sábado, 22 de dezembro de 2012

Capitulo 10 - O Henrique marca pontos

(Observação da autora no dia 18/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "Encontro com o 666". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" com o título "Encontro com o Passado" ).


Bruna

Vinha acompanhada pela Madalena. Tinha gritado pela Andreia e pelo Pedro. A Madalena parecia estar nervosa, enquanto caminhávamos para perto dos dois colegas.
 Olá! Vocês estão bem? Parecia que se queriam matar. – Disse-lhes, enquanto sorria.
 Não é nada, Bruna. – Respondeu-me a Andreia.
 O que é que vocês estão aqui a fazer? – Perguntei.
 Íamos nos 'comer' numa rua deserta. – Disse o Pedro. Parecia atrapalhado.
A Andreia colocou a mão na testa, enquanto baixava a cabeça.

Andreia

Não acredito que esse atrasado disse uma coisa destas. Quando estarmos sozinhos, ele vai levar. Nunca deveria ter nascido esse idiota!
A Madalena e a Bruna riram-se e foram-se embora, deixando-nos de novo sozinhos. Não, não o ia bater agora. Não tenho cabeça nem força para isso neste momento. Voltámos os dois para casa. Já não haveria hoje encontro com o 666.

Henrique

Estava a ver tudo o que se passava entre o Pedro Magalhães e a Andreia. Estranho eles saírem a esta hora da noite, num dia de semana, e a gritarem um com o outro sobre o 666. Será um filme? Óbvio que é. Eles são idiotas. Não devem ter algo a ver com o meu querido assassino em série. Não sei, de qualquer das maneiras, preciso de falar com o João. Admito que ele é mais consciente que eu. Peguei no meu telemóvel e liguei para ele. Atendeu-me depois do segundo "pi".
 Estou?
 Estou? És um agente ou não? Que raio de modo de atender é esse?
Ele respirou fundo.
 Sim, Henrique, o que se passa?
 Temos que falar. Descobri algo numa conversa entre a miúda de cabelos pretos e o Pedro Magalhães.
 Podemos falar amanhã na escola? Estou ocupado!
 Eh lá, João! Quem tens aí ao teu lado? Já te apanhei colega, já te apanhei!
O meu colega riu-se.
 Não é nada disso, idiota! É que eu estou na cama.
 Na cama? Claro que estás. A menos que gostes de fazer noutro lado.
 Henrique! Eu estava a dormir. Falamos amanhã.
Eu ri-me.
 Ok, eu percebi isso. Afinal, irias "apanhar" quem? A velha do 3º andar do meu apartamento? – Arrepiei-me só de me lembrar dela.
 Henrique! Eu sou o "cabeça" por isso, até amanhã.
 Até amanhã? A nossa conversa não acaba aqui.
Continuei a gritar-lhe, mas ele desligou-me o telemóvel na cara. Ele não está a dormir de certeza. Essa ele não me apanha!


Fim do Capítulo 10.

20 comentários:

  1. tá fixe!
    gostei da conversa da velha do 3º andar.lol.

    ResponderEliminar
  2. Adorei.
    O colega dele está a fazer o quê?

    ResponderEliminar
  3. Está fixe!
    O Henrique é uma personagem engraçada.

    ResponderEliminar
  4. tá lindo!
    posta logo.

    Beijos,
    Natasha Alyosha :)

    ResponderEliminar
  5. Está fixe.
    O henrique parece idiota mas sabe das coisas.

    ResponderEliminar
  6. Adorei amiga!
    Adoro esse Henrique.Minha personagem favorita.
    Posta logo.

    Beijos,
    Juh :)

    ResponderEliminar
  7. eh páh adoro esse henrique.
    posta logo.

    ResponderEliminar
  8. Percebi o que quiseste fazer.O João seria a consciência do Henrique.Eles são muitos diferentes um do outro mas funcionam bem como colegas.
    Continua!

    ResponderEliminar
  9. Adorei, consigo imaginar a "miúda de cabelos pretos" a pôr a mão na testa! É mesmo à Andreia. Está realista. Continua!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário, a sua opinião é importante para o escritor.