso?

    ResponderEliminar
  8. fixe!quero ver o que vai ser da melissa depois desta confusão com o duarte.

    ResponderEliminar
  9. Estou curioso para o que vai acontecer ao Duarte.

    ResponderEliminar
  10. O Duarte vai morrer!Ninguém fica vivo.

    ResponderEliminar
  11. o que acontecerá a ele?quero saber!

    ResponderEliminar
  12. finalmente a vânia regressou!o que se passou com ela?foi o duarte que a colocou lá?
    estamos curiosas!

    ResponderEliminar
  13. É curiosos como fizeste as personagens interagirem nesse capítulo.O comportamento da Estela face à presença do Fábio,o mistério presente no capítulo graças ao desaparecimento da Vânia e agora o final do Duarte.
    Continua!

    ResponderEliminar
  14. tá giro!
    estou muito curiosa para o que vai acontecer com o duarte.
    outro capitulo depressa.

    ResponderEliminar
  15. Esse Duarte tem que ser expulso. Ele não merece ficar lá. Beijinhos!

    galerafashion.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  16. Adorei o capítulo.
    Pelo que vi nos outros comentarios percebo que não é só eu que quer que o Duarte seja expulso, vamos ver o que você fará...
    Achei o momento Estela e Fábio muito fofo *--*

    ResponderEliminar
  17. Gostei muito! :)

    http://historiaimperfeita.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.