sábado, 29 de janeiro de 2011

Capítulo 18

(Observação da autora no dia 11/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "A Escola do Terror I". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" ).


A Carolina foi para casa e viu o Miguel ao pé da sua porta.
 Olá! – Saudou ela.
 Olá! Queria falar contigo, por isso é que estou aqui. – Explicou o Miguel.
 Estás aqui há muito tempo? – Perguntou a Carolina.
 Não. – Respondeu ele.
 Ainda bem. – Disse ela.
A Carolina abriu a porta e disse:
 Entra.
 Obrigado.
O Miguel entrou em casa da Carolina.
 Então, o que queres falar? – Perguntou a Carolina, sentando-se no sofá.
 Os teus pais não estão cá? – Perguntou ele.
 Pelos vistos, não. Estão a trabalhar. – Respondeu ela.
O Miguel sentou-se ao lado dela no sofá.
 Como vai o namoro com o Bernardo? – Perguntou ele.
 Vai terrível. Isto de o namoro ser segredo dá comigo em doida. – Respondeu a Carolina.
 Vais aguentar. Acho eu. – Disse ele.
A Carolina riu-se.
 Nós até nos beijámos, mas depois no parque correu tudo mal. – Disse a Carolina, parando de rir.
 No parque? – Perguntou o Miguel.
 Sim. – Respondeu a Carolina.
A Carolina disse tudo o que tinha acontecido desde a ida à casa do Bernardo até que a Mafalda e o Gonçalo os apanharam no parque. Assim que acabou de contar tudo, o Miguel falou:
 Isso foi mau.
 Eu sei. Eu estou a ver que o nosso namoro vai acabar depressa. Mas o pior é que estou a gostar dele.  Disse a Carolina.
 Pois. Isso é muito mau. – Disse o Miguel.
Eles continuaram a falar o resto da tarde, muito contentes.

***

Entretanto em casa do Bernardo, a Mafalda, o Gonçalo, a Diana e o Bernardo estavam a conversar, ou melhor, a discutir.
 O que é que aconteceu a vocês os dois? – Perguntou o Gonçalo, zangado e a falar alto.
 Estávamos só no parque. – Respondeu o Bernardo.
 Porque é que a Carolina estava contigo, Bernardo? Ela não é do grupo. – Disse o Gonçalo, irritado.
– Nós vimo-nos por acaso. – Respondeu o Bernardo, a olhar para a Diana. Ele sabia que estava a mentir e não queria que a Diana dissesse a verdade.
 E tu, Diana? O que tens a dizer a isto? – Perguntou o Gonçalo.
A Mafalda virou-se para o Gonçalo.
 Quem faz as perguntas à Diana sou eu, Gonçalo. – Disse a Mafalda, depois virando-se para a Diana – Responde à pergunta que o Gonçalo te fez.
 Eu não tenho nada a dizer. – Respondeu a Diana.
 Espero bem que isto não se volte a repetir. Eu tenho de falar também com o José. – Disse o Gonçalo.
 Com o José? – Perguntou o Bernardo.
 Sim. Eu e a Mafalda vimos o José com a Sofia. – Respondeu ele.
O Bernardo fez uma cara de espantado.
 Que isto não se repita. – Avisou a Mafalda.
O Gonçalo e a Mafalda encaminharam-se para a porta e saíram da casa do Bernardo deixando a Diana e o Bernardo completamente sozinhos.
 Fomos apanhados. – Disse a Diana, passado uns segundos.
 A culpa foi tua, não devias andar atrás de mim e da Carolina. – Avisou o Bernardo.
 Ai, agora a culpa é minha? Tu é que trais a regra e eu é que sou a culpada. Linda conclusão. – Disse a Diana, irónica.
– Se tu não andasses atrás de nós, eles não desconfiavam de nada. – Gritou o Bernardo.
 Não grites comigo! – Gritou a Diana também.
Fizeram um momento de silêncio e a Diana continuou a falar normalmente.
 Eles viam-te na mesma com a Carolina, se eu não estivesse lá.
 Tens razão, estávamos todos no mesmo sitio, há mesma hora. – Concordou o Bernardo.
 É só para saberes que a minha condição ainda está viva. E podes ter de a fazer a qualquer momento. – Relembrou a Diana.
 Eu não a vou fazer – Disse o Bernardo – Acho que o meu namoro com a Carolina vai acabar. Acho que aquilo foi só uma 'curte' de quatro dias.
 Então as condições que eu fiz não valeram de nada? – Perguntou a Diana.
 Não valeram de nada. – Respondeu ele.
 Mas ela de certeza que quer fazer as pazes. – Disse a Diana, saindo de casa do Bernardo.
O Bernardo ficou parado, a pensar sobre tudo o que se tinha passado no parque.


Fim do Capítulo 18.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Capítulo 17

(Observação da autora no dia 11/09/2018 - Corrigi possíveis erros ortográficos deste projeto chamado "A Escola do Terror I". Já é possível relê-lo de forma mais adequada. Não alterei nada no enredo, porque é apenas a versão blogue. A versão em livro encontra-se na página "Livros" ).


Entretanto, a Mafalda e o Gonçalo estavam a caminho do parque já a conversarem:
 Então? Quais são as ideias novas que tens para o grupo? – Perguntou a Mafalda.
 Eu não tenho muitas ideias, só sei que nós não podemos andar a discutir por tudo e por nada. – Disse o Gonçalo.
 Por tudo e por nada? Nós discutimos por causa do grupo. – Disse a Mafalda, zangada.
 Sim, claro. – Concordou o Gonçalo, tentando acalmar a Mafalda.
Eles continuaram a conversar até que vêm ao longe o José, ou que para eles parecesse o José.
 Aquele é o José, não é? – Perguntou a Mafalda.
 Sim, parece que sim e está com a ... – Disse o Gonçalo, tentando perceber quem era a rapariga.
 ... Com a Sofia. – Terminou a Mafalda.
 O que é que ele está ali a fazer com ela? – Perguntou o Gonçalo.
 Se calhar traiu a regra nº 3. Começo a achar que tu não és um bom chefe. – Disse a Mafalda.
 Podes ficar calada? – Perguntou o Gonçalo, a ficar zangado.
 Está bem.
O José vê a Mafalda e o Gonçalo e pega no braço da Sofia e começa a correr.
 O que é que se passa? – Perguntou ela.
 Queres que o Gonçalo e a Mafalda descubram que estamos aqui?
 Por acaso não é apropriado.– Disse a Sofia.
Eles escondem-se por trás de uma árvore e começam a olhar para avistarem o Gonçalo e a Mafalda. A Mafalda estava a olhar para o lado contrário para onde o José e a Sofia correram e estava a ver o Bernardo com a Carolina.
 Gonçalo, olha. – Disse-lhe ela, puxando-o.
 O que é? – Perguntou ele.
Assim que se virou, viu o Bernardo com a Carolina. A Mafalda riu-se assim que o Gonçalo viu os dois.
 Parece que os teus dois amigos decidiram trair a regra nº 3 do grupo.
 Aqueles dois vão levar uma porrada. – Disse ele, zangado.
Mas aí vê a Diana atrás do Bernardo e da Carolina e ri-se para a Mafalda.
 Oh parva, vê lá se gostas desta vista. – Disse, apontando para a Diana.
A Mafalda ficou boquiaberta.
 Ela está só a passear. – Fingiu.
 Tens a certeza? – Perguntou o Gonçalo, a rir-se.
 Vou dar cabo dela. Ela não devia estar aqui.
E dizendo isto foi ter com eles.
O Gonçalo foi atrás dela. O Bernardo, a Carolina e a Diana viram o Gonçalo e a Mafalda a aproximarem-se. O Bernardo e a Diana pensaram para si mesmos: "Estou feita/o". A Carolina deixou de estar muito próxima do Bernardo, pois o namoro deles era segredo.
Assim que chegou perto deles, a Mafalda perguntou:
 O que se passa aqui?
 Aqui nada. – Respondeu o Bernardo.
– Não estava a falar contigo, mas sim com a Diana, que está lá atrás.
O Bernardo e a Carolina viraram-se para trás. A Diana sorriu.
 Olá!
O Bernardo fez uma cara zangada para a Diana e depois virou-se.
 Eu não sei o que ela está aqui a fazer. – Disse o Bernardo para a Mafalda.
 Eu estava a passear. Já não posso? – Perguntou a Diana, chegando para perto deles.
 E o que estás aqui a fazer, Bernardo? – Perguntou o Gonçalo.
 Estou a passear também. – Respondeu ele.
A Diana riu-se baixinho para o Gonçalo, a Mafalda e a Carolina não perceberem.
 E tu, Carolina? – Perguntou a Diana.
O Bernardo olhou para a Diana com raiva. A Diana fez um sorriso falso.
 Eu também estava a passear. – Respondeu a Carolina.
 E porque estavas com o Bernardo? – Perguntou a Diana, chegando-se para a "toca do lobo".
O Bernardo olhou zangado para a Diana. A Diana fez o mesmo sorriso falso.
 Eu estava a perguntar-lhe pelos trabalhos de casa. Eu encontrei-o por acaso. – Respondeu a Carolina.
 Isso mesmo. – Concordou o Bernardo.
O Gonçalo e a Mafalda começaram a falar.
 Nós precisamos de falar com vocês os dois, Diana e Bernardo. – Disse o Gonçalo.
 Carolina, vai-te embora daqui, por favor. – Pediu a Mafalda.
A Carolina obedeceu e saiu do parque. O Gonçalo e a Mafalda, assim que viram que a Carolina já estava longe, começaram a falar.
 Vamos para casa do Bernardo falar, pode ser? – Perguntou o Gonçalo.
O Bernardo fez um sim com a cabeça e lá foram eles para casa dele.
O José e a Sofia ficaram a ver aquilo tudo boquiabertos.
 Hi! O que é que vai haver para ali! – Exclamou o José.
 Pois é. Vocês têm regras? – Perguntou a Sofia.
O José engoliu em seco.
 As regras são uma brincadeira, mas o Gonçalo e a Mafalda levam isso a peito. – Mentiu ele.
 Está bem. Levas-me a casa? – Perguntou a Sofia.
 Sim. Pode ser.
O José e a Sofia foram para casa.


Fim do Capítulo 17


Questionário:
1- O que será que a Mafalda e o Gonçalo vão falar com a Diana e com o Bernardo?
2- A Sofia está a saber das regras ou foi só uma pergunta sem importância?

domingo, 16 de janeiro de 2011

domingo, 9 de janeiro de 2011

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Agradecimentos!

Olá, Pessoal!
Vim agradecer.
Estamos no ano de 2011 e acho que chegou o momento (depois de ter passado um ano) de agradecer a todos vocês, o que têm feito.

Vou começar pelos meus amigos:

Ricardo e Juliana- Muito obrigada por lerem as histórias!

Comentadores sem conta:

Helena- És uma das raparigas que mais comenta e em todos os blogs. Gostava de te conhecer pessoalmente ou simplesmente por MSN (gosto de conhecer os meus leitores). Muito obrigada!

Patrícia- A menina que me deu muitos problemas quando chegou no blog, não é menina Patrícia? Mas isso são águas passadas. Obrigado por comentares sempre em todos os blogs.

Afonso- Nunca podia deixar de mencionar o rapaz que é sempre o primeiro a comentar. Tens uma pressa para ler. Gostava de te conhecer pessoalmente ou simplesmente por MSN (gosto de conhecer os meus leitores). Muito obrigado!

Felipe- Ainda não percebi se és Português ou Brasileiro. Pelo teu nome és Brasileiro, porque em Portugal o nome é Filipe com i e não com e. Pequenas mudanças! Obrigado por comentares sempre. Gostava de te conhecer pessoalmente ou simplesmente por MSN (gosto de conhecer os meus leitores).

Anónimo- O Psicólogo que tem uma filha de 15 anos? Foi o que todos percebemos quando apareceste pela primeira vez no blog e ainda bem que continuaste no blog e a ler os capítulos porque adoro os teus comentários. É algo construtivo e és sincero, dás críticas em alguma coisa e disso eu gosto. Embora agora ficares um pouco "apagado". Não há nenhuma criticazinha para mim?!

Luís- Quem diria que estarias no blog a comentar e a ler os meus capítulos. És o único que se atrasa um bocadinho para comentar, mas estás sempre cá. Muito obrigado!

Cátia e Sara- As primeiras priminhas que apareceram no blog! Vocês são 5 estrelas! Se não se importarem queria vos conhecer pessoalmente ou por MSN (gosto de conhecer os meus leitores).

Sónia- A rapariga que passa a vida a desaparecer durante algum tempo dos blogs. Já te conheci pessoalmente. Obrigado por não desistires do blog.

Rui- Olá, menino Rui! Relações abertas de vez em quando não são muito boas...
Obrigado por tudo!

Guilherme- Desapareceste. O que aconteceu? Já não gostas da história ou tens o mesmo problema que o Tiago teve? De qualquer modo, obrigado por tudo!

Natasha- Vamos lá falar em Russo: Привет! Спасибо вам за все! Юлиана (Juliana) был хорошим другом, чтобы принести Вам сюда! Peço desculpa se os verbos não correram lá muito bem. Disso eu juro que não consigo. Gostava de te conhecer pessoalmente ou simplesmente por MSN, porque estás na Rússia e eu não estou aí (gosto de conhecer os meus leitores).

Inês- Comenta às vezes, mas fala comigo sobre a história o que é bom saber!

Um obrigado às pessoas que já comentaram os capítulos do blog: Angelina, Elifcr (Elisa), Mariana entre outros...

Comentadores com conta:

Pam :) - Obrigado por tudo! Comenta sempre, só quando tem algum problema é que não, mas isso é compreensível. A segunda pessoa com conta no Google que comentou o blog (antes era a Elifcr). Muito obrigada! (o resto não pergunto como fiz às outras pessoas que não conhecia, porque você tem Twitter e eu não tenho).

Cathie - Quando à tua resposta: Não faz mal. Bom ano novo para você também e espero que tenha sido muito bom o Natal! A parte do "Deus te abençoe" não comece achando mal, mas eu não sou Católica, eu sou Ateu. Eu até hoje não acredito em nada. Eu festejo o Natal sim, mas é porque há as prendinhas!
Você é a única pessoa do Brasil que sei que escreve coisas em Francês. Para mim, Francês é a minha língua favorita. Pena que mudei de escola e agora não tenho Francês, mas sim Inglês e isso está a ser difícil, porque eu não gosto muito. E agora tento não "desaprender"/ esquecer o Francês.
Agradecimentos: Muito obrigada por comentar! Você é muito assídua, comenta sempre. Claro que há sempre uns probleminhas, mas aparece sempre :)
Como disse às outras pessoas que não conhecia, se for possível claro, eu gostava de falar com você por MSN (gosto de conhecer os meus leitores).
Adorei a música! Até estava a espera que alguém pedisse essa música. A segunda parte é linda.
E agora à moda Francesa: Bisous :D

Bem, Pessoa, aqui estão os agradecimentos! Muito obrigado. Espero não ter esquecido de ninguém...

Claro que esqueci:
Dos seguidores.

Muito obrigada a todos! Até os que não comentam.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Nova história!

Olá, Pessoal!
Venho vos falar de uma nova história que acabei de escrever. Vocês perguntam qual?
"A Escola Do Terror II".
É verdade! Já a acabei de escrever e foi exactamente no dia 1/1/2011 ou seja, terminei exactamente no novo ano. Uma coincidência feliz, se quiserem chamar assim.

Com esta nova história acabo de escrever a minha sexta (6ª) história. Primeira história de 2011.