sexta-feira, 31 de maio de 2013

Capitulo 44 - A união faz a força e Capitulo 45 - Nunca se deve confiar num bêbado

Olá Pessoal! Como correu a vossa semana?
Bem, aqui estão mais dois capítulos. Eu tenho postado ultimamente dois capítulos juntos e porquê? Porque quando isso acontece, e os que estão desde o principio a ler o blog sabem, é que vai começar dentro em breve o mistério e o suspense verdadeiramente dito. Agora apenas está numa altura em que os personagens Pedro Magalhães e a Andreia são levados a fazer coisas por ordem do 666 mas tudo vai-se complicar a partir destes dois capítulos.
Não digo mais nada, fiquem com os capítulos.

Diana

- Juntarmo-nos aos outros dois senhores? Acho simplesmente uma perda de tempo. – disse eu.
- Diana, é melhor juntarmo-nos. É mais fácil.
- Mais fácil? Ana, eu não estou de acordo.
- Diana, por favor! Faz isso pelo caso.
Eu olhei para a minha colega. Tinha que dar o braço a torcer. Ela tinha razão. Era melhor a quatro que a dois. A união faz a força!
- Está bem. Vamos lá juntarmo-nos.
A Ana pegou no seu telemóvel e ligou ao João. Estava visivelmente feliz.

João

- Sim Ana, o Henrique aceitou.
Terminei a chamada e olhei para o meu colega. Ele estava contente.
- Vamos apanhar o 666!
Parecia uma criança a rir-se depois de ter ganho um jogo.

Diana

Continuei a falar com a minha colega.
- A Andreia teve a falar comigo.
- Então? O que aconteceu?
- Ela disse-me algo estranho. Parece que ela sente-se ameaçada. A melhor amiga dela está a ser perseguida.
- Quem é a melhor amiga dela?
- A Bruna.
- Isso tem obra de ser o 666. – disse a minha colega.
Concordei.

Capitulo 45 - Nunca se deve confiar num bêbado


Pedro Magalhães

O 666 soube da traição da Andreia. A Andreia vai sofrer.

Carolina

Fui levada por alguém numa carrinha. Essa pessoa queria que eu dissesse algo. Levou-me a uma casa abandonada e começou a fazer-me perguntas enquanto me tentava embebedar.
- O que sabes sobre a Andreia? 

...

Um tempo passou...eu tinha contado tudo o que a Andreia me tinha dito. Bem, nunca se deve confiar num bêbado.

Ana Rodrigues

Eu, a Diana e os dois policias encontrámo-nos para falar sobre o 666.

Pedro Magalhães

Recebi uma chamada do 666.
- Estou?
- Estou “filho”, parece que a tua amiguinha Andreia desrespeitou as regras.
- “Pai”, eu ia contar-te. Eu ouvi a conversa dela com a Carolina.
- Pois. Não quero ações tuas. Não quero que faças nada. Fica como se não soubesses de nada.
- Claro “pai”. Se é o que queres. Mas “pai”, como é que tu soubeste disso?

Aqui está! Pronto.
Basicamente, nestes dois capítulos a Andreia foi descoberta por alguém que contou ao 666. O Pedro Magalhães soube mas como? E quem era essa pessoa?
Depois, o grupo de polícias juntam-se finalmente para resolverem o caso mais rapidamente. E no final, o Pedro Magalhães quer saber como é que o 666 soube.
Gostaram dos capítulos?
Comentem!

Talvez o próximo capitulo "saia" a meio da semana, terça, quarta ou quinta feira. Não prometo nada mas fica aqui o aviso.

Bjs :)

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Capitulo 42 - Uma proposta aceite e Capitulo 43 - Visão desagradável

Olá Pessoal!
Espero que estejam bem, aqui estão os capítulos 42 e 43.
Espero que gostem.
Obrigado pelos comentários.


Andreia

Estava a seguir o Pedro (Magalhães) e ouvi a conversa dele com o 666. Aquele assassino quer a minha melhor amiga. Idiota! Odeio-o. Cheguei a minha casa e deitei-me na minha cama. O que vou fazer? Deixo a minha melhor amiga a ser perseguida e vigiada ou tomo alguma atitude? Decidi ligar à Diana, à Carolina e à Ana Martins. Vou combinar algo com elas em separado. Aproveito, embebedo a Carolina e conto tudo a ela. Se eu não contar a ninguém rebento.

João

Estava em minha casa a descansar deste dia quando sou perturbado pela Ana Rodrigues.
- Desculpa João, eu queria falar-te da proposta que te falei no outro dia.
- Claro Ana. Estás à vontade. – Esqueci-me que estava cansado e prestei atenção.
- Eu estava a pensar em…não sei, talvez…se nos juntarmos. Se nós tentarmos encontrar o assassino juntos em vez de cada dupla por si. Seria mais fácil.
- Sabes, eu já pensei nisso. Aceito a tua proposta.
- Vou falar com a Diana e amanhã falamos melhor.
Despedimo-nos depois da conversa sobre a proposta e fui dormir. Estava muito cansado.

Capitulo 43 – Visão desagradável


Carolina

Estava com o meu irmão em casa. Estávamos já os dois bêbados e não sabíamos o que fazíamos. Não nos beijávamos mas tirávamos a roupa um ao outro.
Nessa altura, recebo uma chamada. Era a Andreia.
- Estou?
- Amanhã posso falar contigo? Domingo estás disponível?
- Estou disponível todos os dias.
Terminei a chamada e continuei a tirar a roupa ao meu irmão. 

Pedro Magalhães

Fui até casa da Carolina. Estranho ver a porta do casarão aberta. Entrei e quando cheguei à sala vejo ela, a Carolina, já em trajes íntimos agarrada ao próprio irmão. Fiquei completamente sem reação. Ela viu-me e saiu de cima do irmão às pressas.
- Vocês são...irmãos e estão a... – era nojento o que estava a ver. Se não fosse eu a entrar eles teriam feito.
O Diogo saiu da sala e eu levei a Carolina à sua casa de banho. Coloquei-a na banheira, liguei o chuveiro e molhei o corpo dela. A casa dela cheirava a álcool. Era um cheiro nojento.
- A Andreia ligou-me. Queria falar comigo sobre algo sério. – disse a Carolina. 
Fiquei atento ao que ela dizia. Disse-me que iria falar com ela no Domingo. Eu vou ter que ouvir a conversa. Será que a Andreia soube da minha conversa com o 666, o meu “pai”?

Aqui está. Pronto.

Bjs :)

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Capitulo 40 - "Óbvio que ele era traficante" e Capitulo 41 - "Quero que sigas a Bruna."

Olá Pessoal!
Aqui estão os capítulos 40 e 41 de Encontro com o 666.
Espero que gostem.

João

As aulas terminaram e fui para casa na companhia do meu colega.
- Tenho novidades. - disse-lhe.
- Já imagino o que vem aí.
- Tive a falar com o Hugo. O César e ele tiveram uma conversa estranha.
- Diz logo o que ouviste. - disse o meu colega impaciente.
- O César é traficante.
O meu colega começou a rir. Confesso que não entendi o riso dele.
- Nada que não tivesse pensado antes. Era óbvio que ele era traficante. Como é que tu achas que a Simone conseguia tomar esteróides? Quem lhe fornecia?
- Como é que não disseste nada? Somos policias. Podemos prendê-lo.
- João, ele pode ser o 666. Foi por essa razão que não te disse nada. Porque é que te estou a dizer isto? Tu é que devias ter esta ideia.
- Peço desculpa se não uso o cérebro 24 horas por dia. - disse eu sarcástico.
O meu colega riu.

Capitulo 41 - "Quero que sigas a Bruna."

Pedro Magalhães

Cheguei ao local combinado e fiquei à espera.
- Olá "filho". - saudou atrás de mim.
Virei-me para ele.
- Olá "pai". Que trabalho vou fazer?
- É muito simples. Só quero que sigas a Bruna.
- A Bruna? Porquê?
- Como sabes, ela é a melhor amiga da Andreia logo a Andreia pode dizer-lhe algo sobre mim e eu não iria gostar disso.
- Claro. Eu vou segui-la, podes ter a certeza.
- Obrigado "filho". Eu sei que posso contar contigo.
- Sempre "pai".
Eu saí do local olhando para todos os lados. Não queria ser seguido.
...

666

Comecei a rir. Colocar o meu "filho" contra a Andreia dava-me um gozo tremendo.


Aqui está. Pronto.
Os próximos capítulos vão ser melhores. Peço desculpa por estes dois pequenos capítulos. Mas espero que tenham gostado.

Bjs :)

sábado, 11 de maio de 2013

Capitulo 38 - "O Miguel droga-se?" e Capitulo 39 - Um novo "trabalho" para o Magalhães

Olá Pessoal!
Aqui estão os capítulos 38 e 39 de Encontro com o 666.
Espero que gostem.

Pedro Magalhães

Alguns dias passaram. Era já a primeira sexta-feira do segundo período. Fui falar com a Andreia a ver se sabia de alguma novidade. Ela não me disse nada. Fui então tentar falar com o César em troco de dinheiro. Ele fala com toda a turma deve saber algum segredo. Quando me encaminho para falar com ele vejo o Miguel a pagar-lhe para receber droga. O Miguel droga-se?! Nunca pensei. Agora tudo fazia sentido.
...

João

Algum tempo depois, eu estava com o Hugo e fomos para fora da escola fumar. Ele conversava imenso com o César. Por incrível que pareça, não estava com o Henrique. Sabe-se lá se ele não estaria com a Catarina a tentar saber algo sobre o assassino?
A conversa do Hugo e do César também era muito suspeita. Havia algo.

Capitulo 39 - Um novo "trabalho" para o Magalhães

Catarina

Eu estava com o Henrique, o meu namorado. Parecia estranho esta palavra dita por mim.
- Já falaste com a Simone? - perguntou-me.
- Ela não fala comigo.
Tentei mudar de assunto. Aquilo era triste para mim.

Pedro Magalhães

Recebo uma chamada do 666.
- Estou?
- Quero que venhas ter comigo no mesmo local da última vez. Tenho um trabalhinho para ti.
- Está bem.
- Depois das aulas, quando toda a tua turma sair, sai da escola e vem ter comigo.
- Claro. Até logo.
- Até logo.
Terminei a chamada e desliguei o telemóvel. O que será que ele quer de mim?

Andreia

Eu estava a falar com a Bruna. É a minha melhor amiga e tenho de lhe contar sobre o 666.
- Ele quer que eu faça um trabalho.
- Que tipo de trabalho?
Eu respirei fundo.
- Ele quer que eu investigue, que tente fazer mal ao Guerra.
- Porque razão ele quer isso?
- Ele acha que o vai ajudar a encontrar a policia. Eu não acredito. Ele parece não saber de nada.
- Pois. Concordo. E, o que pensas fazer?
- Vou espiá-lo, vou segui-lo por enquanto.
- Ok.
- Seja o que for que eu encontre não sei se irei contar a "ele".
- Mas Andreia, tu tens que lhe dizer. Não vais querer acabar morta.
- Bruna, eu odeio-o. Esse assassino matou os meus pais e tenho que fazer o que ele quer para não morrer. Eu sou chantageada todos os dias por aquele 666. Como é que ele vai saber de alguma coisa se eu não lhe dizer? Só se o Pedro lhe contar mas duvido que o 666 tenha lhe dito alguma coisa.
- Acho que tens razão.


Aqui está. Pronto.
A história, na minha opinião, está a dar uma grande volta em pouco "tempo", ou seja, em poucos capítulos. Irei mudar isso!
Na próxima semana vêm mais um capitulo.

Bjs :)

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Capitulo 36 - Pedro Magalhães sabe de um segredo e Capitulo 37 - "Sim 666, sim vou."

Olá Pessoal!
Aqui estão os capítulos 36 e 37 de Encontro com o 666 tal como disse na página do blog.
Espero que gostem.

Ana Carretas

Assim que o Diogo saiu de casa, eu peguei no meu telefone e liguei para o Pedro Magalhães. Aquele desgraçado agora iria pagar.
- Vem aqui a minha casa já! - tinha-lhe ordenado.
Ele apareceu em minha casa pouco menos de 30 minutos. Mandei-o entrar e encostei-o à parede.
- Tu já sabias de tudo não é, seu mentiroso?
- Ah?
Fez de conta que não sabia do que estava a falar. Fingido!
- Pára de mentir Pedro! Se querias fazer sexo comigo era só dizeres seu safado. - disse eu continuando zangada.
- Sexo contigo?
- Sim, vá eu até posso fazer um preço amigável para ti tal como fiz para o Diogo.- comecei a pensar - Bem, desta vez ele levou grátis.
- Prostituta?
- Qual prostituta? Acompanhante de luxo Pedro. É diferente.
- Diferente?
- Sim. Agora tira essa roupa, eu vou fazer um desconto se gostar. - incentivei.
Ele travou-me. Eu percebi o que ele queria saber.
- Sim Pedro, eu tenho alguma coisa com o Diogo. E não passa de sexo. Há até um homem mascarado que é meu cliente. Não o conheço, não sei quem é.
- Um homem mascarado?
- Sim. - fiquei a pensar - És tu?
- Não, não sou eu.

Pedro Magalhães

A Ana Carretas a dizer-me que é acompanhante de luxo foi estranho. Ela pensava que eu já soubesse de tudo mas não, apanhou-me completamente desprevenido. O que me deixou mais intrigado foi o tal homem mascarado cliente da Carretas. Tinha ar de ser obra do meu "pai".

Capitulo 37 - "Sim 666, sim vou."

Andreia

Era o último dia de férias. Tinha saído de casa para ir ter com o 666. Ele tinha algo para me dizer. Cheguei ao local combinado e esperei por "ele" (666). A imagem dele não tardou a surgir. Vinha com a mesma máscara de sempre e um pouco mais magro desde a última vez que o vi.
- Andreia, apareceste?
- Eu apareço sempre que posso.
- Espero que sim.
- O que querias de mim?
- É um trabalho muito simples: quero que investigues uma pessoa, que tentes fazer mal de alguma maneira.
- E quem é essa pessoa?
- É o Pedro Guerra.
- Porquê ele? Parece inofensivo. - respondi eu em defesa dele.
- Quero saber coisas. Quero saber mais sobre a polícia. Eu sei que ele vai ajudar-nos. Vais ajudar-me?
Eu afirmei.
- Sim 666, sim vou.


Aqui está. Pronto.
Sábado irei postar um novo capitulo em principio.

Bjs :)

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Capitulo 34 - Amantes e Capitulo 35 - João fica surpreendido

Olá Pessoal!
Aqui estão os capítulos 34 e 35 de Encontro com o 666.
Espero que gostem.

P.S - Antes de ler o capitulo 34, tenha em conta que este capitulo contêm cenas de sexo. Avisei no inicio da história que iria ter algumas. Este capitulo é uma delas. Está avisado. Se quiser ler está a seu critério.

Ana Carretas

Em segundos eu estava na minha cama com o Diogo. Que conste que isso seria apenas sexo, afinal, eu sou uma acompanhante de luxo.

Diogo

Os dedos frios dela tocaram na minha barriga. A diferença de temperatura fez um choque no meu corpo. As mãos dela tiraram a minha t-shirt. As nossas roupas foram tiradas. Eu queria fazer com que a Carretas tivesse o melhor orgasmo da vida dela. Ainda estávamos de pé. Dei dois passos para à frente e ela foi obrigada a andar para trás. Caímos os dois na cama. Eu queria proximidade. Muita proximidade. Olhei para ela.
- Fica comigo hoje. Amanhã, se não quiseres nada comigo, eu deixo de te procurar. - disse-lhe.
- Eu não quero isso. Quero que vás ter comigo de noite, quando eu estiver de serviço. - disse ela, agarrando-me.
Não esperava esta atitude dela e muito menos a resposta. Éramos então amantes?
Beijei um dos seios dela e ela agarrou-me no cabelo. Ela gostava daquelas carícias. Levei uma mão à perna dela e a levantei à altura da minha cintura. Penetrei-a nesse momento. A Carretas gemia.
Tenho a certeza que fizemos amor durante o dia inteiro.

Capitulo 35 - João fica surpreendido

Henrique

Eu encontrei-me com o meu colega em casa dele. Notava-se que ele estava curioso.
- Então, o que se passou? Vi a tua mensagem.
- Acalma-te que não é nada de mal. Senta-te. - disse-lhe.
Ele sentou-se e esperou que eu falasse.
- Eu tive com a Catarina.
O meu colega movimentou-se na cadeira, incomodado.
- E então? O que aconteceu? Discutiram?
Eu dei um pequeno riso.
- Se fosse isso...
O meu colega ficou curioso.
- O que é que aconteceu?
- Eu e a Catarina fizemos amor.
O meu colega ficou calado a tentar digerir o que tinha ouvido.
- Estou sem palavras, estou...surpreendido.
- É verdade.
- Não digo o contrário. Sabendo aquilo que sei a Catarina era capaz disto.
- Não João, não estás a entender, ela veio a minha casa para discutir mas as coisas acabaram por mudar.
- Assim, do nada?
Afirmei com a cabeça.
- E como está a vossa relação?
- Estamos a tentar, estamos a namorar.
O meu colega olhou para o chão, estava a pensar.
- Sabes que isto pode ajudar no nosso caso.
Fiquei a pensar. No que poderia ajudar?
- A Catarina pode ser cúmplice desse assassino.
Eu comecei a rir.
- Por favor João, claro que não.
- Namora tu com a Catarina que eu trato do resto. - assegurou ele.
Eu apenas encolhi os ombros.


Aqui está. Pronto.