AVISO...

Olá Pessoal!

Já avisei na Página do Facebook e decidi avisar no blogue também.

Na página Livros têm os links onde poderão comprar o livro "A Escola do Terror".


Aviso mais uma vez que tem alterações ao que está no blogue!


Obrigada.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Capítulo 13 (Parte 1)

Olá Pessoal!
Obrigada pelos comentários.
Não foi romance o capítulo passado como muitos comentaram ou, pelo menos, tentei não o fazer. Não tenho muito jeito para escrever romances mas se o foi é porque não foi um bom capítulo.
Fiquem com a parte 1 do capítulo 13 e espero que gostem da história. Irei terminá-la em breve pois as pessoas não gostam muito dela. Perdi leitores, comentários, enfim...

Capítulo 13 (Parte 1)

O Nélson estava com a Vânia no quarto dela.
- Tu estás bem? -perguntou ele preocupado.
- Óptima. -respondeu ela a sorrir.
Houve silêncio. Era constrangedor. A Vânia encerrou-o com um assunto sério. Para ela.
- Foi verdade o que disseste?
Ele não sabia o que ela se estava a referir.
- Que gostavas de mim e eu troquei-te pelo Duarte.
Ele afirmou com a cabeça. Estava com receio da reacção dela. A Vânia simplesmente sorriu.
- Achas que vou acreditar nisso? Tu estás com a Melissa, a minha inimiga.
- É tua inimiga e ela nem te fez mal.
- Ela fez-me mal! Quando me tentou pregar sustos.
O Nélson abanou a cabeça.
- Vânia, não foi ela. Há algo neste colégio que me assusta. -admitiu ele -há algo que não bate certo. A Melissa viu a mesma rapariga que tu e só as duas é que a viram. Parece que pregaram sustos uma à outra mas aquilo que vi no teu espelho do quarto já não podia ser a Melissa. Há qualquer coisa neste colégio que nos manda embora.
- Não desvies a conversa.
- Eu não estou a desviar a conversa. Se queres mesmo saber, sim, gosto de ti mas foste tu que mudaste por quereres ser a popular e não quereres saber dos outros com esse ar de miúda mandona. E desisti de ti sim, desisti da nossa relação. Eu era popular mas acima disso estavam os meus amigos, os meus irmãos e principalmente tu. Mas tu decidiste mudar. E decepcionei-me.
A Vânia calou-o, abraçando-o. Desabou a chorar.
- Desculpa, eu não dei valor às coisas que estavam na minha vida, às pessoas importantes que estavam na minha vida. Agora é tarde e ninguém me vai ajudar a sair do poço sem fundo.
- Nunca é tarde para mudar e tu... -deixou de a abraçar, agarrou nas mãos dela e olhou para os seus olhos -...tu podes te ajudar. Só tu.
“Só eu me podia ajudar? Como assim?” -pensou ela. Ele saiu do quarto dela sem lhe dizer nada. Ela adormeceu um tempo depois e não reparou que a Fabiana tinha entrado no quarto e se deitado. Umas horas passaram, a Melissa estava na cama dela...com o Duarte. A Estela ao acender a luz do abajur, assustou-se.
- O que ele está a fazer aqui contigo? -gritou ela.
Os dois acordaram.
- Estela? Pára de olhar assim para mim! -pediu a amiga.
- O que é que esse...Duarte está a fazer contigo?
- Acabámos por adormecer, desculpa se te incomodámos Estela. -respondeu ele.
- Não me dirijas a palavra Duarte. -disse a Estela apontando o dedo para ele.
- Pára com isso Estela. O Duarte é um amigo.
- Um amigo?
A Estela não acreditava no que estava a ouvir. Enquanto pensava nisso, os seus pensamentos foram cortados com um grito.

Continua...

Espero que tenham gostado, se não, comentem o porquê.

Bjs :)

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Capítulo 12

Olá Pessoal!
Espero que a vossa semana tenha corrido bem. Sejam bem-vindas as novas seguidoras!

Evanir: Obrigada pelo comentário.

Sophia Gomez: Também acho estranho. Obrigada pelo comentário e não tem problema, comenta quando puderes.

Bem, esta história O Colégio Interno tem tido menos visualizações, comentários e leitores. Sei que não é do agrado da maioria de vocês mas qualquer critica construtiva que queiram fazer estão à vontade.

Capítulo 12

Elas encaminharam-se para uma sala de aula com ele atrás. Entraram dentro da sala e fecharam a porta. Estavam fechados numa sala. Se a directora os visse levavam um castigo. Não que isso fosse importante, pois o Fábio já lhes tinha dito que não se ia embora enquanto não soubesse a história toda. O problema é que, naquele momento, ele já não sabia o que pensar. Por um lado sentia-se aliviado por o Duarte não levar a Estela mas por outro ele podia ser capaz de fazer isso à força, bastava querer.
- Sabias que os alunos têm os seus processos? -perguntou a Fabiana para o Fábio.
Ele afirmou com a cabeça. Tantas perguntas! Tantas perguntas e tão poucas respostas. Como a nova que acabava de lhe ocorrer: Como é que ia conseguir que a Estela olhasse para ele da mesma maneira que a Vânia estava a olhar para aquele tipo, o Duarte?
- O Duarte é filho de um pai polícia. -disse a Fabiana.
- Isso já toda a gente sabia. -respondeu o Fábio.
- Mas o que não sabes é que ele meteu-se em muitas confusões, por pouco não foi parar à cadeia.
- Mas ele é menor.
A Estela abanou a cabeça.
- Ele já tem 18 anos. Chumbou por causa da quantidade de confusões em que se meteu.
- Os pais para castigo meteram-no neste colégio por ser um bom colégio e educar bem os alunos. -continuou a Fabiana.
- Mas que confusões?
- Uma delas foi ter traído o melhor amigo dele. Ele dormiu com a namorada do melhor amigo. -disse a Fabiana.
- A rapariga não fez nada?
- Claro que não. Ela era a mais popular do colégio deles. O Duarte apareceu na escola e tornou-se no mais popular deixando o melhor amigo para trás, além de que ela preocupava-se mais por continuar a ser popular do que com o namorado. -disse a Fabiana.
O Fábio estava espantado.
- A Vânia...
- Sim, a Vânia é a mais popular deste colégio e ele deve ter pensado que ela era como todas as outras miúdas populares. Ela apaixonou-se por ele, infelizmente.
- Mas tu também és popular. Ele podia ter tentado algo contigo.
- Sim mas eu desde o principio que dizia que odiava rapazes como ele e é verdade.
- Porque é que o Duarte não levou a Estela quando a viu? Eu não causo medo.
Isto era uma das coisas que andava a incomodar-lhe.
- Porque ele deve ter descoberto algo. Talvez também por estar lá a Vânia e não ver a sua presença. -respondeu a Estela.
O Fábio estremeceu. Não conseguia evitar.
- Não vos preocupa que com a Vânia a ter estes pensamentos de o Duarte ser o melhor possa a pôr em perigo?
A Fabiana afirmou com a cabeça.
- A Vânia pode ter um ar de durona mas é sensível.
Houve silêncio.
- Então -a Fabiana olha para o Fábio -acreditas em nós agora?
- Acredito. -afirmou. Na verdade não conseguia acreditar no que elas diziam, embora saber que elas não podiam estar a mentir.
- Óptimo -disse a Fabiana -talvez seja melhor não contares isto a ninguém. Agora se não se importam podiam ir para a cama.
E saiu da sala, fechando a porta de seguida. A Estela sorriu para ele.
- Obrigada por me teres salvo do Duarte.
- De nada. Quando quiseres, estou aqui.
O rosto dela transformou-se em preocupação.
- Fábio -começou ela. E havia qualquer coisa no modo como os seus lábios formavam o seu nome que o fazia sentir-se um tanto ou quanto louco...como se quisesse abraçá-la -agradeço. Agradeço mesmo. Mas é demasiado perigoso.
- Eu não quero saber se é perigoso.
- Fábio -ela abanou a cabeça -não compreendes. Não te posso deixar que arrisques a tua vida dessa maneira. Para mim é diferente pois eu e a Fabiana sabemos a verdade mas tu não compreendes.
O Fábio fez parar a Estela.
- Diz-me só que não vais fugir de mim.
Ela fixou os seus olhos nos olhos dele.
- O quê?
- Desculpa -disse -mas não vais fugir de mim agora que sei a verdade.
Ele deve ter tido um aspecto aterrador pois ela só disse:
- Está bem. Mas vais sofrer.
Ela teve a última palavra o que para ele era óptimo. Ela podia ter a última palavra. Agora ela não iria fugir dele.

Aqui está. Pronto.
Obrigada pelos comentários no capítulo anterior. Obrigada pelos elogios. Quando eu penso que esta história está horrível graças às vossas respostas, mais comentários agradáveis aparecem.
Até sexta.

Bjs :)

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O rapper Eminem faz 41 anos

Olá Pessoal!
Não vim postar nenhum capítulo, vim dar os parabéns a um rapper que eu admiro.


Eu não poderia deixar em branco este dia especial para todos os fãs do Eminem.

Foi exactamente no dia 17 de Outubro de 1972 que nasceu Marshall Bruce Mathers III mais conhecido como Eminem. Queria usar as suas iniciais M&M, mas não podia devido a marca de chocolates. Foi quando surgiu a ideia de escrever o seu nome como é falado em inglês surgindo Eminem.
Nasceu em St. Joseph, nos EUA e mudou-se para Detroit quando tinha 5 anos, onde passou a maior parte de sua infância e adolescência. O rapper comemora hoje seu 41º aniversário.
Eminem começou com a carreira musical incetivado pelo seu tio Ronnie. Aos 9 anos de idade, o músico já teve contacto com o Rap. Aos 15 anos, ele largou a escola, quando conheceu Proof. Os dois participavam de concursos de Rap no Hip Hop Shop, em Detroit.
Mais tarde foi descoberto pelo produtor, rapper Dr. Dre, e logo depois se tornou um sucesso graças as suas famosas rimas. O seu primeiro CD foi muito criticado pela Billboard, que dizia "álbum feito para vender explorando o pior do mundo". Mas ele conseguiu vingar-se no Rap.
Chamado quase como um Rei do Rap, Eminem reproduziu a sua vida pessoal em músicas agressivas que simplesmente dominaram o mundo.
Hoje, completando 41 anos de idade, não é para menos que olhe para atrás e veja marcas deixadas no chão como conflitos com as maiores divas da actualidade, Mariah Carey e Christina Aguilera, duas adopções polémicas, dois casamentos e dezenas de álbuns extremamente confiantes e controversos. Eminem adoptou essa imagem agressiva e impiedosa, mas sabemos que dentro deste homem há inteligência, sabedoria, senso e amor.
Eminem teve pontos baixos na sua carreira, bem como uma luta muito divulgada contra o vício em drogas e alcóol. A perda do seu melhor amigo e rapper Proof do D12 à violência armada também causou um enorme efeito no rapper. As suas relações tensas com a sua mãe, muitas vezes serviram como alimento para as suas músicas mais pessoais, e as suas batalhas envolvendo a guarda da sua filha, agora adolescente, entre ele e a sua ex-esposa Kimberly Scott também alimentou a sua arte e raiva.
O filme semi-autobiográfico "8 Mile" do Eminem foi pensado por muitos como um relato exacto da vida do rapper, embora Eminem tenha negado que o filme é um retrato de sua vida.
O carinho e demonstração de apoio e amor pelo rapper são demonstrados mundialmente por vários actos, da criação de vídeos caseiros até tatuagens do rapper no corpo.

Enfim, eu podia passar aqui minutos, horas, dias, meses, anos a falar sobre o meu ídolo preferido que é o Eminem. Poderia escrever o que ele significa para mim e para todos os seus fãs espalhados pelo mundo inteiro. Todos nós temos orgulho no Eminem e em que ele se tornou. Um rapper absolutamente fantástico que não tem vergonha de dizer o que sente, nem de dar a sua opinião.

Nunca pensei que seria uma fã dele nem muito menos que ele seria o meu ídolo preferido. Hoje, o Eminem é praticamente a "minha música". Tenho todas as músicas dele guardadas e ouço-as sempre. Adoro as suas letras violentas, mas profundas. A maneira como as críticas não o abalam e como ele goza com artistas como Britney Spears, Christina Aguilera, Lady Gaga, Justin Bieber, etc.

Lembro-me de todos os albúns, faixas bónus, singles.

Slim Shady - Para sempre e sempre.


sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Capítulo 11

Olá Pessoal!
Espero que a vossa semana tenha corrido bem. Obrigada pelos comentários.
Aqui têm o capítulo 11.

Filipa: Obrigada pelo comentário e por seguires.

Elisa Rodrigues: Parece sobrenatural? Que estranho, não escrevi para que se entendesse isso, mas de qualquer forma espero que estejas a gostar. Não gosto do novo acordo ortográfico mas como agora tem que se escrever com ele...enfim...é o país que temos!

Amanda Gomes: Claro Amanda, tudo bem. Estou a ler ainda alguns capítulos que ainda não tinha lido mas em breve comento. Obrigada pelo comentário.

Capítulo 11

A Vânia não acreditava no que estava a acontecer! Quer dizer, ela estava no refeitório a falar com o Nélson. O seu ex e namorado da inimiga dela. Que, aparentemente, a Melissa estava a ignorar.
- Agora a sério Vânia. -Nélson observou-a com os seus olhos castanhos. Era engraçado que, até aquele dia, nunca se tinha apercebido de como ele era atraente. Não era o Duarte mas ia-se arranjando bastante bem, com bom físico e também popular.
- Qual é o problema? -perguntou ele -sei porque não gosto do Duarte. Ele roubou a minha namorada mas e tu?
- É pessoal. E nós já acabámos a nossa relação. Foste tu que começaste o namoro com a Melissa. -respondeu-lhe.
Por um lado, ela estava agradecida por o Nélson a ter salvo. Mesmo que ele não o saiba. O Duarte tê-la-ia batido, talvez. A não ser que conseguisse brincar com ela primeiro. Coisa que, conhecendo o pai que ele tem, ainda iria presa.
- Tu conheces este rapaz nem há um dia, Vânia.
- Ele é perfeito!
A conversa dos dois tinha piorado. Nesta altura, eles já estavam a discutir no corredor. Ele tinha de engolir com força para não deixar que o vómito subisse pela garganta.
- Ninguém é perfeito.
O Fábio e a Estela que estavam a conversar ouviram a discussão. Quando o irmão respondeu aquilo, o Fábio viu-se cortada a oportunidade de dizer o mesmo.
- O Duarte -começou a Vânia a delirar, com os olhos a brilhar -é tão lindo e inteligente e maduro e amoroso.
Agora é que aconteceu. O Fábio tinha ouvido mais do que era capaz de aguentar.
- Vânia -gritou -cala-me essa boca. O Nélson tem razão. Nem sequer conheces o tipo. Porque, se o conhecesses, nunca dirias que é amoroso.
- Mas é -insiste a Vânia, zangada -tu nem sequer o conheces.
Dois segundos mais tarde viu-se a Fabiana a agarrar a Vânia pelos ombros e a sacudi-la com força. Ela era alta e magrinha mas podia com a amiga. Ela queria meter-lhe alguma inteligência na cabeça, nem que fosse à força.
- Ele contou-te não foi? Pensas que eu gosto dele. Mas ele não presta.
- Eh lá -o Raul estava a tentar despregar as mãos da Fabiana dos ombros da Vânia -ei, vá lá. Vamos acalmarmo-nos.
A Vânia libertou-se com um puxão. Estava com uma expressão de triunfo.
- Sim -grita ela, com uma voz triunfante -ele contou-me e avisou-me sobre pessoas como tu, Fabiana. Pessoas que não compreendem, não sabem como ele é. Ele pode ser um idiota...
- Oh meu Deus! -a Fabiana estava em pulgas para lhe dar um estalo. A única razão para não o fazer foi o Raul ter-lhe prendido o braço, quase como se tivesse lido os seus pensamentos -Vânia, tu sabias? E mesmo assim estás com ele?
- Claro que sim. Ao contrário de ti, Fabiana, tenho uma mentalidade aberta. Não tenho preconceitos em relação a pessoas como ele, como tu tens.
- Mentalidade aberta? Preconceitos? Pessoas como ele?
Se não fosse o Raul estar a controlá-la e a murmurar: “Ei, vai com calma”, atirava-se a ela e tentava enfiar-lhe um pouco de senso comum naquela cabeça oca. Ainda diziam que as louras são as burras. A Fabiana era loura e era mais esperta que a Vânia, morena.
- Por acaso ele disse-te qual era a vida dele? Ele goza com todas. Tu és a única que não percebe.
- Sim, eu sei, mas ele mudou.
- Oh, Vânia! -nem acreditava no que estava a ouvir. Bem, quer dizer, acreditava, tendo em consideração que se tratava da Vânia. Ainda assim, pensava que nem mesmo ela seria tão ingénua ao ponto de cair numa destas -isso é o que todos eles dizem. Há séculos que contam essa história às mulheres. “Tu és a única”. É só treta.
- Esperem aí -a mão do Raul deixou de agarrar o braço da Fabiana. Infelizmente, agora que ela estava livre para o fazer, já não tinha vontade de bater na Vânia. Tinha nojo -o que se passa aqui? Isso é verdade?
- Sim, o Duarte é verdadeiramente assim. E nem queiras saber o que descobri mais juntamente com a Estela acerca dele. -disse a Fabiana.
O Raul olhou para a Fabiana sem acreditar, enquanto, ao seu lado, o Fábio assobiava.
- Eu sabia que aquele tipo tinha qualquer coisa que não me agradava.
- Parem com isso! -grita a Vânia -todos vocês! Ouçam o que estão a dizer. Fazem ideia da idiotice com que soam? Sim, o Duarte goza com todas, excepto comigo, mas isso não vos dá o direito de gozar connosco. Eu não matei ninguém, só estou com ele.
- Oh, meu Deus. -suspirou a Fabiana -isso é só mais uma história das dele, Vânia. Não percebes? Todos eles dizem isso. E ele não gosta de ti.
- Eu gosto de ti -declarou o Nélson, com a voz a tremer na palavra eu -e tu trocaste-me por um idiota?
- Vocês não compreendem. Nós os dois amamo-nos e quando for o nosso primeiro encontro vou levar um vestido lindo e...
- Acho que vou vomitar. -avisou o Nélson sussurrando no ouvido do irmão, Fábio.
- Não vais, não -cortou a Fabiana -vais levar a Vânia para o quarto dela. Quando ela adormecer eu irei para a cama também. O resto, tudo para os dormitórios antes que a directora nos veja.
Todos foram embora. O Nélson pegou na Vânia pelo braço e começou a levá-la embora. O Fábio ficou na mesma. Não se mexeu. Nem a Estela.
- Precisas de alguma coisa de mim, Fábio?
A Estela olhou para o Fábio.
- Eu vou já para a cama. -disse a Estela mas o Fábio pegou-lhe pelo braço.
- Fica aqui. Preciso de falar com vocês as duas. Podem começar pelo princípio. Quero saber tudo. O que descobriram? Porque se o que me estão a contar é verdade, se não fosse eu a esta hora a Estela estava com o Duarte e a trair a Vânia. Por isso, comecem a falar.

Aqui está. Pronto.
Espero que tenham gostado.
Volto na próxima sexta.

Bjs :)

sábado, 5 de outubro de 2013

Capítulo 10 (Parte 2)

Olá Pessoal!
Tal como falei, aqui está a parte 2 do capítulo 10. Peço desculpa por ter falhado o dia da postagem. Obrigada ao Anónimo do meu blog que divulgou o blog.

Ana Lia Santos: Obrigado por comentar no blog e por seguir.

Maria: Obrigada. Ainda bem que gostaste.

Marciela Mendes: Obrigada pelo comentário. Que bom que gostaste. Estou a seguir o teu blog.

Luana Mendes: Obrigada por seguires. Ainda bem que gostaste. Estou a seguir o teu blog.

Jullyana Drew: Obrigada. Ainda bem que gostaste.

Nanda Carol: Obrigada.

Espero que gostem da última parte do capítulo.

Capítulo 10 (Parte 2)

- Vamos desmascarar aquele idiota. -disse a Fabiana.
Todos concordaram, excepto o Nélson.
Sujar a camisa do Duarte sem querer? A directora iria acabar por descobrir. Mas o Nélson também pensou que raio de outra coisa ele iria fazer numa sexta-feira à noite? Mas enfim...ele acabou por dizer aos amigos que concordava com o plano.
- Eu só queria saber uma coisa. -disse ele para os amigos.
- Saber o quê? -perguntou o Raul.
- O que é que este Duarte tem que mais nenhum rapaz tenha?
Os amigos olharam uns para os outros. A Fabiana sorriu.
- Comparando contigo acho que só a altura. Ele é mais alto que a maioria dos rapazes deste colégio.
- Claro que não é comparando com ele. O Nélson namora comigo, não com a tua melhor amiga. -disse a Melissa.
O Raul travou a conversa delas antes que fosse tarde demais.
- Bem, esse Duarte tornou-se popular. -disse o Fábio.
A resposta à pergunta do Nélson era bastante óbvia, para qualquer pessoa que olhe para o Duarte, o que é que ele tem que o Nélson não tenha. O Nélson tem um aspecto decente e tudo mas não é um anjo caído do céu. O Nélson estava a sofrer com aquilo. E todos os amigos podiam compreender porquê. A Vânia decepcionou-lhe muito enquanto ainda namoravam. A Vânia era aquela miúda que qualquer rapaz quereria namorar mas não era uma boa rapariga. Tinha aquele ar de Bad Girl que significava um grande perigo em algumas situações. O Nélson gostava dela mas a relação entre eles piorava dia após dia até definitivamente acabar.
Enfim, sexta-feira chegou e ao jantar, o Nélson entornou a sua bebida na camisa do Duarte. A Fabiana só ria vendo que a ideia dela estava a funcionar. O Nélson até achou engraçado ver aquelas manchas na camisa do rapaz. Tudo estava a correr maravilhosamente, até à reacção dele. Foi tudo o que menos se esperava. A directora chegou e ia dar um castigo ao grupo mas o Duarte salvou-os dizendo que tinha sido sem querer e foi trocar de camisa. A Fabiana não queria acreditar. A Vânia, destroçada, foi ter com a amiga e pediu-lhe explicações. A Melissa mandou um copo com água à camisola da Vânia e ela foi trocar de camisola. O Nélson abanou a cabeça, reprovando o gesto da namorada.
- O que foi? Ela estava a querer fazer-me alguma coisa, eu fui mais rápida. -disse ela.
O Duarte apareceu de novo no refeitório e caminhou para perto do amigo, Tomás. Olhou, com olhos arregalados para a Estela. Parecia que só agora lhe estava a prestar atenção. O Fábio notou o olhar do rapaz. “Há qualquer coisa na maneira como ele está a olhar para ela que me faz...bom, só sei que não é para ali que quero que aquele tipo olhe.” -pensou ele.
- Anormal. -murmurou. Principalmente para o Duarte mas também um pouco para si próprio. Depois pegou num copo com água e encaminhou-se para perto dos dois rapazes. Nesse momento, o Duarte olhou para o Fábio. O Fábio tinha chamado a sua atenção. Ao olhar para ele, Fábio recebeu um olhar flamejante. “Vá lá. É isso mesmo. Anda lá Duarte. Queres lutar? Tenho muito mais do que copos com água.” -pensou ele. O que não é exactamente verdade pois o Duarte deitava abaixo o Fábio uma única vez, sem precisar de muito esforço. Mas acaba por não interessar nada, porque, de qualquer maneira, o Duarte não vai à luta. Em vez disso, desaparece. Não quer dizer que se vire calmamente e se vá embora do refeitório. Quer dizer que, num minuto está naquele sítio de pé, no outro está...bem, não está. Durante um segundo, ele tinha desaparecido do refeitório a correr e a Vânia estava sozinha.
- Toma. -disse o Fábio dando o copo com água ao irmão Nélson.
- Que raio...? Tu apareceste e ele fugiu. Para onde é que ele foi? -perguntou o Nélson ao Fábio.
- Traz a Vânia e anda comigo ao corredor. -disse o Fábio indo embora do refeitório.
O Nélson olhou para os amigos com um olhar inquisidor. A Melissa olha para o Nélson. Ele não disse nada, apenas foi ter com a Vânia seguido pelo olhar perigoso da Melissa. Quando a alcançou esta respirava fundo.
- Ei! -chamou-a suavemente. Não a queria assustar mas acabou por o fazer. Ela praticamente deu um salto e fitou-o com os seus olhos castanhos grandes e assustados.
- Ei, calma -tranquilizou-a -ele já se foi. Não está por perto.
- Foi-se? -os olhos dela descreviam o terror e o medo -como...porquê? O quê?
- Desapareceu, simplesmente -encolheu os ombros -ele não é boa pessoa, também estava a criar outra vitima. A Estela. Eu simplesmente alinhei na conversa deles e estive certo.
- Tu o quê?
O terror desapareceu rapidamente no rosto dela como o Duarte. Mas ao contrário do Duarte, qualquer coisa tomou o seu lugar: a raiva. A Vânia estava irritada, furiosa.
- Oh meu Deus, Nélson! -explodiu -perdeste a cabeça? Fazes sequer a mais pequena ideia do que aquele tipo é?
- Sim. -respondeu. A verdade é que a Vânia ficava gira quando se zangava. O Nélson nem acreditava que nunca tinha dado por isso. Bem, ele nunca a tinha visto furiosa. Era o novo namorado da Vânia. Aquele tipo não valia nada.
- O que estás aqui a fazer? -perguntou ela num tom de voz suavemente atordoado.
- Aparentemente, o mesmo que tu. -replicou ele.
- A Fabiana gosta do Duarte. -disse ela.
Então o problema era esse. O Duarte era adorado por todas, até pela rapariga que dizia odiá-lo. Ele tinha de admitir, sentia-se um bocado esquisito quando se apercebia disso. Ele estava com a Melissa mas gostava da Vânia e a Vânia gostava e namorava com o Duarte. Estava um pouco desiludido. Ele pensava que uma rapariga como a Vânia teria mais bom gosto, em vez de andar com um tipo como o Duarte. O que só ia provar que era verdade aquilo que os irmãos lhe estavam a dizer, principalmente o Fábio.

Aqui está. Pronto.
Espero que tenham gostado.
Este capítulo não foi provavelmente romance (ou foi e, nesse caso, eu escrevi muito bem).

Digam o que acham.

Bjs :)

Selo

Olá Pessoal!
Passaram-me um selo. Foram a Sílvia e a Estela que me passaram. Obrigada. Aqui está ele.


Regras:
Repassar o selo para 6 blogs;
Responder as perguntas abaixo.

01. Qual a história da sua URL?
É o meu nome.

02. O que mais gosta de fazer nas horas vagas?
Ouvir música, escrever...

03. Animal preferido?
Não tenho preferência.

04. Cite algumas músicas que goste.
Eminem - Berzerk
Jason Derulo & 2 Chainz - Talk Dirty
Eminem - Cinderella

05. Comida preferida?
Não tenho preferência.

06. Cite algumas esquisitices suas:
- Nunca coloco anéis na mão esquerda a não ser que me case.
- Gosto de filmes de terror mas sou muito crítica.
- Digo que não gosto de Justin Bieber mas ele faz sempre parceria com cantores que gosto logo tenho que o ouvir.
- A minha vida em termos musicais é à volta do rap mas à alturas que fico cansada de tanto ouvir rap e começo a ouvir R&B, mas aborreço-me com facilidade.

Repassando para:
Reviver Stories

Quem quiser comente no post.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Divulgação

Olá Pessoal!
Venho divulgar o que já tinha divulgado ontem na página do Facebook. Mais música.

Está no começo como poderão ver e por isso, peço-vos que vejam a página, o blog, que foi criado à pouco tempo, e digam o que acham das letras.

Ajudem a divulgar, se gostarem.

Projetos - Blog.

Profetaseven - Facebook.

Obrigado.

Capítulo amanhã

Olá Pessoal!
Houve um problema e só irei postar a segunda parte do capítulo 10 amanhã.

Peço desculpa pelo incómodo.

Bjs,
Diana (DSP).

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

A actriz Camilla Belle faz 27 anos

Olá Pessoal!
Hoje não vim postar capítulos. Vim fazer um post com o aniversário da actriz Camilla Belle que faz hoje (02 de Outubro de 1986) 27 anos.


É uma actriz que eu admiro e me considero fã e por isso não poderia deixar de fazer referência.
Começou no filme "A princesinha" ainda criança e depressa a fama foi crescendo.

Curiosidades sobre Camilla Belle:

- A Camilla adora assistir novelas brasileiras com a sua mãe;
- Camilla é uma aspirante a pianista clássica;
- Camilla tem 1,73 de altura;
- Belle fez as suas próprias cenas de ação sem uma dupla em "When A Stranger Calls";
- Sua cantora favorita é Mariah Carrey;
- Os seus filmes favoritos são: National Velvet, The King and I e The Ten Commandments;
- As suas alcunhas são Cam, Bellgirl, Cammie e Camber;
- Os seus atores favoritos são: Dustin Holfman, Jack Nicholson e Yul Brynner.

Parabéns Camilla Belle Routh!