sábado, 23 de fevereiro de 2013

Capitulo 19 - Segredo da Simone (quase) revelado

Olá Pessoal!
Aqui está o capitulo 19 da história Encontro com o 666.

Catarina

- Vamos para onde rapazes? - perguntei eu ao Henrique e ao João.
O Henrique respirou fundo.
- A um lado qualquer.
A Simone interrompeu.
- Eu preciso de treinar.
- És aplicada. - disse o João.
Eu olhei para a Simone. Eu estava preocupada.
- Porque é que não vamos ver-te quando ser o próximo jogo? - questionou o Henrique.
Será possível aquele idiota perguntar uma coisa destas? A Simone está com um problema. Não quis que o João falasse, de certeza que iria concordar, comecei logo a negar.
- Não, a Simone não ficaria bem. Seria muita responsabilidade.
O Henrique, teimoso, tentou convencer-nos mas sem êxito.

João

Olhei de relance para o Henrique. Algo estava estranho. A Simone nunca iria negar uma visita nossa para a apoiarmos. Eu iria descobrir o que se passava.

...
Entretanto, com as duas raparigas (Ana Rodrigues e Diana) nada estava a correr bem. Seguiram o Pedro Magalhães e a Andreia mas o único lugar onde foram parar foi a uma rua deserta totalmente desconhecida e os dois "suspeitos" a entrarem dentro de uma casa abandonada. Que algo se passava elas tinham a certeza.


E acaba aqui.
Espero que tenham gostado. Comentem, digam o que acharam.

Bjs :)

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Capitulo 23

Olá Pessoal!
Aqui está o capitulo 23 da Escola do Terror III.


O Gonçalo estava em casa dele com o resto do grupo (excluindo o Ricardo) quando recebeu a chamada da Juliana. O Gonçalo não quis acreditar no que estava a ouvir. Depois de saber qual era a rua onde elas estavam, ele terminou a chamada, guardou o telemóvel calmamente no bolso das calças e aos restantes membros do grupo disse com uma voz calma e num tom normal:
- A Mafalda está em perigo!
Os outros membros do grupo trocaram olhares.
- Temos de ir lá. -continuou o Gonçalo.
Entretanto o Ricardo, arrependido do que fez, foi a casa da Juliana mas a mãe disse-lhe que ela ainda não tinha chegado. Ele achou estranho mas deixou-se estar sentado no degrau do passeio perto da casa dela. Uns minutos depois viu os outros membros do grupo a correrem. Ele achou estranho e foi ter com eles perguntando o que se passava.
- Nós vamos ter com a Mafalda e com a Juliana. A Mafalda está em perigo. -disse o Gonçalo.
- O quê?
- Vem connosco Ricardo porque tenho a sensação que aquele desaparecimento da Mafalda não era normal. O Ricardo seguiu-os.
Será que a Mafalda ficará a salvo?

Aqui está!


Divulgação:
Estará em mim para sempre

Bjs :)

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Capitulo 18 - Procurar uma explicação

Olá Pessoal!
Aqui está o Capitulo 18 de Encontro com o 666.
Espero que gostem.

Pedro Guerra

Eu fui ter com a Diana assim que os outros dois foram-se embora.
- Vou falar com o Guerra, espera por mim. - disse ela à Ana Rodrigues e afastou-se.
- O que se passa? - perguntou-me.
- O que aconteceu ali à pouco? O Henrique sabia da Ana Carretas?
Ela encolheu os ombros. Ou ela é uma excelente actriz ou então não sabia nada sobre o Henrique.
- Não sei de nada Guerra. Talvez ele tenha descoberto. Talvez ele tenha precisado dela.
Ela começou-se a rir.
- É estranho ver o Henrique a precisar da Ana Carretas à noite. - ri também.
...

Pedro Magalhães

Estava com a Andreia. Íamos ter com o meu "pai" depois de sairmos daqui. Fui ter com a Diana e despedi-me dela. Ela estava a ter uma conversa estranha com o Guerra. Muito estranha.
- Nas férias ainda nos vemos. - disse-me ela.
- Sim, eu sei. Talvez perto do Natal.
Eu fui-me embora com a Andreia.
- Tens a certeza que a Diana não deu por nada? - perguntou-me ela.
- Porque é que dizes isso?
- Ela pode ser policia.
Eu comecei a rir.
- Estás a gozar? A Diana não ter ar disso.
- As pessoas nunca têm ar mas são.
- Aposto contigo que ela não é policia. Se fosse já eu sabia.

Diana

Afastei-me do Guerra assim que pude e fui ter com a minha colega.
- Vamos atrás do Magalhães e da Andreia? - sussurrei-lhe.
Já poucos estavam na paragem. Muitos já se tinham ido embora depois do Diogo e das duas acompanhantes de luxo.
- Vamos. - respondeu-me.
Despedimo-nos e fomos atrás deles.

Aqui está!
É pequeno mas os leitores mais antigos sabem que quando faço isso é porque algo de importante está para chegar.

Bjs :)

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Capitulo 21 e 22

Olá Pessoal!
Decidi dar-vos dois capítulos para compensar a semana que fiquei sem postar esta história.
Espero que gostem.

Capitulo 21

Sexta-feira chegou, a turma foi toda para a escola. Tiveram as aulas normais e tudo estava a correr na normalidade. Às 16:30, hora do final das aulas, a Mafalda foi para casa acompanhada pelo Gonçalo. Ela iria despedir-se dele indirectamente. A vida dela estava a acabar e ela iria despedir-se do rapaz que ela gostava, o Gonçalo. Assim que o Gonçalo chegou a casa dele a Mafalda abraçou-se a ele. 
- Adeus! 
O Gonçalo estranhou a sua atitude. 
- O que se passa Mafalda? 
- Nada Gonçalo, vim só dizer adeus. 
- Adeus? Um até amanhã é isso que queres dizer, não é? 
- Claro. -disse ela a sorrir ligeiramente. 
Houve uns segundos de silêncio. 
- És uma pessoa muito especial para mim Gonçalo. 
O Gonçalo sorriu. 
- Eu sei mas porquê tudo isso agora? 
A Mafalda encolheu os ombros. 
- Apeteceu-me. Bem, tenho de ir. 
A Mafalda saiu de casa do Gonçalo e foi para casa dela. Chegou a casa e viu a irmã gémea, Patrícia, no quarto. Foi ter com ela e abraçou-a. 
- O que te deu? -perguntou a Patrícia estranhando a sua atitude. 
- Nada, só me apeteceu. 
- Estás bem? -perguntou, preocupada. 
- Sim. Adeus maninha. 
- Até amanhã. 
A Mafalda sorriu. 
- Estás com o Luís? 
- Não, ele teve problemas com a Inês e decidi acabar com ele. 
- A Inês não o merece. Ela tem o Diogo. O Diogo gosta dela. 
- O que te aconteceu Mafalda? 
- Nada. Bem, adeus maninha. 
- Adeus Mafalda. 
A Mafalda voltou-se de costas para a irmã e fez um sorriso triste, a irmã não lhe tinha chamado pelo parentesco mas sim pelo nome e isso entristecia-a. 
O final da Mafalda estava a aproximar-se?

Capitulo 22

No dia seguinte, Sábado, a Juliana estava a passear na rua perto da casa da Carolina quando houve um barulho na garagem. Quando foi ver, reparou que o Ricardo estava com a professora de E.F, Isaura e esta estava morta. A Juliana arrepiou-se e entrou disparada pela garagem dentro. 
- Ricardo, o que é que fizeste? 
- Juliana! Eu matei a professora. 
- Como? 
- Com faca. -disse ele fazendo malabarismos com o objecto. 
- Eu sou tão parva, devia ter ficado de olho em ti. 
- Querida, sabes que não consegues. 
- És um estúpido! Vou matar-te! -disse ela batendo-o. 
- Calma! 
O Ricardo beijou-a. A Juliana deu-lhe um estalo. 
- Considera-te morto. 
E dizendo isto saiu da garagem...

A caminho de casa e a passar por uma garagem abandonada, ela ouve alguém chorar. Com uma curiosidade enorme decide ir ver e é então que encontra a Mafalda amarrada e ferida. Vendo aquela cena apavorada ficou sem reacção. A Juliana paralisou. O choro da Mafalda despertou os sentidos da colega de grupo fazendo com que ela fosse a correr ter com a rapariga e ajoelhar-se à frente dela. 
- O que se passa Mafalda? -perguntou a Juliana apavorada. 
- O...meu...fim está...a chegar. -respondeu a Mafalda fazendo breves paragens esforçando-se por respirar. 
A Juliana pegou no telemóvel que estava no seu casaco e reparou que este não tinha rede. 
- Mafalda eu venho já, vou ligar ao Gonçalo, aguenta. 
A Mafalda não queria que a Juliana o chamasse mas não tinha forças para falar.

Aqui está!

Divulgação: Obstáculos do amor. 

Gostaram?
Comentem!

Bjs :)

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Capitulo 20

Olá Pessoal!
Aqui está finalmente o capitulo 20 da história A Escola Do Terror III. Espero que gostem e desculpem o atraso. Parece que com a nova história não tenho tido muito tempo para postar esta história.


Um dia passou, era quarta-feira, o dia do funeral da Angelina. Todos foram ao funeral, tudo correu bem. A escola só abriria na sexta-feira. O Gonçalo foi para casa acompanhado pela Mafalda. Ele queria saber a verdade de tudo aquilo que aconteceu. Quando chegaram a casa, o Gonçalo começou a conversa.
- Conta-me a verdade.
- Que verdade Gonçalo? Não tenho verdade nenhuma.
O Gonçalo aproximou-se dela.
- Não brinques Mafalda sabes que podes confiar em mim, conta. -disse o Gonçalo.
A Mafalda começou a chorar.
- Mafalda o que se passa? -perguntou ele, preocupado.
- Eu não posso, não posso. -disse a Mafalda.
- Não podes? Porquê?
- Porque essa pessoa é capaz de tudo.
- Tudo o quê? Que pessoa?
- Gonçalo, por favor, não me faças contar, eu não posso.
- Diz-me só se eu conheço.
O Gonçalo olhou nos olhos chorosos da Mafalda. A Mafalda afirmou com a cabeça.
- Sim, conheces. São três pessoas.
- Três pessoas?
- Sim.
A Mafalda fez uma pausa.
- Tenho de ir. -disse ela limpando as lágrimas.
- Vais já?
A Mafalda afirmou com a cabeça. Deu-lhe um beijo na bochecha e saiu da casa dele.
Na rua, a Mafalda foi arrastada pelas três pessoas que tinham estado a ouvir a conversa dela com o Gonçalo. Puxaram-na para dentro de uma garagem abandonada e falaram com ela.
- Qual era a nossa condição? -perguntou uma.
A Mafalda não respondeu.
- Prepara-te para morrer porque aqui ninguém sai ileso. Não fizeste a nossa condição por isso prepara-te para chegares ao teu final. -disse outra.
A terceira riu.
Elas saíram e a Mafalda começou a chorar.
Será que este era o fim dela?

Aqui está!
Espero que tenham gostado.

Bjs :)

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Capitulo 17 - Último dia de aulas e acompanhantes de luxo descobertas

Olá Pessoal!
Aqui está o capitulo 17 de Encontro com o 666.
Espero que gostem.

Henrique

Antes de chegar a casa ontem à noite, tinha visto a Andreia e o Pedro Magalhães a saírem às pressas do apartamento. Com as atitudes deles tive a certeza que eles não queriam ser vistos. Olhavam para todos os lados. Quando acordei no dia seguinte, levantei-me às pressas e fui depressa para a escola. Assim que visse o meu colega iria contar-lhe o que tinha visto.

Ana Carretas

Cheguei à escola acompanhada pela minha colega Ana Catarina. Fomos as duas para perto da sala. Era o último dia de aulas mas temos que ser bons alunos...
Estou a tentar convencer quem? Eu odeio a escola, odeio as aulas.

...

Carolina

As nossas três aulas acabaram. Todos me perguntavam sobre o meu irmão. O meu irmão, como sempre, estava a tratar de uma ressaca. Estávamos já todos a conversar perto da paragem e a despedirmo-nos porque iríamos ficar de férias, quando o Diogo aparece perto de nós. Estava visivelmente bêbado. Balbuciava palavras estranhas.
- Fantasia....Prazeres.
Não entendia nada!

Pedro Guerra

Eu entendia bem essas palavras. Fantasia dos Prazeres era o nome da Ana Carretas à noite. Olhei para a Diana de relance. Estava extremamente atenta à toda a cena que decorria. Olhei para o meu lado esquerdo e um pouco afastado estava o Henrique a conter-se para não rir. Ele sabia?

Henrique

Estava a conter-me para não me desmanchar a rir nesse momento. Comentei algo com voz baixa ao meu colega mas ele com a mão avisou-me que não queria falar. Estava sério a ver tudo aquilo. Ele e as duas polícias também. Serei o único a não levar isto a sério? Comentei com o meu colega que a minha vontade era gravar aquilo tudo e colocar no YouTube.

Ana Carretas

Olhei para o Diogo a dizer aquilo tudo e tentei meter-me à frente dele e dizer que ele estava bêbado e que tinha que ir para casa. A Carolina levou-o com a minha ajuda para casa.
- Boas férias! - dissemos as duas.
E saímos. A Ana Catarina também tinha ido connosco.

Henrique

Ri tanto quando eles foram-se embora. O César olhou para mim com cara de idiota. Eu não estava louco, o Diogo é que estava.
- Ele devia estar bêbado mas este aqui está mais. - comentou ele.
O meu colega olhou para mim e riu-se um pouco.
- Anda Henrique, vamos embora. Boas férias, colegas.
A Ana Rodrigues estendeu-lhe a mão e ele apertou-a. Um aperto de colegas polícias. Era um cumprimento normal, ninguém dava por isso.
O meu colega olhou para a Diana e ela apenas lhe deu umas boas férias. Saímos dali logo de seguida. A Catarina vinha atrás de nós também. Eu olhei para o meu amigo. Estava cansado dela. Não sei como é que o João conseguia se manter na mesma posição.

Aqui está!
Mais uns personagens apareceram como já deu para perceber. Vou colocar possíveis dias de postagem na página do Facebook pois estou com umas mini-férias agora graças ao Carnaval.

Bjs :)

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Capitulo 16 - Interrogatório e perguntas no ar

Olá Pessoal! Aqui está o capitulo 16 de Encontro com o 666.
Espero que gostem.

Diana

- O que é que te aconteceu? - perguntei à minha irmã.
- Eu estava na casa de banho quando alguém me agarrou e prendeu-me aqui.
- E viste quem era? - perguntou a minha colega à minha irmã.
Ela abanou a cabeça.
...

Ana Rodrigues

O dia tinha terminado finalmente. Ainda tive que dar explicações à PSP. Foi um dia horrível. Não tive coragem para fazer mais nada. A Diana pediu-me se podia levá-las para minha casa a fim de dormirem. Não me importei. Levei-as a minha casa e fui dormir. Estava completamente arrumada. Parecia que tinha trabalhado durante um mês inteiro.

Ana Martins

Não conseguia dormir. Milhares de perguntas ecoavam na minha cabeça. As principais eram estas:
- Descobriram que eu era irmã de uma polícia?
- Porque é que me amarraram?
 Respirei fundo e fiquei a pensar no assunto durante um longo tempo. Esperava que o dia seguinte fosse melhor.

Aqui está!

P.S - O próximo capitulo de A Escola do Terror III não sei quando será postado. Espero que seja em breve.

Bjs :)