AVISO...

Olá Pessoal!

Já avisei na Página do Facebook e decidi avisar no blogue também.

Na página Livros têm os links onde poderão comprar o livro "A Escola do Terror".


Aviso mais uma vez que tem alterações ao que está no blogue!


Obrigada.

sábado, 24 de agosto de 2013

Capítulo 1

Olá Pessoal!
Obrigado pelos comentários. Foram poucos. Costumo ter entre 19/20 comentários por post mas desta vez tive poucos. A boa notícia é que duas leitoras voltaram a comentar.

Amanda Gomes: Oi! Não entendias a outra história? Porquê? Tenta ser mais especifica para eu poder melhorar. O Colégio Interno teve muitos mais leitores e seguidores. Foi a melhor história, foi a que mais pessoas gostaram. Fiquei surpreendida com o comentário mas diz o que foi que não entendeste que eu tento melhorar para a próxima história.
Daniele Ferreira: A Daniela é semelhante, só não coloquei o teu nome a acabar em e porque em Portugal só existe o nome terminado em a e parecia mal uma personagem portuguesa, que nasceu e cresceu em Portugal, ter um nome vindo do Brasil.
Thalya: Que saudade dos teus comentários! Eu tinha perdido o link do teu blog e depois não conseguia ir ao blog pelo teu perfil. Espero que gostes da história.

Bem, depois da resposta a alguns comentários, (os que pediram resposta) aqui está o capítulo 1.
Espero que gostem.

Capítulo 1

A Melissa era uma rapariga feliz, vivia com os pais numa quinta no Alentejo. Ia à escola e tinha boas notas mas os pais decidiram levá-la para Lisboa...e para um colégio interno. Num dia, depois da escola, a Melissa recebeu a notícia pelo pai.
- Tu vais para um colégio interno.
- Como assim?
- Nós vamos para Lisboa e tu para um colégio interno. Está decidido!
- Eu odeio-te. -disse ela indo para o quarto.
...
O dia tinha chegado, a Melissa despediu-se dos seus amigos no Alentejo e partiu no carro dos pais para Lisboa. Estava uma temperatura de 37 graus no Alentejo e o céu estava perfeito, sem nenhuma nuvem. A Melissa usava uma das suas blusas favoritas. Durante todo o caminho ela não falou.
- Melissa -o pai dela olhou para ela pelo espelho retrovisor -tu tens de fazer isto. É a nossa decisão.
- Eu vou pai. -mentiu ela.
A Melissa nunca soube mentir mas, ultimamente, repetia esta mentira com tanta frequência que já quase parecia convincente.
- Esperemos que sim Melissa. Ficaríamos contentes.
A viagem demorou três horas. Quando chegaram a Lisboa, a temperatura estava visivelmente mais baixa. Dos 37 graus agora persistia os 25. A paisagem era, evidentemente, bela a Melissa não podia negá-lo. As árvores eram bem verdes e as flores pareciam que brilhavam com o sol a bater sobre elas. Não se comparava às árvores do Alentejo mas o ar puro cheirava bem. Finalmente chegaram à nova casa. Era uma pequena casa com dois quartos. O pai da Melissa deu-lhe uma informação.
- O colégio é perto daqui é na rua abaixo.
A partir daquele momento, o dia horrível da Melissa já se tornava mais agradável. Não teria de caminhar muito para chegar ao colégio. De uma só vez, conseguiram levar todos os pertences da Melissa. O quarto dela era o que tinha vista para o quintal que estava cheio de flores. Os pais deixaram-na sozinha para desfazer as malas e para ela se instalar. O colégio interno tinha 932, agora 933, alunos. No Alentejo, os alunos eram poucos embora se conviver muito e houvesse boas notas. Melissa iria para o 11º ano. Não tinha chumbado nenhum ano e tinha 16 anos. Melissa vindo do Alentejo talvez pudesse tirar um bom partido desta situação. Tinha uma pele morena, uns olhos azuis e uns cabelos compridos castanhos. Era magrinha mas não tinha corpo de atleta. Quando a Melissa acabou de colocar as suas roupas na cómoda, pegou na sua bolsa que continha os seus produtos de higiene e dirigiu-se à única casa de banho. Lavou a cara e escovou o seu cabelo que estava agora despenteado. Pensamentos iam na mente da Melissa. O dia seguinte iria ser o princípio da sua nova vida.
Não dormiu bem na noite anterior, a nova cama deixou-a desconfortável. Os pais da Melissa guardaram todas as roupas dela numa mala. O pai dela iria acompanhá-la até ao colégio. Eles tomaram o pequeno-almoço e saíram de casa. Durante todo o caminho, Melissa não falou. O colégio, sem dúvida, era perto. A princípio, à primeira vista, não parecia ser um colégio. Apenas uma tabuleta que estava à entrada da rua, a chamou à atenção. Parecia um castelo, uma casa de ricos. Parecia meter respeito. Havia grandes portões de ferro. De certeza que haveria poucos assaltos naquele colégio. Eles entraram. O interior estava quente e uma escadaria estava um pouco mais à frente. Essa escadaria levaria aos quartos. Melissa olhou para o seu lado esquerdo e viu uma porta onde se podia ler conselho executivo. Ela e o pai entraram. O gabinete era pequeno: um sofá com almofadas, um tapete, prémios e quadros dos alunos nas paredes e um relógio. No lado direito estava um balcão. Por trás do balcão havia três secretárias, uma das quais ocupada por uma mulher morena com óculos. A mulher morena ergueu o olhar para a Melissa e para o pai dela.
- Posso ajudá-los?
- Bom dia. A minha filha chama-se Melissa Costa. -informou o pai da Melissa.
Os olhos da mulher morena iluminaram-se. A Melissa era esperada.
- É claro. A menina que veio do Alentejo. Vêm poucas meninas do Alentejo para cá mas este colégio é muito bom, vai sentir-se integrada. -retorquiu a mulher.
A Melissa só conseguiu sorrir enquanto a mulher revistada um monte de documentos.
- Tenho o horário aqui. 11º D. E tenho também um mapa do colégio.
A mulher entregou à Melissa os papéis.
- O senhor deseja falar com a directora? -perguntou a mulher ao pai da Melissa.
- Sim.
- Então fique aí à espera. Melissa, a menina pode subir o seu quarto é o 23 e tem de o repartir com uma menina muito simpática que também chegou este ano.
O pai da Melissa entregou-lhe a mala e despediram-se. A Melissa subiu a escadaria e caminhou por entre o corredor. Olhava para as portas a fim de encontrar o quarto nº 23. Quando encontrou, a porta estava aberta e uma rapariga estava a arrumar as suas coisas. A Melissa bateu à porta.
- Olá! Tu deves ser a minha colega de quarto. -disse a Melissa.
A rapariga virou-se para a Melissa.
- Olá! Sim, sou. Como te chamas?
- Melissa e tu?
- Estela.
A rapariga era uns dois centímetros mais alta que a Melissa. Tinha olhos castanhos e cabelo preto. Comparada à Melissa era mais gorda. O peso da rapariga era proporcional à sua altura ao contrário da Melissa que era mais magra.
- Tu és do Alentejo certo? -perguntou a rapariga.
A Melissa afirmou com a cabeça.
- E tu? A mulher do conselho executivo disse que também eras nova aqui.
- Sim, sou de Setúbal. Os meus pais acabaram de se separar e vim para cá.
A Melissa sorriu.
- Bem, já acabei. Tenho de me despedir da minha mãe. Venho já.
- Ok.
A Estela saiu do quarto e a Melissa começou a arrumar a sua mala. Até que ouve um sussurro. Ela vira-se e no espelho vê uma rapariga com um vestido branco. Vira-se para a porta e não vê ninguém.
- Devo estar com sono. -disse ela continuando a arrumar a mala.
A Estela apareceu no quarto.
- Já te despediste dos teus pais?
- Sim. -respondeu a Melissa acabando de arrumar as coisas.
- Eu ainda ando a tentar decorar este mapa do colégio.
A Melissa sorriu.
- Também eu.
- Tu és de que ano? E de que turma?
- 11º D. E tu?
- Também. Tens quantos anos?
- 16. E tu?
- Fiz 17 há pouco tempo.
- Oh! Parabéns!
- Obrigada. -ela sorriu.
A Estela olhou para o horário.
- Nós temos aula de literatura daqui a pouco na sala 2.35.
- Vamos lá. -disse a Melissa saindo do quarto.
As duas saíram do quarto, desceram a escadaria e começaram à procura da sala 2.35. Quando a encontraram, viram que a sala era pequena. Alguns alunos da turma já estavam sentados e as duas raparigas viram o professor. Era um homem alto, com os seus 30 e tal anos cujo nome se encontrava numa placa sobre a secretária, identificando-o como sendo o professor Artur. Elas foram ter com o professor e receberam um papel sobre as leituras que elas deviam ler neste ano lectivo. Esta lista tinha vários autores: Shakespeare; Saramago; Brontë; Eça de Queiroz; Camilo Castelo Branco, entre outros. Era cansativo. Melissa perguntou a si mesma se os seus pais lhe mandariam a pasta que continha trabalhos antigos ou se consideravam que o facto de ela recorrer aos mesmos era copiar. No inicio da aula, o professor ordenou que eles escrevessem num papel o nome e que o colocassem na mesa. Eles assim fizeram. A Melissa olhava para os seus colegas e lia os seus nomes. Ela estava com a Estela a partilhar a mesa e ao lado delas estavam duas raparigas de seus nomes Vânia e Fabiana. A Vânia era magra como a Melissa, tinha olhos castanhos e cabelos castanhos encaracolados. A Fabiana, que estava ao lado da Vânia era loira, cabelo encaracolado e olhos azuis. Parecia ser muito alta. A Vânia reparou no olhar da Melissa e falou:
- O que se passa?
- Nada.
- Que raiva! Estas miúdas novas vieram para estragar a harmonia deste colégio.
- Está calada Vânia! Elas são novas. Tenta entender. -disse uma voz masculina atrás delas.
A Melissa e a Vânia olharam para trás. O rapaz estava atrás da mesa da Vânia e da Fabiana. A Melissa olhou para o papel com o nome dele. Chamava-se Raul. Era moreno e tinha cabelo encaracolado. Ao lado da mesa dele estavam dois rapazes de seus nomes Fábio e Nelson que eram parecidos com o Raul.
- Vocês são irmãos? -perguntou a Melissa.
- Sim. O Raul é mais velho e eu sou o mais novo. O Raul chumbou um ano e eu e o Fábio somos gémeos. -respondeu o Nelson a sorrir.
A Melissa sorriu para ele. A Fabiana interrompeu.
- Vocês são as novatas, certo?
A Estela afirmou com a cabeça.
- Meninos, vamos começar a aula. Que acham? -perguntou o professor meio irónico.
A Vânia e a Estela viraram-se para a frente.
- Vamos começar com as apresentações calmamente. Começamos com o lado esquerdo. Como te chamas?
Uma rapariga morena e magra respondeu:
- Zélia e já estou aqui há dois anos.
- Tens quantos anos? -perguntou o professor.
- 17.
- Muito bem. E tu? -apontou para a colega ao lado da Zélia.
- Sou a Camila e também estou cá há dois anos. Partilho o quarto com a Zélia.
A rapariga era alta, de cabelos castanhos, talvez até mais alta que a Fabiana. A mesa da Zélia e da Camila estava à frente da mesa da Melissa e da Estela. O professor foi à mesa ao lado onde tinha um rapaz chamado Hélio. Parecia um pouco anti-social. O professor continuou a chamar os alunos até chegar a uma rapariga, de seu nome Daniela, que tinha cabelo preto e parecia um pouco solitária. Ao lado, estava a Vânia e a Fabiana. A Melissa não simpatizou muito com a Vânia. A Vânia era muito mazinha para as novatas e a amiga dela, Fabiana, não ia muito atrás. Ela e a Estela também não tinham se dado bem. Depois de todas as apresentações, que professor falou das matérias que iria abordar. A campainha tocou e eles saíram da sala. Os três irmãos foram ter com a Melissa e com a Estela.
- Olá!
- Olá! Tudo bem? -perguntou a Estela.
- Sim e convosco?
- Também.
- A nossa próxima aula é de Filosofia. -informou o Raul.
- Vocês estão cá há muito tempo? -perguntou a Melissa.
- Desde o 7º ano. -respondeu o Nelson.
- Desculpem a Vânia, ela torna-se um pouco irritante quando fala com alunos novos. -disse o Raul.
- Não há problema. -disse a Estela.
- Nós vamos para o bar, vocês vão convosco? -perguntou o Fábio.
- Eu tomei o pequeno-almoço em casa. -respondeu a Melissa.
- Eu queria ir comer alguma coisa. -disse a Estela.
- Então eu tenho de ir. -disse a Melissa.
- Não te demores para a próxima aula. O professor de Filosofia é muito exigente. -informou o Nélson.
- Obrigada. -disse ela saindo pelo outro lado.
A Melissa subiu a escadaria para ir ao seu quarto e viu a mesma rapariga que tinha visto no espelho, a vir na sua direcção com um olhar assustador. A Melissa desmaiou.

Aqui está. Pronto.
Gostaram do capítulo? Foi enorme mas foi para entenderem a história, como ela vai ser escrita. É um pouco diferente das outras. Tem mais terror, algo que Encontro com o 666 nem o A Escola do Terror tinham.

O próximo capítulo vai ser de acordo com os dias de post que está escrito no lado direito.

Bjs :)

26 comentários:

  1. eu gostei.
    "Esta lista tinha vários autores: Shakespeare; Saramago; Brontë; Eça de Queiroz; Camilo Castelo Branco, entre outros."
    até parece a minha aula de portugues.

    ResponderEliminar
  2. Grande descrição!Percebi o maior terror nesta história.A grande descrição dá pistas.

    ResponderEliminar
  3. Ainda agora a história começou e já deixas um final bom.
    Fiquei curiosa!

    ResponderEliminar
  4. continua rapariga!
    foi enorme mas não devias terminar melhor.

    ResponderEliminar
  5. OMG!Não!Essa é a melhor de todas!Se falei da Encontro com o 666 ser a melhor essa é bem melhor!
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  6. A Melissa subiu a escadaria para ir ao seu quarto e viu a mesma rapariga que tinha visto no espelho, a vir na sua direcção com um olhar assustador. A Melissa desmaiou.
    essa foi boa!faz o favor de postar depressa.

    ResponderEliminar
  7. Na primeira vista esta hitória parece melhor que a outra.
    Posta logo.

    ResponderEliminar
  8. tá lindo.
    posta logo.

    Beijos,
    Natasha Alyosha.

    ResponderEliminar
  9. Não tenho nada a dizer,foi perfeito.
    Posta logo.

    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  10. Foi um bom primeiro capítulo.
    Descrições e narrações boas.
    Continua!

    ResponderEliminar
  11. posta logo!
    estou adorando.

    ResponderEliminar
  12. adorámos!
    posta depressa!

    ResponderEliminar
  13. Meu Deus!Foi perfeito!
    Posta logo,logo!
    Quero mais!

    ResponderEliminar
  14. Foi bom o capítulo!
    Posta logo!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  15. A história começa bem.
    tá giro!

    ResponderEliminar
  16. Gostei do capitulo.
    O capitulo 2 é terça?
    Continua.

    ResponderEliminar
  17. Ei!
    Explicando:Não entendi direito a "escola do terror" porque quando eu comecei a ler,já estava na terceira parte (eu fiquei com preguiça de ler a primeira e a segunda,confesso) aí eu parei de ler,então eu não tinha visto que você estava postando duas histórias ao mesmo tempo.Quando "a escola do terror" terminou,"encontro com o 666" também já estava bem avançada e eu fiquei com preguiça de ler novamente! kkk Então eu tentei ler de onde a história estava,mas não entendi.Essa explicação ficou meio confusa,mas espero que tenha entendido.
    Gostei do primeiro capítulo,deu para ter uma noção de como a história vai ser.Estou curiosa com essa garota do espelho...Posta logo!
    Beijos!!

    ResponderEliminar
  18. Hey, seguidora nova!
    Adorei a sua histórias irei lê-la com certeza!
    Agora eu tô curiosa adoro ler fanfics de terror, é emocionante!
    Beijos e continua
    Você é de Portugal né?
    A escrita é diferente! Sei lá
    Visita meu blog?
    http://children-of-the-gods.blogspot.com.br/
    Obrigada!

    ResponderEliminar
  19. Leitora nova
    Uhuu, eu estava procurando mesmo
    fanfics de terror, e vc salvou o dia
    nossa ta de mais a fic posta logo

    #Bye

    ResponderEliminar
  20. Hellooo!! Seguidora nova!!
    Meu Deus, tipo como assim você para nesta parte e me deixa super curiosa!!
    O primeiro capitulo ficou simplesmente perfeito, eu amei de verdade, adoro esses mistérios!
    Mas em fim, quero muito sabe qual é a da garota do espelho, oque ela quer? oque vai acontecer quando ela voltar a si? Oh My Good desculpa!! são tantaas perguntas to muito curiosa eu adorei!!
    Posta logo...
    Beijokass!!

    ResponderEliminar
  21. Diana,obrigado pelo comentário. eu estava prestes a cancelar o blog mas seu comentário me fez perceber q n sou o unico. bjs e tem post novo la

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.